Há Diferença de Restrição de Crédito para Empresas de Capital Aberto e Fechado no Brasil? Evidência Empírica pela Abordagem do Cash Flow Sensitivity

  • Alan Nader Ackel Ghani University of São Paulo; School of Economics, Administration and Accounting; Business Administration Department; Universidade de São Paulo
  • Roy Martelanc University of São Paulo; School of Economics, Administration and Accounting; Business Administration Department; Universidade de São Paulo
  • Eduardo Kazuo Kayo University of São Paulo; School of Economics, Administration and Accounting; Business Administration Department; Universidade de São Paulo

Resumo

Este artigo analisa a restrição de crédito pela abordagem do cash flow sensitivity (relação entre fluxo de caixa e investimento) para empresas de capital fechado e de capital aberto de 2007 a 2010. De acordo com essa abordagem, os resultados econométricos mostram que a restrição ao crédito é a mesma para empresas de capital aberto e de capital fechado. O presente trabalho procura contribuir para a literatura uma vez que os autores não encontraram estudos de cash flow sensitivity para empresas de capital fechado no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2015-04-01
Como Citar
Ghani, A., Martelanc, R., & Kayo, E. (2015). Há Diferença de Restrição de Crédito para Empresas de Capital Aberto e Fechado no Brasil? Evidência Empírica pela Abordagem do Cash Flow Sensitivity . Revista Contabilidade & Finanças, 26(67), 85-92. https://doi.org/10.1590/rcf.v26i67.98100
Seção
Artigos