"A carne mais barata do mercado é a carne negra: uma reflexão sobre o "design" das camisas da Puma na Copa do Mundo de Futebol/2010

Autores

  • Victor Andrade de Melo Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Fabiana Resende Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Alexandre Palma Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Monique Assis Universidade Gama Filho

DOI:

https://doi.org/10.1590/S1807-55092011000200012

Palavras-chave:

Corpo, Publicidade, África

Resumo

A Puma, uma empresa de material esportivo, desde meados da primeira década do século XXI tem constantemente utilizado jogadores negros em suas campanhas publicitárias, parte de uma estratégia de busca de aproximação com o continente africano. À beira da falência no início dos anos 90, a empresa conseguiu se reposicionar no mercado unindo o esporte à moda, investindo em produtos de "design" arrojado. Uma de suas iniciativas foi buscar inspiração no "caráter exótico" das nações africanas para produzir peças que possam ser utilizadas em situações cotidianas, não só para a prática de esportes. Como o corpo do negro africano tem sido representado em suas estratégias publicitárias? Esse estudo teve por objetivo analisar um ponto específico da publicidade da Puma por ocasião da Copa do Mundo de Futebol de 2010, realizada na África do Sul: o "design" das camisas fornecidas a três seleções africanas - Camarões, Costa do Marfim e Gana. Para alcance do objetivo, entabulamos uma comparação com os modelos das camisas fornecidas pela empresa a outros selecionados (Suíça, Uruguai e Itália), prospectando o quanto suas ações publicitárias reforçam ou não certos estereótipos comumente observados quando se utilizam negros em campanhas de publicidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-06-01

Como Citar

Melo, V. A. de, Resende, F., Palma, A., & Assis, M. (2011). "A carne mais barata do mercado é a carne negra: uma reflexão sobre o "design" das camisas da Puma na Copa do Mundo de Futebol/2010 . Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 25(2), 313-322. https://doi.org/10.1590/S1807-55092011000200012

Edição

Seção

naodefinida