Análise da simetria de força na braçada do nado peito

  • Rafaela Grübel Werlang Universidade do Estado de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde e do Esporte
  • Suzana Matheus Pereira Universidade do Estado de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde e do Esporte
  • Caroline Ruschel Universidade do Estado de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde e do Esporte
  • Gustavo Soares Pereira Universidade do Estado de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde e do Esporte
  • Ana Paula Moratelli Prado Universidade do Estado de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde e do Esporte
  • Gustavo Ricardo Schütz Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Desportos
  • Helio Roesler Universidade do Estado de Santa Catarina. Centro de Ciências da Saúde e do Esporte
Palavras-chave: Natação, Biomecânica, Desempenho.

Resumo

Este trabalho teve como objetivo analisar a simetria da força aplicada durante a braçada do nado peito e a sua relação com o desempenho de nadadores. Participaram do estudo 17 nadadores especialistas em nado peito e medley (12 homens e 5 mulheres, 19,5 ± 5,2 anos, melhor tempo pessoal correspondente a 73,4 ± 7,0 % do recorde mundial dos 50 m peito). Cada sujeito realizou três repetições de 25 m peito em máxima velocidade. Sensores de pressão do Sistema Aquanex foram posicionados na mão direita e na mão esquerda dos nadadores, possibilitando a aquisição das variáveis Força Média (Fmed) e Força Máxima (Fmax). Calculou-se o índice de simetria conforme proposto por Sanders e utilizou-se o tempo de uma execução de 50 m peito em velocidade máxima (T50m) como indicador de desempenho. A comparação das variáveis entre a mão direita e a mão esquerda foi realizada através de testes para amostras dependentes, e a relação entre as variáveis foi investigada através da correlação de Spearman (p < 0,05). A Fmed aplicada foi de 47,9 ± 16,7 N e de 47,9 ± 14,5 N para as mãos direita e esquerda, respectivamente. A Fmax correspondeu a 120,7 ± 43,6 N e 112,8 ± 35,7 N para as mãos direita e esquerda, respectivamente. Não foram encontradas diferenças signifi cativas quando comparadas as mãos direita e esquerda. Uma análise individual e descritiva das variáveis permitiu observar assimetrias de até 30,6% para a Fmed e de até 35,9% para a Fmax. Entretanto, parece não haver relação entre os índices de simetria com o desempenho no nado peito em 50 m.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-12-19
Como Citar
Werlang, R., Pereira, S., Ruschel, C., Pereira, G., Prado, A. P., Schütz, G., & Roesler, H. (2017). Análise da simetria de força na braçada do nado peito. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 31(1), 41-50. https://doi.org/10.11606/1807-5509201700010041
Seção
naodefinida