80 Anos da projeção continental do Brasil, de Mário Travassos

Autores

  • Edu Silvestre de Albuquerque Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.11606/rdg.v29i0.102081

Palavras-chave:

Geopolítica, Redes de Circulação, América do Sul.

Resumo

O geopolítico Mário Travassos transpôs o conceito mackinderiano de heartland para os altiplanos bolivianos, onde se dava a hegemonia de Buenos Aires, que ainda detinha a vantagem da situação geográfica em relação a extensa Bacia do Prata. Em face disto, Travassos concebe toda uma articulação transversal rodo-ferroviária do "triângulo estratégico boliviano" até os portos atlânticos brasileiros do Centro-Sul e ao complexo ferro-hidroviário Madeira-Mamoré, visando a "soldadura do Brasil Platino ao Brasil Amazônico" e a projeção das comunicações brasileiras pelos Andes. Para as demais regiões naturais do país, o geopolítico propunha o desenvolvimento de artérias longitudinais, verdadeiras vias de integração nacional que se somariam à vantagem situacional brasileira em relação a penetração do rio Amazonas para o oeste. Suas ideias influenciaram as políticas de ordenamento territorial do Estado brasileiro, mas atualmente convivem com uma "hegemonia benevolente" sul-americana orquestrada no âmbito do Itamarty.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edu Silvestre de Albuquerque, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutor em Geografia, Docente da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Downloads

Publicado

2015-06-17

Como Citar

Albuquerque, E. S. de. (2015). 80 Anos da projeção continental do Brasil, de Mário Travassos. Revista Do Departamento De Geografia, 29, 59-78. https://doi.org/10.11606/rdg.v29i0.102081

Edição

Seção

Artigos