Cotas sociais, ações afirmativas e evasão na área de Negócios: análise empírica em uma universidade federal brasileira

  • Larissa Couto Campos Universidade Federal de Uberlândia; Faculdade de Ciências Contábeis
  • Thalyson Renan Bitencourt Machado Faculdade Católica do Tocantins
  • Gilberto José Miranda Universidade Federal de Uberlândia; Faculdade de Ciências Contábeis
  • Patrícia de Souza Costa Universidade Federal de Uberlândia; Faculdade de Ciências Contábeis

Resumo

A Teoria da Justiça de Ralws estabelece que uma sociedade justa deva permitir que os menos favorecidos tenham acesso às vantagens da cooperação social. Nessa linha de pensamento, as ações afirmativas estabelecidas pela Lei n. 12.711/2012 têm objetivo de promover a educação inclusiva no Ensino Superior. A avaliação do desempenho das ações afirmativas, especificamente do impacto dessas ações no nível de evasão, tem sido tema de debate na literatura científica. Além de representar uma frustração pessoal, a evasão está associada a perdas acadêmicas, sociais e econômicas significativas. Nesse contexto, o objetivo desta pesquisa é analisar se a adoção de ações afirmativas, conforme estabelecido pela Lei n. 12.711/2012, afeta as taxas de evasão de discentes de Ciências Contábeis e demais cursos da área de Negócios. O estudo foi realizado por meio de pesquisa documental em uma instituição de Ensino Superior (IES) pública brasileira. Os resultados da análise binominal apontaram que entre os 2.418 discentes que ingressaram no primeiro semestre de 2013, 520 (22%) evadiram-se até o final do primeiro semestre de 2014. Verificou-se que a taxa de evasão dos ingressantes na área de Negócios, tanto por ampla concorrência como por sistema de cotas, foi de 29%. No curso de Ciências Contábeis, a taxa de evasão dos ingressantes por ampla concorrência foi de 25% e pelo sistema de cotas foi de 23%. Ao contrário de outras pesquisas, este estudo constatou não haver diferenças estatísticas entre as taxas de evasão dos ingressantes das áreas de Negócios e de Ciências Contábeis por meio de ampla concorrência e de cotas, sugerindo que as ações afirmativas não afetam significativamente as taxas de evasão.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-04-01
Como Citar
Campos, L., Machado, T., Miranda, G., & Costa, P. (2017). Cotas sociais, ações afirmativas e evasão na área de Negócios: análise empírica em uma universidade federal brasileira . Revista Contabilidade & Finanças, 28(73), 27-42. https://doi.org/10.1590/1808-057x201702590
Seção
Artigos