Balanço de radiação através do satélite Landsat-8 na bacia do Rio Pajeú

  • Laurizio Emanuel Ribeiro Alves Universidade Federal de Alagoas
  • Heliofábio Barros Gomes Universidade Federal de Alagoas
  • Maurílio Neemias dos Santos Universidade Federal de Alagoas
  • Ismael Guidson Farias de Freitas Universidade Federal de Alagoas
Palavras-chave: Saldo de radiação, SEBAL, Imagem orbital, Sensoriamento remoto

Resumo

O presente estudo tem como objetivo realizar a estimativa do saldo de radiação à superfície-Rn através do algoritmo SEBAL e imagens do satélite Landsat-8 para a Bacia do Rio Pajeú. Os dados de Rn estimados pelo SEBAL foram comparados com medições obtidas em duas estações automáticas localizadas nos municípios de Floresta e Serra Talhada. Foi utilizada uma imagem dos sensores OLI (Operational Land Image) e TIRS (Thermal Infrared Sensor) abordo do satélite Landsat-8, orbita 216 e ponto 66, para o dia 20 de novembro de 2016. A partir das imagens se obteve a radiância e reflectividade espectral, seguido do albedo de superfície, índices de vegetação, emissividade, temperatura superficial, radiação de onda curta incidente – Rs, radiação de onda longa incidente e emitida - Rol,atm e Rol,emi, respectivamente, e Rn. Nos resultados encontrados observa-se que os menores valores de albedo e temperatura foram observados em corpos d’água e vegetação, e maiores valores em áreas urbanas. Estas componentes estão ligadas diretamente com as componentes do saldo de radiação, onde se observou menores valores de Rol,atm e Rol,emi que estão diretamente ligadas a maior ou menor Rn. A validação dos dados do algoritmo SEBAL a partir das estações automáticas foi observado um erro relativo entre 9 e 11% para a imagem Landsat-8 para o dia 20/09/2016, verificando a acurácia das imagens para a estimativa do saldo de radiação à superfície – Rn, para a Bacia do Rio Pajeú.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laurizio Emanuel Ribeiro Alves, Universidade Federal de Alagoas
Possui graduação em Meteorologia pela Universidade Federal de Alagoas (2017). Atualmente é bolsita-pibic da Universidade Federal de Alagoas. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Meteorologia, atuando principalmente nos seguintes temas: sensoriamento remoto, Landsat, parâmetros biofísicos (albedo, temperatura e índices de vegetação), balanço de radiação e conforto térmico.
Heliofábio Barros Gomes, Universidade Federal de Alagoas
Doutor em Meteorologia pela Universidade Federal de Campina Grande (2009). Mestre em Meteorologia pela Universidade Federal de Alagoas (2003) e Graduado em Meteorologia pela Universidade Federal de Alagoas (2001). Atualmente é Professor Adjunto III da Universidade Federal de Alagoas, no Instituto de Ciências Atmosféricas, atuando nas disciplinas: Fundamentos de Matemática, Matemática 1 e 2 para Meteorologia, Fundamentos da Meteorologia, Álgebra Linear, Sensoriamento Remoto na Graduação e Biometeorologia e Sensoriamento Remoto na Pós-Graduação em Meteorologia. Atuou como professor na Unidade Acadêmica de Serra Talhada/UFRPE nas disciplinas de Meteorologia Física e Sinótica, Hidrologia Agrícola e Bioclimatologia. Atuou como professor substituto na UFAL no Curso de Engenharia de Agrimensura, como professor das disciplinas: Cálculo 1, 2, 3, 4, Álgebra Linear, Física e Estatística. Atuou na Sociedade de Ensino Universitário do Nordeste (SEUNE) como professor de matemática nos cursos de Ciências Contábeis e Administração. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Impactos Climáticos, atuando principalmente nos seguintes temas: Sensoriamento Remoto Aplicado, Evapotranspiração, Bioclimatologia, Meteorologia Física, Meteorologia Sinótica e Climatologia.
Maurílio Neemias dos Santos, Universidade Federal de Alagoas
Bacharel em Meteorologia pela Universidade Federal de Alagoas (2014). Atualmente aluno de Mestrado em Meteorologia pela Universidade Federal de Alagoas na área de Sensoriamento Remoto. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Meteorologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Landsat-5 e 8, Albedo, Saldo de Radiação, Sensoriamento Remoto, Imagens Orbitais e também domínio do software Erdas imagine 9.2 e do software livre Qgis
Ismael Guidson Farias de Freitas, Universidade Federal de Alagoas
Possui ensino-medio-segundo-graupela Escola Estadual Prof. Manoel Gentil do Vale Bentes(2012). Atualmente é Monitor de Radiação Solar da Universidade Federal de Alagoas. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Meteorologia.
Publicado
2017-08-23
Como Citar
Alves, L. E., Gomes, H., Santos, M., & Freitas, I. G. (2017). Balanço de radiação através do satélite Landsat-8 na bacia do Rio Pajeú. Revista Do Departamento De Geografia, 33, 117-127. https://doi.org/10.11606/rdg.v33i0.124577
Seção
Artigos