A abordagem oportunista da Teoria Positiva da Contabilidade (PAT) falha ao explicar as escolhas feitas na OGX: uma situação anômala?

Palavras-chave: Escolhas contábeis, Gerenciamento de resultados, Teoria positiva da contabilidade, Abordagem eficiente, Estudo de caso

Resumo

Este artigo tem dois objetivos: (1) demonstrar que as principais escolhas contábeis feitas pelos contadores e gerentes da OGX Company ao longo de todo o ciclo de vida de seus negócios não foram oportunistas, como frequentemente sugerido pelas hipóteses da Teoria Positiva da Contabilidade; e (2) demonstrar que essas escolhas contábeis podem ser melhor explicadas pela Teoria dos Escândalos Corporativos, pela Hipótese do Monitoramento e pela Hipótese da Reputação Corporativa. A pesquisa foi conduzida usando um estudo de caso longitudinal, de 2006 a 2015, a fim de identificar decisões contábeis visíveis nos relatórios anuais das demonstrações financeiras. Verificou-se que a empresa analisada tinha incentivos para a realização de escolhas contábeis oportunistas, como as previstas pelas hipóteses da PAT, e também passou por diversas situações em seu ciclo de vida comercial que poderiam ter influenciado a realização de escolhas contábeis oportunistas. No entanto, não há evidências de que a Companhia tenha feito uso de alterações contábeis oportunistas para aumento do resultado para impactar seus covenants de dívida financeira e plano de bonus dos administradores, ou redução do resultado para evitar a intervenção do governo, conforme sugerido pela abordagem oportunista da PAT.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adolfo Henrique Coutinho e Silva, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Contabilidade e Controladoria pela Universidade de São Paulo - FEA-USP (2008). Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Federal do Rio de Janeiro (FACC-UFRJ) e contador do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Também é Membro Efetivo da Academia Nacional de Economia (ANE), Titular da Cátedra n° 55. 

Moacir Sancovschi, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui graduação em Ciências Contábeis pelo Instituto Superior de Estudos Contábeis/FGV(1974), graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro(1973), mestrado em Ciências em Administração pelo Instituto Coppead de Administração(1979) e doutorado em Ciências em Administração pelo Instituto Coppead de Administração(1986). Atualmente é Membro de corpo editorial da Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ (Online) e Membro de corpo editorial da Contabilidade Vista & Revista. Atuando principalmente nos seguintes temas:Abordagem Situacional, Controle Gerencial, Instituições Financeiras Privadas.

Publicado
2019-12-19
Como Citar
Silva, A. H. C. e, Sancovschi, M., & Santos, A. G. C. dos. (2019). A abordagem oportunista da Teoria Positiva da Contabilidade (PAT) falha ao explicar as escolhas feitas na OGX: uma situação anômala?. Revista De Contabilidade E Organizações, 13, e164412. https://doi.org/10.11606/issn.1982-6486.rco.2019.164412
Seção
Artigos