Evidenciação ambiental dos resíduos sólidos de companhias abertas no Brasil potencialmente poluidoras

  • Barbara de Lima Voss Universidade Federal de Santa Catarina; Departamento de Ciências Contábeis
  • Elisete Dahmer Pfitscher Universidade Federal de Santa Catarina; Departamento de Ciências Contábeis
  • Fabricia Silva da Rosa Universidade Federal de Santa Catarina; Departamento de Ciências Contábeis
  • Maisa de Souza Ribeiro Universidade de São Paulo; Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto; Departamento de Contabilidade

Resumo

Esta pesquisa tem como motivação a obrigatoriedade das empresas de apresentarem informações ambientais sobre os resíduos sólidos no ano de 2010. Parte da seguinte pergunta de pesquisa: como estão sendo evidenciadas as informações ambientais relativas aos resíduos sólidos das companhias abertas no Brasil potencialmente poluidoras no ano de 2010? Com vista a uma resolução plausível, tem-se como objetivo geral verificar a evidenciação ambiental quanto aos resíduos sólidos das companhias abertas no Brasil potencialmente poluidoras no ano de 2010. Para atingir esse objetivo, são estipulados os seguintes objetivos específicos: (i) propor um modelo para identificar itens de evidenciação ambiental dos resíduos sólidos; (ii) avaliar o nível da evidenciação ambiental e correlacioná-lo com variáveis financeiras. Para a análise dos dados é construído um modelo de análise da evidenciação ambiental dos resíduos sólidos (Waste-Ede), que compreende a junção das ideias contidas no modelo Environmental Disclosure Evaluation, na política nacional de resíduos sólidos (Lei Federal n. 12.305/2010) e nas diretrizes da Global Reporting Initiative (2006). Os resultados demonstram que a maioria das companhias não publicou o relatório de sustentabilidade. A amostra final não probabilística contemplou 86 companhias. Os resultados limitados a essa amostra revelam que as companhias estão evidenciando informações de resíduos sólidos no nível mercado (conforme modelo), com média de 12,44 pontos, e que há correlação significante em 95% do índice Waste-Ede com as variáveis financeiras: investimentos ambientais, ativo total, patrimônio líquido e receita bruta. Conclui-se que, no ano de 2010, as companhias abertas no Brasil potencialmente poluidoras que fizeram parte do estudo respeitaram, provavelmente, as pressões de seus investidores, uma vez que os reguladores não apresentaram poder de enforcement.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-08-01
Como Citar
Voss, B., Pfitscher, E., Rosa, F., & Ribeiro, M. (2013). Evidenciação ambiental dos resíduos sólidos de companhias abertas no Brasil potencialmente poluidoras . Revista Contabilidade & Finanças, 24(62), 125-141. https://doi.org/10.1590/S1519-70772013000200004
Seção
Artigos