Por uma educação física antirracista

Autores

  • Carolina Cristina dos Santos Nobrega Prefeitura de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v34i0p51-61

Palavras-chave:

Educação em direitos humanos negros, Educação antirracista, Educação física, Feminismo negro, Equidade racial

Resumo

O presente artigo discute a contribuição dos docentes negros de educação física no exercício da pedagogia da diversidade. Metodologicamente, optou-se pelo estudo teórico, análise de conteúdo e entrevistas semiestruturadas. A pesquisa apontou que os docentes negros ressignificaram a função social da educação física escolar por meio dos relatos de experiência que legitimam a relevância da diversidade étnico-racial no currículo desse componente, sendo este um caminho viável e potente no combate ao racismo e às desigualdades. Os resultados apontaram os saberes necessários para a construção da educação física antirracista; o reconhecimento das coordenadoras pedagógicas, que perceberam a contribuição das aulas de educação física na construção da identidade afro-brasileira dos discentes e o processo de apropriação das questões étnico-raciais na área em defesa da educação em e para os direitos humanos negros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Carneiro S. Sobrevivente, testemunha, porta-voz. [Entrevista]. Rev Cult. (São Paulo). 2017; 223:13-20.

Carneiro S. Escritos de uma vida. São Paulo: Pólen Livros; 2019.

Gomes NL. Cultura negra e educação. Rev Bras Educ. 2003;23:75-85.

Gomes NL. O Movimento Negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação. Petrópolis: Vozes; 2017.

Gomes NL, Oliveira FS, Souza KCC. Diversidade étnico-racial e trajetórias docentes: um estudo etnográfico em escolas públicas. In: Abramowicz A, Gomes N, organizadoras. Educação e raça: perspectivas políticas, pedagógicas e estéticas. Belo Horizonte: Autêntica; 2010. p. 57-74.

Marques EPS. O acesso à educação superior e o fortalecimento da identidade negra. Rev Bras Educ. 2018;23:1-23. [citado 2 Abr. 2020] Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v23/1809-449X-rbedu-23-e230098.pdf.

Pires TRO. Racializando o debate sobre direitos humanos: limites e possibilidades da criminalização do racismo no Brasil. SUR. 2018;28:65-75.

Nobrega CCS. Educação antirracista no município de São Paulo: análise das experiências pedagógicas na área de educação física escolar [dissertação]. São Paulo (SP): Universidade Federal de São Paulo, Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas; 2019.

Silva PVB, Araújo DC. Educação em Direitos Humanos e Promoção da Igualdade Racial. Linhas Críticas. 2011;34:483-505.

Brasil. Relatório do Comitê Nacional para a Preparação da Participação Brasileira na III Conferência Mundial das Nações Unidas contra o Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerância Correlata. Brasília, DF: Ministério da Justiça; 2001.

Cassol PD. “Pra matar preconceito eu renasci”: o samba como uma ferramenta de emancipação em Direitos Humanos [dissertação]. Rio de Janeiro (RJ): Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade Nacional de Direito; 2019.

Paim EA, Pinheiro PM, Paula JB. Educação, relações etnicorraciais e decolonização na práxis de professores/as. Perspectiva. 2019;2:437-52.

Herrera Flores J. A reinvenção dos direitos humanos. Florianópolis: Fundação Boiteux; 2009.

Artes A, Unbehaum S. Escritos de Fúlvia Rosemberg. São Paulo: Cortez; 2015.

Silvério VR, Sousa KA. A socialização e a identidade: a escola e o dilema étnico-racial. In: Abramowicz A, Gomes N, organizadoras. Educação e raça: perspectivas políticas, pedagógicas e estéticas. Belo Horizonte: Autêntica; 2010. p. 97-120.

Sales Júnior RL. Raça e justiça o mito da democracia racial e o racismo institucional no fluxo de justiça [tese]. Recife: Universidade Federal de Pernambuco; 2006.

Munanga K. Negritude afro-brasileira: perspectivas e difi culdades. Rev. Antropol. 1990;33:109-17.

Guimarães ASA. Raça e os estudos de relações raciais no Brasil. Novos Estudos CEBRAP. 1999;54:149-56.

Hofbauer A. O conceito de “raça” e o ideário do “branqueamento” no século XIX: bases ideológicas do racismo brasileiro. Teoria Pesq. 2003;42-43;63-110.

Schucman LV. Racismo e Antirracismo: a categoria raça em questão. Rev Psicol Polít. 2010;19:41-55.

Silva PVB. A formação docente sob a ótica dos direitos humanos: diversidades etnicorraciais. In: Ferreira LFG, Zenaide MNT, Dias AA, organizadoras. Direitos Humanos na Educação Superior: Subsídios para a Educação em Direitos Humanos na Pedagogia. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB; 2010. p. 277-310.

Souza NS. Tornar-se negro. As vicissitudes da identidade do negro brasileiro em ascensão social. Rio de Janeiro: Graal; 1983.

Guimarães ASA. Preconceito e discriminação: queixas de ofensas e tratamento desigual dos negros no Brasil. São Paulo: Editora 34; 2004.

Abramowicz A, Oliveira F, Rodrigues, TC. A criança negra, uma criança e negra. In: Abramowicz A, Gomes N, organizadoras. Educação e raça: perspectivas políticas, pedagógicas e estéticas. Belo Horizonte: Autêntica; 2010. p. 75-96.

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional da Educação. Parecer CNE/CP nº 3, de 10 de março de 2004. Dispõe sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino da História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, DF, 2004. [citado 11 Abr. 2017]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/003.pdf.

Brasil. Lei nº 12.288, de 20 de julho de 2010. Institui o Estatuto da Igualdade Racial; altera as Leis nos 7.716, de 5 de janeiro de 1989, 9.029, de 13 de abril de 1995, 7.347, de 24 de julho de 1985, e 10.778, de 24 de novembro de 2003. Brasília, DF, 2010. p. 16. [citado 2 Abr. 2020]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12288.htm.

Brasil. Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”, e dá outras providências. Brasília, DF, 2003. [citado 2 Abr. 2020]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2003/L10.639.htm.

Moraes, R H. Nos meandros do processo de formação da identidade profissional de professoras e professores negros [dissertação]. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, Centro de Educação e Ciências Humanas; 2006.

Pinto UA. Didática e a docência em contexto. In: Marin A, Pimenta SG, organizadoras. Didática: teoria e pesquisa. São Paulo: Junqueira & Marin; 2015. p. 113-24.

Freire P. Pedagogia da Esperança. Um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 1992.

Hardt M, Negri A. Multidão: guerra e democracia na era do Império. Rio de Janeiro/São Paulo: Record; 2005.

Downloads

Publicado

2020-07-31

Como Citar

Nobrega, C. C. dos S. (2020). Por uma educação física antirracista. Revista Brasileira De Educação Física E Esporte, 34(Esp.), 51-61. https://doi.org/10.11606/issn.1981-4690.v34i0p51-61