Corrida em piscina profunda para melhora da aptidão física de mulheres obesas na meia idade: estudo experimental de grupo único

  • Sérgio Ricardo Pasetti Universidade de Campinas; Faculdade de Educação Física
  • Aguinaldo Gonçalves Universidade de Campinas; Faculdade de Educação Física
  • Carlos Roberto Padovani Universidade Estadual Paulista; Departamento de Bioestatística
Palavras-chave: Obesidade, Mulheres, Exercícios, Ambiente aquático, Aptidão física

Resumo

Este trabalho teve como objetivo verificar a melhora da força, flexibilidade, resistência cardiorrespiratória e composição corporal em 31 mulheres obesas sedentárias e saudáveis (idade 38 a 55 anos), sem restrição alimentar, através da prática da Corrida em Piscina Profunda (CPP). Esta atividade é realizada em piscina funda em que o praticante utiliza flutuador preso à cintura, que permite manter o corpo submerso até a linha dos ombros com segurança, sem que haja contato com o fundo da mesma para realização do movimento de corrida. A intervenção teve duração de 17 semanas, com três sessões semanais de 52 minutos de duração, em estudo experimental de grupo único com avaliações inicial e final. No plano analítico utilizou-se teste t de Student para amostras pareadas no nível de 5% de significância. Os resultados obtidos indicam: manutenção do peso (p >; 0,05), melhora da flexibilidade (p < 0,05) e da força (p < 0,05), redução da gordura corporal (p < 0,05) e aumento da condição cardiorrespiratória (p < 0,05). Diante de tais achados observou-se que a prática da CPP pode ser considerada no controle e redução da gordura corporal e melhora da aptidão física em mulheres obesas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2006-12-01
Como Citar
Pasetti, S., Gonçalves, A., & Padovani, C. (2006). Corrida em piscina profunda para melhora da aptidão física de mulheres obesas na meia idade: estudo experimental de grupo único . Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 20(4), 297-304. https://doi.org/10.1590/S1807-55092006000400007
Seção
naodefinida