Parâmetros biomecânicos da marcha em crianças com pé torto congênito unilateral e bilateral

  • SOARES Renato José Universidade de Taubaté
  • Alex Sandra Oliveira de CERQUEIRA Universidade de Taubaté
  • Luis MOCHIZUKI Universidade de São Paulo; Escola de Artes, Ciências e Humanidades
  • Júlio Cerca SERRÃO Universidade de São Paulo; Escola de Educação Física e Esporte
  • João Paulo VILAS-BOAS Universidade do Porto; Faculdade de Desporto
  • Alberto Carlos AMADIO Universidade de São Paulo; Escola de Educação Física e Esporte

Resumo

Uma variedade de disfunções congênitas pediátricas demonstra que deformidades do pé interferem na capacidade de locomoção. No entanto, há em muitas vezes incertezas sobre os seus reais efeitos mecânicos. O pé torto congênito é um exemplo de uma disfunção pouco conhecida no que diz respeito as suas influências na locomoção de crianças. Desta forma, uma melhor compreensão da marcha destas crianças pode auxiliar no melhor no direcionamento de futuras ações na tentativa de minimizar ou corrigir tais possíveis desequilíbrios. O objetivo da pesquisa foi analisar parâmetros cinéticos e cinemáticos da marcha de crianças com pé torto congênito unilateral e bilateral submetidas a tratamento cirúrgico. Artigo Científico Original Observacional. O protocolo consistiu da investigação da marcha em velocidade auto-selecionada, com identificação de parâmetros em forças de reação do solo vertical e antero-posterior, além de parâmetros angulares do tornozelo e do joelho. Testes estatísticos não-paramétricos foram utilizados na análise dos resultados. As crianças com pé torto mostraram maiores desequilíbrios nos parâmetros investigados, com ênfase para as diferenças entre o grupo de pé torto unilateral e controle. Nesta comparação, no início da fase de apoio, foram encontradas maior primeiro pico da força vertical e alterações angulares do joelho e tornozelo; no médio apoio, foram observados aumento da flexão do joelho e dorsiflexão do tornozelo, além de menor magnitude da força vertical; na fase de propulsão foram encontrados menores valores na força antero-posterior e no segundo pico da força vertical, além de menor flexão plantar. Crianças com pé torto unilateral apresentam maiores desequilíbrios em parâmetros biomecânicos da marcha em comparação com crianças acometidas bilateralmente. As alterações encontradas nos parâmetros da marcha no presente estudo podem contribuir nas compreensões dos desequilíbrios e fornecer informações para entender os movimentos dos membros inferiores durante a marcha em crianças pé torto.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-06-01
Como Citar
Renato José, S., CERQUEIRA, A., MOCHIZUKI, L., SERRÃO, J., VILAS-BOAS, J., & AMADIO, A. (2016). Parâmetros biomecânicos da marcha em crianças com pé torto congênito unilateral e bilateral . Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 30(2), 271-277. https://doi.org/10.1590/1807-55092016000200271
Seção
Biodinâmica