Testes empíricos sobre o comportamento assimétrico dos custos nas empresas brasileiras

  • Otávio Ribeiro de Medeiros Universidade de Brasília; Depto. de Ciências Contábeis
  • Patrícia de Souza Costa Universidade de Brasília; Depto. de Ciências Contábeis
  • César Augusto Tibúrcio Silva Universidade de Brasília; Depto. de Ciências Contábeis
Palavras-chave: Comportamento Assimétrico, Custos, Empresas Brasileiras, Testes Empíricos

Resumo

Este estudo testa e confirma a hipótese de que os custos das empresas brasileiras apresentam elasticidade assimétrica em relação a variações nas receitas, ou seja, que os custos aumentam com maior intensidade quando a receita aumenta do que no sentido oposto, conforme evidências empíricas recentes com empresas norte-americanas. Ao contrário da evidência, no entanto, essa assimetria não parece diminuir quando se consideram períodos maiores do que um exercício. A confirmação de uma possível reversão parcial da assimetria quando se consideram períodos defasados, observada em pesquisas anteriores, é confirmada no estudo. A metodologia utilizada envolve diferentes tipos de regressão em panel data. O artigo pretende contribuir para o melhor conhecimento do comportamento dos custos das empresas brasileiras em relação a variações no seu nível de atividade, tema relevante para a sua administração, para os contadores e para os analistas financeiros externos. Utilizando uma amostra de 198 empresas num período de 17 anos, constatou-se que os modelos de custos assimétricos propostos por Anderson, Banker e Janakiraman (2003) são, parcialmente, aplicáveis ao Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2005-08-01
Como Citar
Medeiros, O., Costa, P., & Silva, C. (2005). Testes empíricos sobre o comportamento assimétrico dos custos nas empresas brasileiras . Revista Contabilidade & Finanças, 16(38), 47-56. https://doi.org/10.1590/S1519-70772005000200005
Seção
naodefinida