Mudanças de Uso e Cobertura da Terra e Áreas Suscetíveis à Inundação – Estudo de Caso do Município de Duque de Caxias/RJ

Palavras-chave: Inundação, LCM, Mudanças de Uso e Cobertura do Solo, Município de Duque de Caxias

Resumo

O número de eventos de desastres naturais tem aumentado ao longo do tempo no território brasileiro e no mundo inteiro. No contexto brasileiro, há expressiva ocorrência de eventos de natureza hidrológica a exemplo das inundações, deslizamentos e secas. O presente artigo relaciona as mudanças de uso e cobertura do solo no município de Duque de Caxias, rotineiramente afetado por eventos de inundação, entre 2007 e 2016 (período dentro da vigência do segundo plano diretor municipal), com o resultado do mapeamento das áreas suscetíveis à inundação, realizado pelo CPRM (2013). As mudanças foram inferidas através do modelo Land Change Modeler (LCM), e os insumos de entrada correspondem à mapas de uso e cobertura do solo classificados supervisionadamente com o uso do algoritmo CART, na plataforma Google Earth Engine, através de imagens Landsat 5, sensor TM, bandas 4 (infravermelho próximo), 3 (vermelho) e 2 (verde), e Landsat 8, sensor OLI, Bandas 5 (infravermelho próximo), 4 (vermelho) e 3 (verde), ambas com resolução de 30m x 30m. Analisou-se as classes “urbano”, “vegetação densa”, “vegetação rasteira” e “solo exposto”. Busca-se com este trabalho identificar quais classes obtiveram maiores mudanças no período de análise, se estas tendem a ocorrer em áreas classificadas como alta suscetibilidade à inundação e a probabilidade de uma classe se tornar outra em 2026 (através da matriz de transição de Markov). No intervalo de nove anos, houve mais de 40 km² de perda de vegetação densa, mais de 60 km² de perda de vegetação rasteira e quase 60 km² de expansão da área urbana. Esta última se ampliando para locais com alta suscetibilidade à inundação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Viana Neves, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Possui Graduação em Geografia (Licenciatura) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2014) e (Bacharelado) pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2015). É mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2017). Desenvolve pesquisas no Laboratório de Cartografia da UFRJ (GEOCART) e no Laboratório de Informação Geográfica Aplicada (LIGA/UERJ), envolvendo Cartografia, Geoprocessamento e Geoecologia. 

Leandro Andrei Beser de Deus, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Professor Adjunto do Instituto de Geografia/UERJ com atuação no Departamento de Geografia Física e na Pós-Graduação em Geografia - Mestrado e Doutorado (PPGEO/UERJ). Possui graduação em Geografia, Bacharelado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2003), Licenciatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2004), Mestrado em Engenharia, na área de concentração Tecnologia da Informação Geográfica, pelo Instituto Militar de Engenharia (2005) e Doutorado em Planejamento Ambiental, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013). Tem experiência na área de Geociências, atuando principalmente nos seguintes temas: Planejamento Urbano, Ambiental e Energético, Geoprocessamento e Sistemas de Informações Geográficas, Cenários e Modelagem de Dados Espaço-Temporais, Vulnerabilidade e Mudanças Climáticas, Uso e Cobertura da Terra, Desmatamento, História Ambiental e Cartografia Histórica.

Antonio Carlos da Silva Oscar Júnior, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutor em Geografia pela UNICAMP (2018), Mestre e Bacharel em Geografia pela UFRJ (2014 e 2011). Desenvolve atividades na grande área de Geografia Física, com ênfase em: Climatologia, Riscos, Gestão Territorial e Políticas Públicas. Exerceu a função de Diretor de Planejamento Urbano na Subsecretaria de Urbanismo da Prefeitura Municipal de Duque de Caxias (RJ) onde gerenciou diversos projetos de gestão urbana. Também foi consultor do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTi) elaborando subsídios para a III Comunicação Nacional para a Convenção Quadro da ONU sobre Mudanças Climáticas. Atualmente é Professor Assistente do Departamento de Geografia Física da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (DGF/IGEOG/UERJ), membro da Associação Brasileira de Climatologia (ABClima) e Representante da América Latina junto à Comissão Internacional de História da Meteorologia (ICHM) da União Internacional em História e Filosofia da Ciência e Tecnologia (2018-2021).

Manoel do Couto Fernandes, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professor Adjunto do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é o vice-coordenador do GEOCART (Laboratório de Cartografia do Departamento de Geografia da UFRJ). Atua na área de Geociências, com ênfase em Cartografia, Geoecologia e Geoprocessamento, orientando uma série alunos de iniciação científica, mestrado e doutorado. Em suas atividades profissionais interage com vários colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos nas áreas de Geoprocessamento, Geoecologia, Cartografia, Cartografia Histórica, SIG, MDE, Geo-hidroecologia e Geomorfologia. 

Referências

ANDRADE, M. P. de; RIBEIRO, C. B. M; LIMA, R. N. S. et al. Modelagem Dinâmica da Mudança do Uso e Cobertura do Solo na Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul a Partir de Imagens Modis e um Modelo de Sub-Regiões. Revista Brasileira de Cartografia (2016), Nº 68/5: 965-978. Sociedade Brasileira de Cartografia, Geodésia, Fotogrametria e Sensoriamento Remoto ISSN: 1808-0936.
BACA, J. F. M.; COELHO NETTO, A. L.; MENEZES, P. M. L. de. Modelagem da Dinâmica da Paisagem com Processos de Markov. (In): Meirelles, M.S.P.; Câmara, G.; Almeida, C.M. Geomática: modelos e aplicações ambientais . Embrapa Informação Tecnológica. Brasília, DF. 2007. 592p.
BACA, J. F. M. Dinâmica da Paisagem: métodos analíticos, modelos de
classificação e simulação prognostica, sob a ótica geoecológica. Tese (Doutorado). Rio de Janeiro: UFRJ / Programa de pós-graduação em Geografia, 2002.
BESER DE DEUS, L. A. Espaço e Tempo como Subsídios à Construção de Cenários de Uso e Cobertura da Terra para o Planejamento Ambiental na Amazônia: O Caso da Bacia do Rio Acre. Tese (doutorado) – UFRJ, COPPE, Programa de Planejamento Energético, 2013.
BRASIL. Resolução CERHI-RJ nº 107, de 22 de maio de 2013. Aprova Nova Definição das Regiões Hidrográficas do Estado do Rio de Janeiro e Revoga a Resolução CERHI n° 18 de 08 de novembro de 2006. Órgão emissor: CERHI - Conselho Estadual de Recursos Hídricos. Disponível em: . Acesso em: 28.maio.2018
BRIASSOULIS, H. “Analysis of Land Use Change: Theoretical and Modeling Approaches”. In: The Web Book of Regional Science, editor S. Loveridge, Regional Research Institute, West Virginia University, June 2000. http://www.rri.wvu.edu/WebBook/Briassoulis/contents.htm
CONSTANTINOU. Dinâmica Intra-Urbana: Aleatoriedade e Emergência de
Padrões Espaco-Temporais. Cadeias de Markov. 2007.
COSTA, P. A. Duque de Caxias (RJ) – de cidade dormitório à cidade do refino do petróleo: um estudo econômico-político, do início dos anos 50 ao início dos anos 1970. Tese (doutorado) – Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Departamento de História, 2009.
DELANEZE, M. E; RIEDEL, P. S; MARQUES, M. L; FERREIRA, M. V. Modelagem Dinâmica Espacial para o Monitoramento do Crescimento Urbano no Entorno do Duto Orbel. Revista Brasileira de Cartografia (2014) Nº 66/3: 473-484 Sociedade Brasileira de Cartografia, Geodésia, Fotogrametria e Sensoriamento Remoto ISSN: 1808-0936.
FONSECA, L. M. G. Processamento digital de imagens. São José dos Campos: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), 2000.
GRIGOLETTI, P. S. Cadeias de Makov. Escola de Informática – Universidade Católica de Pelotas (UCPel). Disponível em: . Acesso em: julho de 2012.
HARVEY, D. Modelos de Evolução dos Padrões Espaciais na Geografia
Humana. In: CHORLEY, R. J.; HAGGETT, P. Modelos Integrados em Geografia. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos; São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1974.
HAYKIN, S. Redes neurais: Princípios e práticas. 2 edição. 900p. Traduzido: Paulo Martins Engel. Ed. Bookman. Porto Alegre – RS. 2001.
IBGE. Duque de Caxias. Disponível em: . Acesso em: 27.jul.2018.
ICMBIO. Tinguá Conserva Pedaço de Mata Atlântica. Disponível em: . Acesso em: 28.jul.2018.
JORNAL EXTRA. Duque de Caxias inicia obra para construção de uma nova Ceasa no estado. Disponível em: . Acesso em: 30.jul.2018.
LIMA, A. A. M; SOUZA, A. P. de. Reflexões e Contribuições aos Estudos de Risco e Justiça Ambiental na Baixada Fluminense, Duque de Caxias-Rj. Revista Eletrônica História, Natureza e Espaço - ISSN 2317-8361 v. 3, n. 2 (2014). DOI: 10.12957/hne.2014.20271.
LUZ BARCELLOS, P. da C; SILVA, F. P. da; VISSIRINI, C. A. M; TERRA, J. M; DUTRA, M. R. F; AMARAL, I. C. F. do. Diagnóstico Meteorológico dos Desastres Naturais Ocorridos nos Últimos 20 Anos na Cidade de Duque de Caxias. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 31, n. 3, 319-329, 2016.
MARKOV, A. A. Extension of the limit theorems of probability theory to a sum of variables connected in a chain. reimpresso no Apêndice B de: R. Howard. Dynamic Probabilistic Systems, volume 1: Markov Chains. John Wiley and Sons, 1971.
MENESES, B. M.; REIS, E.; VALE, M. J.; REIS, R. Modelling Land Use And Land Cover Changes In Portugal: A Multi-Scale and Multi-Temporal Approach. Rev. Finisterra. LIII(107), 2018, pp. 3-26.
NOVO, E. M. L. de M. Sensoriamento Remoto: Princípios e aplicações. 4ª edição. São Paulo: Blucher, 2010.
OSCAR JÚNIOR, A. C. da S. A Paisagem da Baixada Fluminense: Uma Análise na Perspectiva Geoecológica. Revista Brasileira de Geografia Física V. 06, N. 02 (2013) 195-210.
OSCAR JÚNIOR, A. C. da S. Extremos Atmosféricos e Desastres Hidrometeorológicos em Duque de Caxias (RJ). Revista Brasileira de Climatologia. ISSN: 1980-055x (Impressa) 2237-8642 (Eletrônica). Ano 11 – Vol. 17 – JUL/DEZ 2015.
OSCAR JÚNIOR, A. C. da S. Ordenamento Territorial e Riscos Ambientais de Natureza Atmosférica no Município de Duque de Caxias (RJ). Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Geociências, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Rio de Janeiro, BR-RJ, 2014.
PEDROSA, B. M; CAMARA, G. “Modelagem Dinâmica e Sistemas de Informações Geográficas”. In: MEIRELLES, M. S. P; CAMARA, G. ALMEIDA, C. M. de. (Org.). Geomática: Modelos e Aplicações Ambientais. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2007. p. 237-280.
PUGGIAN, C; RAULINO, S. F. Duque de Caxias: Um Ambiente de Injustiças. Duque de Caxias: a Geografia de um espaço desigual/ André Tenreiro (organizador); Cleonice Puggian (et al.) – Nova Iguaçu, RJ: Ed Entorno, 20015.
RODRIGUEZ, D. A; LOPES, L. G; CARRIELLO, F; SIQUEIRA JÚNIOR, J. L; PINTO, G. L; TOMASELLA, J; CHOU, S. C. Previsões de Cheias Extremas nos Horizontes Sazonais E de Curto e Médio Prazos na Bacia do Rio Madeira: Estudo de Caso da Enchente de 30 de Março de 2014 em Porto Velho. Revista Brasileira de Cartografia (2017), Nº 69/4, Edição Desastres Naturais e Impactos Ambientais: 827-836. Sociedade Brasileira de Cartografia, Geodésia, Fotogrametria e Sensoriamento Remoto, ISSN: 1808-0936.
RUHOFF, A; FANTIN-CRUZ, I; COLLISCHONN, W. Modelos de simulação dinâmica do desmatamento na Amazônia. Caminhos de Geografia - revista on line. ISSN 1678-6343. Uberlândia, v. 11, n. 36 dez, 2010. p. 258 – 268. http://www.ig.ufu.br/revista/caminhos.html
SANTOS, D. P. Meio Ambiente: Perspectivas e Desafios no Município de Franca (SP). VI Congresso Iberoamericano de Estudios Territoriales y Ambientales. ISBN: 978-85-7506-232-6. São Paulo, 2014.
SANTOS, É. P. dos; PIROLI, E. L. Detecção de mudanças no uso e cobertura da terra utilizando Land Change Modeler: o caso da bacia hidrográfica do Ribeirão do Rebojo, Pontal do Paranapanema, SP, Brasil. Anais XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, João Pessoa-PB, Brasil, 25 a 29 de abril de 2015, INPE.
SILVA, A. SOUZA, E. Métodos computacionais de solução de cadeias de
Markov: Aplicações a sistemas de computação e comunicação. Porto Alegre: UFRGS Inst. Informática. 1992. 195p.
SOARES-FILHO, B. S. Modelagem dinâmica de paisagem de uma região de fronteira de colonização amazônica. Tese de doutorado. – Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. São Paulo, 1998.
SOBRAL, B. S. Variabilidade Espaço-Temporal e Interanual da Chuva no Estado do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Climatologia. Ano 14 – Vol. 22 – JAN/JUN 2018.
TOBLER, W. R. 1970. A computer movie simulating urban growth in the Detroit region. Economic Geography 46: 234–40.
TOMINAGA, L. K. Desastres naturais: conhecer para prevenir - Desastres Naturais: por que ocorrem? Lídia Keiko Tominaga, Jair Santoro, Rosangela do Amaral (orgs.). São Paulo: Instituto Geológico, 2009.
VISSIRINI, F; OHNUMA JUNIOR, A. A; AREAS, I; FERRELI, T. Plano Municipal de Redução de Risco de Desastres de Inundação para Duque de Caxias – Rio de Janeiro. International Conference on Urban Risks, Lisbon 30 June - 2 July, 2016.
YULIANTO, F; PRASASTI, I; PASARIBU, J. M; FITRIANA, H. L; ZYLSHAL; HARYANI, N. S; SOFAN, P. The dynamics of land use/land cover change modeling and their implication for the flood damage assessment in the Tondano watershed, North Sulawesi, Indonesia. Model. Earth Syst. Environ. (2016) 2: 47. https://doi.org/10.1007/s40808-016-0100-3.
Publicado
2019-07-06
Como Citar
Neves, L., Beser de Deus, L., Oscar Júnior, A., & Fernandes, M. (2019). Mudanças de Uso e Cobertura da Terra e Áreas Suscetíveis à Inundação – Estudo de Caso do Município de Duque de Caxias/RJ. Revista Do Departamento De Geografia, 37, 30-43. https://doi.org/10.11606/rdg.v37i0.149051
Seção
Artigos