Reação do mercado à alavancagem operacional: um estudo empírico no Brasil

  • José Alves Dantas Universidade Paulista; Departamento de Ciências Contábeis
  • Otávio Ribeiro de Medeiros UnB/ UFPB/UFPE/UFRN; Programa Multiinstitucional e Interregional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis
  • Paulo Roberto B Lustosa UnB/ UFPB/UFPE/UFRN; Programa Multiinstitucional e Interregional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis
Palavras-chave: Alavancagem Operacional, Retorno das Ações, Relação Lucro-Retorno, Utilidade da Informação Contábil

Resumo

Estudos que avaliam o impacto de informações contábeis nas variáveis do mercado de ações têm adquirido grande relevância na literatura contábil e se constituído em instrumento de avaliação da utilidade da informação contábil. O presente estudo segue a mesma lógica das pesquisas lucro-retorno, substituindo a medida de resultados contábeis pela de alavancagem operacional e tendo por base os dados das companhias listadas na Bovespa, dos setores de petróleo e gás, materiais básicos, bens industriais, construção e transporte, consumo não cíclico e consumo cíclico, referentes ao período entre o segundo trimestre de 2001 e o terceiro trimestre de 2004. A premissa considerada é a de que, como a alavancagem operacional, além de incorporar uma dimensão de resultado (o lucro operacional), é uma das determinantes do risco sistemático das ações, e de que há relação entre risco e retorno das ações, é possível inferir uma associação positiva entre o grau de alavancagem operacional e o retorno das ações. Os testes empíricos realizados com a utilização do método de dados em painel apresentam evidências de que a variável alavancagem operacional é estatisticamente relevante para explicar o comportamento do retorno das ações e que essa relação é positiva, conforme previsto teoricamente. Os resultados, também, demonstram que a relevância estatística aumenta quando são adotados parâmetros mais rigorosos para a consideração dos dados e as conclusões não são determinadas pelo comportamento dos valores extremos (outliers). Os testes de raízes unitárias nas séries e de autocorrelação e heteroscedasticidade nos resíduos reforçam a robustez dos resultados apurados.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2006-08-01
Como Citar
Dantas, J., Medeiros, O., & Lustosa, P. (2006). Reação do mercado à alavancagem operacional: um estudo empírico no Brasil . Revista Contabilidade & Finanças, 17(41), 72-86. https://doi.org/10.1590/S1519-70772006000200006
Seção
naodefinida