Emissão de Dívida e Gerenciamento de Resultados*

  • Bianca Piloto Sincerre Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
  • Joelson O. Sampaio Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado; Departamento de Administração
  • Rubens Famá Universidade de São Paulo; Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade; Departamento de Administração
  • José Odálio dos Santos Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; Departamento de Administração

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar o gerenciamento de resultados (GR) por ocasião do evento de emissão de títulos de dívidas (debêntures) das empresas listadas na BM&FBOVESPA. O GR é uma intervenção proposital nos relatórios financeiros externos, a fim de obter algum ganho privado. Essa prática é especialmente importante no momento de emissão de debêntures; isso porque, se os resultados forem inflados, os investidores podem pagar um preço artificialmente elevado. Para mensurar o gerenciamento de resultados, utilizaram-se como proxy as acumulações discricionárias correntes com base nos modelos econométricos de Jones Modificado e Jones Modificado com ROA. Todas as regressões consideraram os efeitos fixos das empresas e efeitos temporais das análises. Encontraram-se evidências de que as empresas inflam seus resultados financeiros no período de emissão, com a finalidade de influenciar positivamente seus investidores. Os resultados sugerem que há gerenciamento no trimestre que antecede a emissão (t = -1), apontando a influência que os investidores podem ter sofrido na sua decisão de investir em debêntures dessas empresas. Adicionalmente, constatou-se que empresas com maiores índices de endividamento, rentabilidade e crescimento de vendas apresentam maiores níveis de gerenciamento de resultados. A reputação do auditor não se mostrou estatisticamente significante em relação à redução do nível de gerenciamento. Os resultados também apontam que empresas listadas no Nível II e no Novo Mercado apresentaram maiores níveis de gerenciamento, ao considerar o modelo de Jones Modificado com ROA. Portanto, pode-se concluir que há maior nível de gerenciamento de resultados das empresas que emitem debêntures no período que antecede a emissão. Finalmente, a variável que está diretamente relacionada com o nível de gerenciamento é o crescimento de vendas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-12-01
Como Citar
Sincerre, B., Sampaio, J., Famá, R., & Santos, J. (2016). Emissão de Dívida e Gerenciamento de Resultados* . Revista Contabilidade & Finanças, 27(72), 291-305. https://doi.org/10.1590/1808-057x201601660
Seção
Artigos