A deposição de resíduos industriais organoclorados no litoral do estado de São Paulo: um estudo de caso

  • Pedro Luiz Côrtes Universidade Nove de Julho
  • Ailton Pinto Alves Filho Faculdade de Engenharia Industrial
  • Mauro Silva Ruiz Universidade Nove de Julho
  • Cláudia Echevenguá Teixeira Universidade Nove de Julho
Palavras-chave: Gestão Ambiental, Resíduos Industriais, Poluentes Orgânicos Persistentes.

Resumo

A industrialização no Estado de São Paulo teve início no fim do século XIX, intensificando-se na segunda metade de século XX. Parte desse processo ocorreu sem o suporte de leis ambientais, que somente surgiram no estado em meados dos anos 1970. Em decorrência disso, parte do processo de industrialização ocorreu na ausência de um manejo adequado de resíduos, provocando a contaminação ambiental em regiões industriais nas cidades do Estado de São Paulo. Este trabalho apresenta um estudo de caso sobre disposição irregular de resíduos industriais organoclorados no litoral do estado, efetuada pela Clorogil S.A. durante parte dos anos 1960 e 1970. Tem como objetivo compreender como foi efetuada a disposição dos resíduos e os problemas ambientais decorrentes dela. Como não houve registro de muitas das áreas empregadas como depósito irregular, é sumarizada a metodologia utilizada para descobrir e caracterizar esses depósitos, anos após a sua utilização. Adicionalmente, são analisadas algumas técnicas para recuperação das áreas contaminadas por resíduos industriais organoclorados. Este trabalho justifica-se pelo fato de que os resíduos industriais descartados estão classificados como Poluentes Orgânicos Persistentes, que são compostos que causam graves prejuízos à saúde, possuem elevado efeito cumulativo e são altamente resistentes à degradação ambiental, características que tornam difícil a recuperação de áreas contaminadas. A disposição de resíduos estudada neste trabalho configura-se como um exemplo da má gestão ambiental, pois em nenhum momento as três regras básicas do manejo de resíduos (reduzir a produção, estimular a sua reutilização e, finalmente, promover a destinação correta) foram consideradas. Embora esses resíduos tenham sido depositados há mais de trinta anos, os impactos ao meio ambiente e à saúde pública persistem até o presente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Luiz Côrtes, Universidade Nove de Julho
Doutor em Comunicação pela ECA – USP Professor da Universidade Nove de Julho – UNINOVE
Ailton Pinto Alves Filho, Faculdade de Engenharia Industrial
Doutor em Geografia pela Universidade de São Paulo – USP Professor da Faculdade de Engenharia Industrial – FEI
Mauro Silva Ruiz, Universidade Nove de Julho
Doutor em Geografia pela Southern Illinois University at Carbondale – SIUC Professor da Universidade Nove de Julho – UNINOVE
Cláudia Echevenguá Teixeira, Universidade Nove de Julho
Doutora em Engenharia Civil pela Université de Sherbrooke - USHERB Professora da Universidade Nove de Julho – UNINOVE
Publicado
2011-08-31
Como Citar
Côrtes, P., Alves Filho, A., Ruiz, M., & Teixeira, C. (2011). A deposição de resíduos industriais organoclorados no litoral do estado de São Paulo: um estudo de caso. INMR - Innovation & Management Review, 8(2), 132-163. https://doi.org/10.5773/rai.v8i2.700
Seção
Artigos