Análise das estatísticas relacionadas ao jogo que discriminam as equipes vencedoras das perdedoras no basquetebol profissional brasileiro

  • Saulo Peters ALMAS Universidade Federal do Rio de Janeiro; Faculdade de Medicina

Resumo

O objetivo deste estudo foi identificar quais estatísticas relacionadas ao jogo são capazes de discriminar as equipes vencedoras das perdedoras nos jogos do Novo Basquete Brasil, campeonato brasileiro profissional masculino, em função da fase do campeonato (temporada regular e "playoff") e das diferenças de placar (placares equilibrados e não equilibrados). A amostra consistiu nos 316 jogos disputados durante a temporada 2013/2014. As variáveis analisadas foram: arremessos de dois pontos convertidos e não convertidos, arremessos de três pontos convertidos e não convertidos, lances livres convertidos e não convertidos, rebotes defensivos e ofensivos, assistências, tocos, faltas pessoais, roubos de bola e erros. Para a divisão entre placares equilibrados e não equilibrados foi realizada a análise de "cluster" de k médias. Quando a diferença de pontuação do time vencedor pela do time perdedor ficou entre um e 15 pontos, o placar foi considerado equilibrado e quando a diferença foi de 16 a 47 pontos, o placar foi não equilibrado. A análise discriminante permitiu concluir que arremessos convertidos de três pontos e rebotes defensivos foram capazes de discriminar os vencedores nos jogos de temporada regular, seja com placar equilibrado ou não equilibrado, e nos jogos de "playoff" com o placar equilibrado. As assistências contribuíram para discriminar entre os jogos de temporada regular com placar não equilibrado, enquanto os lances livres fizeram o mesmo nos jogos de temporada regular que terminaram com placares equilibrados. Nenhuma estatística relacionada ao jogo conseguiu discriminar as equipes nos jogos de "playoff" com placares não equilibrados. Este estudo mostrou que diferentes estatísticas relacionadas ao jogo discriminam entre vencedores e perdedores, dependendo da fase do campeonato e as diferenças de placar.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-12-01
Como Citar
ALMAS, S. (2015). Análise das estatísticas relacionadas ao jogo que discriminam as equipes vencedoras das perdedoras no basquetebol profissional brasileiro . Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 29(4), 551-558. https://doi.org/10.1590/1807-55092015000400551
Seção
Biodinâmica