Análise eletromiográfica do músculo deltoide em diferentes posições de contração isométrica voluntária máxima

Autores

  • Cláudia Silveira Lima Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Bruno Tomasi Kuckartz Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Cleiton Silva Correa Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Cristine Marsico Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Rafael Cristane Michel Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Ronei Silveira Pinto Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v34i2p205-214

Palavras-chave:

Eletromiografia, Ombro, Força Muscular, Músculo Esquelético

Resumo

Diferentes posições articulares são utilizadas para realizar a contração isométrica voluntária máxima (CIVM) que servirá de referência para normalização do sinal eletromiográfico (EMG), porém em muitas destas posições não se verifica a máxima ativação do músculo deltoide. O objetivo deste estudo foi comparar a atividade elétrica das três partes deste músculo em diferentes posições articulares durante CIVMs e determinar em quais dessas são obtidas as maiores ativações musculares, para utilização na normalização do sinal EMG. A amostra foi constituída de 12 indivíduos do sexo masculino com idades entre 20 e 30 anos, treinados em força. Foi mensurada a ativação a partir da utilização da eletromiografia de superfície em seis posições articulares para a parte clavicular do músculo deltoide e em mais seis posições articulares para as partes acromial e espinal. Foi calculada, posteriormente, o valor RMS do sinal EMG de cada porção do músculo deltóide (clavicular, acromial e espinal). Para comparar essas ativações em relação ao fator posição, que inclui as seis posições de CIVM avaliadas, aplicou-se ANOVA de medidas repetidas, com teste post-hoc LSD, adotando um nível de significância de 5%. Para a parte clavicular do músculo deltoide, a posição de maior valor RMS foi em pé com flexão de ombro a 90° e realizando uma flexão do ombro; para as partes espinal e acromial foi em pé com abdução de ombro a 90º e executando uma  extensão horizontal. Assim, estas posições articulares parecem ser as mais propícias para mensuração da máxima ativação das três partes do músculo deltoide durante as CIVMs, sendo adequada a utilização do sinal EMG obtido nestas condições para o posterior processo de normalização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-06-20

Como Citar

Lima, C. S., Kuckartz, B. T., Correa, C. S., Marsico, C., Michel, R. C., & Pinto, R. S. (2020). Análise eletromiográfica do músculo deltoide em diferentes posições de contração isométrica voluntária máxima. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 34(2), 205-214. https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v34i2p205-214

Edição

Seção

Artigos