Diderot em preto-e-branco: as paixões de Mlle d'Aisnon e de Mme de La Pommeraye, segundo Robert Bresson

Autores

  • Maria Cecília de Miranda N. Coelho Mestre em Filosofia e Doutora em Letras Clássicas pela USP, professora da PUC-SP.

Palavras-chave:

Les Dames du Bois de Boulogne, Jacques le Fataliste, Helena de Tróia, tragédia

Resumo

Meu objetivo neste artigo é examinar alguns aspectos da adaptaçãopara o cinema, feita por Robert Bresson, de um episódio do romance de Denis Diderot, Jacques le fataliste. Pretendo analisar, comparativamente, a caracterização das duas personagens femininas principais, a partir da categoria de paixão, comentaras mudanças muito significativas no enredo e composição de personagens no filme, como a alteração do nome de Mlle d'Aisnon e de Mme de La Pommeraye para Agnès e Hélène, respectivamente. Na minha interpretação, apesar de elementos melodramáticos, o filme Les Dames du Bois de Boulogn e pode ser visto como obra de tonalidade trágica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-12-12

Como Citar

Coelho, M. C. de M. N. (2018). Diderot em preto-e-branco: as paixões de Mlle d’Aisnon e de Mme de La Pommeraye, segundo Robert Bresson. Rapsódia, (4), 65-96. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/rapsodia/article/view/152639

Edição

Seção

Resenhas