Conservadorismo em cinco países da América do Sul

  • Fábio Moraes da Costa Fundação Instituto Capixaba de Pesquisas em Contabilidade, Economia e Finanças
  • Alexsandro Broedel Lopes Universidade de São Paulo; Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade; Departamento de Contabilidade e Atuária
  • Alessandra Cristina de Oliveira Costa Universidade de São Paulo; Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade; Departamento de Contabilidade e Atuária
Palavras-chave: Conservadorismo, Contabilidade Internacional, Modelo de Basu

Resumo

Este estudo foi desenvolvido objetivando a avaliação de como o lucro contábil incorpora o retorno das ações de empresas argentinas, brasileiras, colombianas, peruanas e venezuelanas. Para tanto, o grau de assimetria de reconhecimento de boas e más notícias foi analisado utilizando-se o modelo de Basu (1997). Os resultados indicam uma baixa relação entre lucro corrente e retorno corrente. Tal fato pode ser explicado pela relação entre modelos de governança corporativa e seu relacionamento com a relevância da informação contábil, levando-se em conta seu ambiente institucional. Ressalte-se que foi observado um reconhecimento assimétrico entre más e boas notícias, evidenciando um certo grau de conservadorismo no lucro contábil. Este trabalho contribui para reduzir a lacuna existente na literatura internacional com relação ao papel da contabilidade em países em desenvolvimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2006-08-01
Como Citar
Costa, F., Lopes, A., & Costa, A. (2006). Conservadorismo em cinco países da América do Sul . Revista Contabilidade & Finanças, 17(41), 7-20. https://doi.org/10.1590/S1519-70772006000200002
Seção
naodefinida