Abertura de capital no Brasil: percepções de executivos financeiros

  • Helen Cristina Steffen Universidade do Vale do Rio dos Sinos; Departamento de Ciências Econômicas
  • Francisco Antônio Mesquita Zanini Universidade do Vale do Rio dos Sinos; Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis
Palavras-chave: Teoria de Market Timing, Ciclo de vida, Percepções de executivos financeiros

Resumo

O presente estudo investigou as percepções dos executivos financeiros (CFO) sobre as Initial Public Offerings (IPOs) no Brasil, replicando grande parte da pesquisa de Brau, Ryan, e DeGraw (2006) nos Estados Unidos. Foi aplicada uma survey com 32 executivos financeiros de empresas que lançaram IPOs entre 2004 e 2008 no Brasil, e foram testadas duas teorias financeiras: a Teoria do Ciclo de Vida e a Teoria de Market Timing. Os resultados mostraram que os executivos no Brasil confirmam tanto as teorias do ciclo de vida quanto a teoria de Market Timing, e a teoria da estrutura ótima de capital. Os executivos não consideram os IPOs como forma de alterar o controle da empresa, e não consideram como desvantagens a perda de controle e confidencialidade com o IPO.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-08-01
Como Citar
Steffen, H., & Zanini, F. (2012). Abertura de capital no Brasil: percepções de executivos financeiros. Revista Contabilidade & Finanças, 23(59), 102-115. https://doi.org/10.1590/S1519-70772012000200003
Seção
Artigos