Resposta da razão testosterona/cortisol durante o treinamento de corredores velocistas e fundistas

Autores

  • Herbert Gustavo Simões Universidade Católica de Brasília
  • Fabiana Marconi Universidade de Mogi das Cruzes
  • Carmen Silvia Grubert Campbell Universidade de Mogi das Cruzes
  • Flávia de Oliveira Universidade de São Paulo
  • Luis Fernando Bicudo Pereira Costa Rosa Universidade de São Paulo
  • Vilmar Baldissera Universidade Federal de São Carlos

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1807-55092004000100004

Palavras-chave:

Testosterona, Cortisol, Corredores, Treinamento, RazãoT/C, Lactato mínimo

Resumo

A razão entre as concentrações dos hormônios Testosterona e Cortisol (T/C) tem sido utilizada para um melhor controle das cargas de treinamento. Os objetivos deste estudo foram investigar e comparar o comportamento da razão T/C e sua relação com o volume e intensidade realizados durante um período de treinamento de atletas velocistas e fundistas. Corredores velocistas (CV-25,8 ± 3,5anos; 174 ± 7,2 cm, 71,1 ± 3,7 kg; n = 6) e fundistas (CF-27,5 ± 8,7 anos, 174 ± 3,8 cm, 67,7 ± 5,8 kg; n = 6), executaram o seguinte teste padronizado de corrida pré e pós um mesociclo de treino: 1 x 500 m à máxima intensidade e 6 x 800 m progressivos. Sangue venoso (5 ml) foi coletado em repouso, após a corrida de 500 m e ao final de 6 x 800 m para determinação das concentrações de testosterona e cortisol (radioimunoensaio). Os fundistas realizaram um maior volume de treinamento, enquanto os velocistas realizaram treinamentos de menor volume, porém mais intensos e com maior participação anaeróbia. Não houve diferen- ça significante para os valores médios da razão T/C para ambos os grupos após o período de treinamento. No entanto, quando se observa o comportamento individual da razão T/C, nota-se uma resposta adaptativa adequada para alguns indivíduos e inadequadas para outros, sendo que a maior incidência de queda da razão T/C foi observada entre os CF. Conclui-se que a utilização da razão T/C para o controle das cargas de treinamento deve ser feita individualmente, e que aparentemente esta variável sofre uma maior influência do volume do treinamento do que da intensidade do mesmo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2004-03-01

Como Citar

Simões, H. G., Marconi, F., Campbell, C. S. G., Oliveira, F. de, Rosa, L. F. B. P. C., & Baldissera, V. (2004). Resposta da razão testosterona/cortisol durante o treinamento de corredores velocistas e fundistas . Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 18(1), 31-46. https://doi.org/10.1590/S1807-55092004000100004

Edição

Seção

naodefinida