O que pensam os estudantes sobre a formação profissional em Educação Física

  • Rubiane Giovani Fonseca Universidade Estadual de Maringá
  • Larissa Michelle Lara Universidade Estadual de Maringá
Palavras-chave: Escolhas profissionais, Grupo focal, Conhecimento, Ensino profissional

Resumo

Este estudo teve como propósito verificar o que pensam os estudantes sobre o processo de formação profissional e quais as orientações dos próprios alunos para a seleção de conhecimentos considerados relevantes para subsidiar sua atuação profissional. Para tanto, optamos pela técnica de Grupos Focais, com dois grupos de estudantes de Educação Física da Universidade Estadual de Maringá: um com sete alunos de primeiro ao terceiro ano do curso e o outro constituído por cinco alunos do terceiro e quarto ano do curso. Cada encontro originou material de vídeo e áudio, transcrito e analisado posteriormente de forma a identificar padrões relacionados e aplicados ao problema de estudo. Identificamos duas categorias temáticas: a) Considerações sobre o curso de formação e expectativas para o campo profissional na Educação Física, que retratou o impacto da configuração curricular do curso e o impacto da ação docente na orientação profissional; b) Uso dos conhecimentos pelos estudantes de Educação Física, que descreve as características das redes de conhecimentos estabelecidas pelos estudantes no processo de formação. Tais categorias demonstraram que as demandas no mercado de trabalho levou a área a adaptar seus conteúdos e currículos, embora tais mudanças não tenham refletido nas condições da formação profissional, nem tampouco contemplaram as concepções dos docentes em relação ao ensino profissional, ressaltando fragilidades na lógica da formação universitária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rubiane Giovani Fonseca, Universidade Estadual de Maringá

Departamento de Educação Física, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil.

Larissa Michelle Lara, Universidade Estadual de Maringá

Departamento de Educação Física, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil.

Referências

Gamboa SS. Epistemologia da educação física. Maceió: Edufal, 2007.

Frizzo GFE. A produção do conhecimento da educação física no Programa de Pós-Graduação em Ciências do Movimento Humano da UFRGS. Pensar Prát. 2010;13(3),1-16.

Barato JN. A técnica como saber: investigação sobre o conteúdo do conhecimento do fazer [tese]. Campinas (SP): Universidade Estadual de Campinas; 2003.

Britto, LPL, Silva, EO, Castilho, KC, Abreu, TM. Conhecimento e formação nas IES periféricas perfil do aluno “novo” da educação superior. Avaliação. 2008;13(3),777-91.

Marcon D. Construção do conhecimento pedagógico do conteúdo dos futuros professores de Educação Física [tese ]. Porto: Universidade do Porto; 2011.

Oliveira CT, Santos AS, Dias ACG. Percepções de estudantes universitários sobre a realização de atividades extracurriculares na graduação. Psicol Ciênc Prof , 2016 [citado 2019 fev. 28];36(4),864-76. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1590/1982-3703003052015.

Snape D, Spencer L. The foundations of qualitative research. In: Richie J, Lewes J. Qualitative research practice. Thousand Oaks: Sage; 2008. p. 1-23.

Piovesan A, Temporini ER. Pesquisa exploratória: procedimento metodológico para o estudo de fatores humanos no campo da saúde pública. Rev Saúde Pública. 1995;29(4),318-25.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8a ed. São Paulo: Hucitec; 2000.

Carlini–Cotrim B. Potencialidades da técnica qualitativa de grupo focal em investigações sobre o abuso de substâncias. Rev Saúde Pública. 1996;30(3):285-93.

Kamberelis G, Dimitriadis G. Focus groups: strategic articulations of pedagogy, politics and inquiry. In: Denzin N, Lincoln Y, organizadores. Handbook of qualitative research. 2a ed. Thousand Oaks: Sage; 2000. p. 887-907.

Madriz E. Focus groups in feminist research. In: Denzin N, Lincoln Y, organizadores. Handbook of qualitative research. 2a ed. Thousand Oaks: Sage; 2000. p. 235-50.

Krueger R. Focus groups: a practical guide for applied research. 2a ed. London: Sage; 1994.

Gatti BA. Grupo focal na pesquisa em ciências sociais e humanas. Brasília: Líber Livro; 2005.

Ritchie J. Spencer L. O’Connor W. Carrying out qualitative analysis. In: Richie J, Lewes J. Qualitative research practice. Thousand Oaks: Sage; 2008. p. 219-62.

Twinn S. The analysis of focus group data: A challenge to the rigour of qualitative research. J Res Nurs. 2000;5(2):140-46.

Gondim SMG. Perfil profissional e mercado de trabalho: relação com a formação acadêmica pela perspectiva de estudantes universitários. Estud Psicol (Natal). 2002;7(2),299-309.

Assad LG, Viana LO. Saberes práticos na formação do enfermeiro. Rev Bras Enferm. 2003;56(1),44-7.

Silva RA, Zanelli JC. O discurso real e o discurso ideal de professores de Educação Física do ensino superior sobre docência. Movimento (Porto Alegre). 2010;16(3),133-54.

Lazzarotti Filho A, Silva AM, Antunes PC, Salles da Silva AP, Leite J. O termo práticas corporais na literatura científica brasileira e sua repercussão no campo da Educação Física. Movimento (Porto Alegre). 2010;15(1),11-29.

Proni MW. Universidade, profissão educação física e mercado de trabalho. Motriz. 2010;16(3),788-98.

Nascimento JV. Formação do profissional de educação física e as novas diretrizes. In: Neto SS, Hunger D, organizadores. Formação profissional em Educação Física. Rio Claro: Biblioteca; 2006. p. 59-75.

Hunger DACF, Souza Neto SS, Pereira JM, Franco FC, Rossi F. Formação acadêmica em Educação Física. Motriz. 2009;15(1):79-91.

Ennis CD. Knowledge and beliefs underlying curricular expertise. Quest. 1994;46:164-75.

Freire ES. Preparação profissional em Educação Física. REMEFE. 2007;6:147-54.

Nascimento JV, Ramos V, Marcon D, Saad MA, Collet C. Formação acadêmica e intervenção pedagógica nos esportes. Motriz. 2009;15(2):358-66.

Pimenta BJF. Descrição dos saberes sobre a aprendizagem motora por docentes universitários [monografia]. Londrina (PR): Universidade Estadual de Londrina; 2011.

Huberman M. O ciclo de vida profissional. In: Nóvoa A, organizador. Vidas de professores. Porto: Porto; 1992. p. 31-59.

Coll C, Pozo JI, Sarabia B, Valls E. Os conteúdos na reforma: ensino e aprendizagem de conceitos, procedimentos e atitudes. Porto Alegre: Artmed; 2000.

Carboneau M, Hétu JC. Formação prática dos professores e nascimento de uma inteligência profissional. In: Paquay L, organizador. Formando professores profissionais: quais estratégias? Quais competências? Porto Alegre: Artmed; 2001. p. 67-84.

Peres CM, Andrade AS. Atividades extracurriculares: percepções e vivências durante a formação médica. In: Biasoli-Alves ZMM, Alves IMFM, organizadores. Programa de Pós-Graduação em Psicologia-FFCLRP-USP. Ribeirão Preto: Legis Summa; 2005. p. 153-63.

Pimenta SG. Formação de professores. In: Pimenta SG, organizador. Saberes pedagógicos e atividade docente. 2a ed. São Paulo: Cortez; 2000. p. 15-34.

Abbott A. The system of professions. Chicago: University of Chicago Press; 1988.

Tardif M. Saberes docentes e formação profissional. 13a ed. Petrópolis: Vozes; 2012.

Kougnoff W. A face oculta da universidade. São Paulo: Editora da Unesp; 1990.

Schön DA. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed; 2000.

Lebacqz, Karen. Professional ethics: power and paradox. Nashville: Abingdon Press; 1992.

Bracht V. Educação Física e ciência: cenas de um casamento (in)feliz. 3a ed. Ijuí: Editora Unijuí; 2007.

Soriano JB Formação profissional em educação física: da orientação acadêmica à intervenção profissional. REMEFE. 2010;9 Supl. 1:21-5.

Publicado
2018-12-20
Como Citar
Fonseca, R., & Lara, L. (2018). O que pensam os estudantes sobre a formação profissional em Educação Física. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 32(2), 263-276. https://doi.org/10.11606/1807-5509201800020263
Seção
Artigos