Inferência Baseada em Magnitudes na investigação em Ciências do Esporte

a necessidade de romper com os testes de hipótese nula e os valores de p

  • Rui Marcelino Research Centre in Sports Sciences, Health Sciences and Human Development. CreativeLab Research Community, Vila Real, Portugal; University of Trás-os-Montes and Alto Douro, Vila Real, Portugal; University Institute of Maia, Maia, Portugal.
  • Bruno Natale Pasquarelli Universidade Estadual de Campinas, São José dos Campos, SP, Brasil
  • Jaime Sampaio Research Centre in Sports Sciences, Health Sciences and Human Development. CreativeLab Research Community, Vila Real, Portugal; University of Trás-os-Montes and Alto Douro, Vila Real, Portugal
Palavras-chave: Estatísticas Progressivas, Análises Quantitativas, Desenho Metodológico, Significância Clínica/Prática, Inferência Qualitativa

Resumo

As investigações em ciências do esporte sustentam-se frequentemente em inferências baseadas na declaração de um valor estatisticamente significativo, ou não significativo, com base no valor de p que deriva dos testes de hipótese nula. Considerando que os estudos são iminentemente amostrais, o recurso aos testes de hipótese nula apenas possibilita estimar os valores verdadeiros (população) das estatísticas utilizadas. Contudo, tem crescido a evidência, em diversas áreas do conhecimento, de que esta abordagem origina frequentemente interpretações confusas e até erradas7. Para ultrapassar esta limitação têm surgido recentemente recomendações no sentido de sustentar as análises estatísticas com abordagens que recorram a interpretações mais intuitivas e mais práticas, baseadas sobretudo nas magnitudes (certezas/incertezas) dos valores verdadeiros encontrados. Com o intento de fornecer pistas alternativas aos desenhos metodológicos recorrentemente utilizados na investigação em ciências do esporte, neste trabalho procuraremos i) enunciar sucintamente algumas das fragilidades associadas aos testes de hipótese nula sustentados no valor de p; ii) refletir sobre as implicações da utilização da significância prática/clínica em oposição à significância estatística; iii) apresentar propostas de utilização das técnicas de inferências baseadas na magnitude, particularmente na visualização e interpretação dos resultados; iv) apresentar as principais limitações do uso das inferências baseadas em magnitudes. Assim, neste artigo de atualização desencoraja-se, de forma sustentada e fundamentada, o uso dos testes de significância baseados apenas no conceito de hipótese nula. Em alternativa, propõe-se a utilização de métodos de inferências baseados em magnitudes por possibilitarem interpretações dos efeitos práticos/clínicos dos resultados obtidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-06-02
Como Citar
Marcelino, R., Pasquarelli, B., & Sampaio, J. (2019). Inferência Baseada em Magnitudes na investigação em Ciências do Esporte. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 33(4), 667-676. https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v33i4p667-676
Seção
Artigos