Perfil de lesões em atletas brasileiros de rugby em cadeira de rodas

Autores

  • Daniela Clarissa Bazanella Universidade Federal do Paraná, Matinhos, PR, Brasil
  • Mariane de Freitas Alves Machado Universidade Federal do Paraná, Matinhos, PR, Brasil
  • Simone Zatesko Universidade Federal do Paraná, Matinhos, PR, Brasil
  • Audrin Said Vojciechowski Universidade Federal do Paraná. Departamento de Educação Física, Curitiba, PR, Brasil
  • Luize Bueno Araujo Universidade Federal do Paraná, Matinhos, PR, Brasil
  • Raciele Ivandra Guarda Korelo Universidade Federal do Paraná. Departamento de Fisioterapia, Curitiba, PR, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v32i4p521-532

Resumo

O estudo objetivou verificar o perfil das lesões em atletas brasileiros praticantes de rugby em cadeira de rodas (RCR). Trata-se de pesquisa de corte transversal, com 72 atletas de RCR, distribuídos entre 8 equipes brasileiras. Os dados foram coletados por meio de questionário semiestruturado do tipo recordatório, contemplando caracterização demográfica, esportiva (time, tipo de cadeira para prática esportiva, tempo da prática esportiva, classificação funcional, frequência e duração de treinamento) e das lesões (tipo da lesão, local acometido, mecanismo e momento da lesão, tratamento e afastamento). Os resultados mostraram que 66,67% dos atletas apresentaram algum tipo de lesão durante a prática esportiva, sendo que a maioria (75,5%) ocorreu durante os treinos. Maior acometimento foi em membros superiores, sendo em sua maioria no sistema tegumentar (abrasão, bolha e calo). A tendinite apresentou maior frequência (9%) dentre as lesões que acometeram o sistema musculoesquelético, seguida por distensão (3,3%) e luxação (2,5%). Não houve correlação entre a quantidade das lesões e o tempo de prática e/ou classificação funcional. Portanto, nosso estudo revelou de alta incidência de lesões com a prática esportiva, sendo a maior parte delas sem gravidade tendo como agente causal a condução da cadeira de rodas. Assim, evidencia-se a necessidade de estratégias e profissionais habilitados atuando na promoção, prevenção e reabilitação; além do acompanhamento a longo prazo, uma vez que é um esporte considerado novo no cenário brasileiro e que envolve contato físico e níveis elevados de condicionamento físico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-12-12

Como Citar

Bazanella, D. C., Machado, M. de F. A., Zatesko, S., Vojciechowski, A. S., Araujo, L. B., & Korelo, R. I. G. (2018). Perfil de lesões em atletas brasileiros de rugby em cadeira de rodas. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 32(4), 521-532. https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v32i4p521-532

Edição

Seção

Artigos