Análise cinemática dos membros superiores em atletas de Rugby em cadeira de rodas:

estudo observacional

  • Alexsandro da Silva Oliveira Centro Universitário Augusto Motta
  • Diego Ramirez Universidade Estadual do Rio de Janeiro
  • Luiz Alberto Batista Universidade do Estado Rio de Janeiro
  • Patrícia dos Santos Vigário Centro Universitário Augusto Motta
  • Julio Guilherme Silva Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Cinemática, Cadeira de Rodas, Tetraplegia, Esportes para Pessoas com Deficiência

Resumo

O objetivo do presente estudo foi identificar o comportamento cinemático dos membros superiores (MMSS) de atletas de Rugby em Cadeira de Rodas (RCR) durante a tarefa de propulsão na cadeira de rodas. Neste estudo seccional foi realizada uma análise cinemática bidimensional dos MMSS de 19 atletas de RCR (idade = 31,5 ± 5,6), durante o teste de velocidade de 20 metros (VEL). Foram considerados os seguintes parâmetros: ângulos articulares, classe funcional e o questionário Wheelchair User’s Shoulder Pain Index (WUSPI). A análise dos dados foi realizada com extração de valor de tendência central (média) e valor de dispersão (desvio padrão). As correlações foram verificadas pelo coeficiente de correlação de Spearman e Pearson. As variáveis cinemáticas analisadas estão descritas a seguir: ângulo de impulsão (89,7° ± 18,9), impulsão inicial (31° ± 10,4), impulsão final (66° ± 9,6), ângulo de contato (97,1° ± 3,8), flexão de cotovelo (94,2° ± 13,3), extensão de ombro (66,6° ± 10,6), VEL (7,7s± 2,3) e ciclos de propulsão (16,1 ± 1,4).  Foi observado uma correlação significativa entre a Classificação Funcional (CF) e o VEL (rho = -0,70, p < 0,05), assim como entre o tempo de prática de RCR com o VEL (rho = 0,54, p < 0,05). No que diz respeito à identificação do grau de função dos MMSS, os atletas apresentaram boa funcionalidade com uma pontuação média no WUSPI de 17,8 ± 8 pontos. Os atletas de RCR apresentaram um padrão cinemático com poucas variações espaço-temporais. Entretanto, foi possível observar que alguns atletas tiveram melhor desempenho no teste de velocidade, principalmente os atletas com maior tempo de prática de RCR e com CF mais alta.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-06-21
Como Citar
Oliveira, A., Ramirez, D., Batista, L. A., Vigário, P., & Silva, J. (2020). Análise cinemática dos membros superiores em atletas de Rugby em cadeira de rodas:. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 34(2), 283-293. https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v34i2p283-293
Seção
Artigos