Entre fachadas, bastidores e estigmas: uma análise sociológica do futebol feminino a partir da teoria da ação social de Erving Goffman

  • Leila SALVINI Asociación Latinoamericana de Estudios Socioculturales del Deporte
  • Juliano de SOUZA Universidade Estadual de Maringá; Departamento de Educação Física
  • Wanderley MARCHI JÚNIOR Asociación Latinoamericana de Estudios Socioculturales del Deporte

Resumo

No presente artigo temos por objetivo problematizar sociologicamente a participação feminina no universo futebolístico brasileiro, de modo a avançarmos no entendimento de como se constroem e se reconstroem algumas representações e estigmas do corpo feminino no contexto dessa prática esportiva. Para levarmos a efeito esse objetivo, nos respaldamos em uma série de elementos empíricos e teóricos que foram trabalhados de forma dialógica e relacional no decorrer do estudo. Do ponto de vista empírico, nos valemos de um conjunto de dados e informações coletadas por meio de entrevistas, observações de campo e pesquisa com imagens. Já do ponto de vista teórico, fizemos uso da teoria da ação social de Erving Goffman, tomando de empréstimo conceitos e noções fundamentais para a análise aqui proposta. A partir dessa articulação empírico-teórica, concluímos que o processo de construção corporal no contexto do futebol feminino brasileiro ocorre nos bastidores, enquanto a reconstrução corporal acontece de modo representativo na região de fachada.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-12-01
Como Citar
SALVINI, L., SOUZA, J., & MARCHI JÚNIOR, W. (2015). Entre fachadas, bastidores e estigmas: uma análise sociológica do futebol feminino a partir da teoria da ação social de Erving Goffman . Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 29(4), 559-569. https://doi.org/10.1590/1807-55092015000400559
Seção
Sociocultural