A Tortura em foco

o trabalho da Anistia Internacional em relação ao Brasil durante a Ditadura Militar

  • Renata Meirelles Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Anistia Internacional, Regime militar brasileiro, Direitos Humanos, Tortura

Resumo

Durante o regime militar brasileiro, a organização Anistia Internacional (AI) trabalhou na defesa de presos políticos e na divulgação de denúncias de tortura entre a comunidade internacional. Como parte de um projeto de pesquisa mais amplo, cujo objetivo é investigar a atuação da Anistia Internacional no Brasil, o presente artigo pretende mostrar como foi a abordagem da Anistia em relação às denúncias de tortura cometidas por agentes do regime militar brasileiro. O artigo propõe identificar aspectos relevantes das origens e da história da Anistia Internacional para compreender dois de seus princípios fundamentais: o princípio da não-violência e a ênfase no indivíduo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Meirelles, Universidade de São Paulo

Doutoranda em História Social pela Universidade de São Paulo. Trabalhou como pesquisadora do Arquivo do Estado de São Paulo no projeto “Arquivos da repressão e da resistência: mapeamento e análise dos fundos DEOPS/SP e DEIP/SP”. Pesquisadora do Grupo de pesquisa International State Crime Initiative (ISCI), King’s College London. Atualmente conduz pesquisa de doutorado intitulada “Acendei as Velas: a Anistia Internacional e o Brasil (1961-1982)”, sob o financiamento da FAPESP. renatameirelles@usp.br 

Publicado
2018-11-09
Como Citar
Meirelles, R. (2018). A Tortura em foco. Angelus Novus, 12(12), 21-40. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/ran/article/view/99090
Seção
Dossiê temático: 1964, 50 anos depois - perspectivas para uma história recente