Impacto do programa de fisioterapia aquática funcional em idosos com hipertensão arterial

  • Bianca Ferdin Carnavale Universidade do Sagrado Coração, Bauru, SP, Brasil
  • Bruna Pianna Universidade do Sagrado Coração, Bauru, SP, Brasil
  • Camila Gimenes Universidade do Sagrado Coração, Bauru, SP, Brasil
  • Silvia Regina Barrile Universidade do Sagrado Coração, Bauru, SP, Brasil
  • Guilherme Eleutério Alcalde Universidade do Sagrado Coração, Bauru, SP, Brasil
  • Júlia Moretto Moratelli Universidade do Sagrado Coração, Bauru, SP, Brasil
  • Eduardo Aguilar Arca Universidade do Sagrado Coração, Bauru, SP, Brasil

Resumo

O objetivo do estudo foi verificar a influência do programa de fisioterapia aquática na aptidão funcional, pressão arterial e qualidade de vida em idosos hipertensos. Os voluntários foram alocados por conveniência em dois grupos: grupo aquático (GA), que foram submetidos ao programa de fisioterapia aquática e o grupo controle (GC). A coleta de dados constituiu das medidas da pressão arterial, aplicação dos testes de caminhada de 6 minutos (TC6), flexibilidade, timed up and go (TUG) e questionário de qualidade de vida WHOQOL-bref, nos momentos pré e pós-intervenção aquática. O programa de intervenção teve duração de 16 semanas, sendo constituído por exercícios aeróbicos e funcionais. Para os dados paramétricos, foram utilizados os testes t de Student para duas amostras independentes para comparação dos grupos e duas amostras pareadas para comparação dos momentos. Para os dados não paramétricos foram aplicados os testes de Mann-Whitney para comparação dos grupos e Wilcoxon para comparação dos momentos. Em todos os testes, foi considerado resultado estatisticamente significante quando p < 0,05. Na comparação entre os grupos houve diferença nos momentos pós do teste de flexibilidade de 18,95 (10,20-36,03) cm no GA para 10,50 (5,73-21,83) cm (p = 0,02) no GC. Na comparação entre os momentos houve modificações dos valores do teste de flexibilidade de 11,80
(3,0-27,30) cm para 15,05 (10,20-36,03) cm (p = 0,01) e do TC6 de 409,25 (300,0-600,0) m para 488,50 (349,0-616,0) m (p = 0,002) no GA. Pode-se inferir que a fisioterapia aquática contribui para a melhora da aptidão funcional em idosos com doenças crônicas não transmissíveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-05-28
Como Citar
Carnavale, B., Pianna, B., Gimenes, C., Barrile, S., Alcalde, G., Moratelli, J., & Arca, E. (2020). Impacto do programa de fisioterapia aquática funcional em idosos com hipertensão arterial. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 32(4), 513-521. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/rbefe/article/view/170197
Seção
Artigos