Estudos Morfométricos de Camadas Adensadas de Latossolos Sob Diferentes Usos na Região Oeste do Estado da Bahia

  • Eliane De Paula Clemente Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Solos) https://orcid.org/0000-0002-7814-0455
  • João Herbert Moreira Viana Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Milho e Sorgo)
  • Ademir Fontana Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Solos)
Palavras-chave: estrutura do solo, manejo do solo, composição granulométrica

Resumo

Nos solos cultivados do oeste baiano é comum a presença de uma camada adensada ou compactada na parte superficial, que dificulta a realização das operações agrícolas. Este trabalho avaliou essas camadas em solos representativos de seis áreas nesta região, comparando os impactos de diferentes usos e práticas de preparo do solo. As amostras selecionadas foram analisadas por técnicas de micromorfologia e morfometria de grãos de areia. Observou-se que a porosidade foi maior nos perfis sob cerrado e a distribuição dos poros foi desigual entre os usos. A área com algodão apresentou tendência de menor valor de porosidade, enquanto no plantio direto e no feijão, os valores foram intermediários. Os resultados da morfometria dos grãos de areia grossa permitiram a separação em três grupos, um formado por partículas mais arestadas e irregulares, outro por grãos arredondados e o último por formas intermediárias, sendo o segundo o dominante. Para as areias médias, o último grupo foi dominante. A análise morfométrica mostrou um padrão similar entre as amostras, indicando que os solos devem ser provenientes dos mesmos materiais de origem. Isso indica que as diferenças observadas nas análises micromorfológicas podem ser atribuídas aos diferentes manejos nas áreas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane De Paula Clemente, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Solos)

Graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (1999), mestrado em Ciência Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (2001) e doutorado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Viçosa (2006). Tem experiência na área de Engenharia Florestal, principalmente em Solos Florestais, Silvicultura e Meio Ambiente. Em agronomia, com ênfase em Morfologia e Classificação dos Solos, Pedologia, Relação Solo/ambiente. Pesquisadora da Embrapa Solos.

Referências

ALMEIDA, B.G.; DONAGEMMA, G.K.; BRAIDA, J.A.; VIANA, J.H.M.; REICHERT, J.M.M.; OLIVEIRA, L.B.; CEDDIA, M.B.; WADT, P.G.S.; FERNANDES, R.B.A.; PASSOS, R.R.; DECHEN, S.C.F.; KLEIN, V.A.; TEIXEIRA, W.G. Padronização de Métodos para Análise Granulométrica no Brasil. Comunicado técnico 66- Embrapa, Rio de Janeiro, 2012, 11p.
AMORIM JÚNIOR, V.; LIMA, O.A.L. Avaliação hidrogeológica do aqüífero Urucuia na bacia do rio das Fêmeas – BA, usando resistividade e polarização elétrica induzida. Revista Brasileira de Geografia, v. 25, n. 2, São Paulo, Abril/Junho 2007.
ARAÚJO, G.S.; BICALHO, K.V.; TRISTÃO, F.A. Análise de imagens na determinação da forma e textura de areias. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 39:94-99, 2015.
ASSOCIAÇÃO DE AGRICULTORES E IRRIGANTES DA BAHIA - AIBA. Levantamento Técnico da Aiba prevê uma safra recorde. Disponível em: http://aiba.org.br/noticias/levantamento-tecnico-da-aiba-preve-uma-safra-recorde/#.WzIoodVKiUk. Acesso: abril/2018.
BARRETO, L.B. Região Oeste concentra mais de um terço de toda riqueza agrícola da Bahia. 2015. Disponível em: https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/regiao-oeste-concentra-mais-de-um-terco-de-toda-riqueza-agricola-da-bahia/. Acesso: Abril/2018.
BATISTELLA, M.; GUIMARÃES, M.; MIRANDA, E.E. de; VIEIRA, H.R.; VALLADARES, G.S.; MANGABEIRA, J.A. de C.; ASSIS, M.C. de. Monitoramento da expansão agropecuária na região oeste da Bahia. Campinas: Embrapa Monitoramento por Satélite, 2002. 40p. (Embrapa Monitoramento por Satélite. Documentos, 20).
BOOTLINK, H.W.G.; BOUMA, J. Physical and morphological characterization of bypass flow in a well-structured clay soil. Soil Sci. Soc. Am. J., 55: 1249-1254. 1991.
BOUMA, J.; JONGERIUS, A.; BOERSMA, O.; JAGER, A.; SCHOONDERBEEK, D. The function of different types of mazropores during saturated flow through four swelling soil horizons. Soil Sci. Soc. Am. J., 41: 945-950. 1977.
BULLOCK, P.; FEDOROFF, N.; JONGERIUS, A.; STOOPS, G.; TURSINA, T. Handbook for soil thin section description. Waine Research Publications, Wolverhampton. 1985. 153p.
CASTRO, S.S. de; COOPER, M.; SANTOS, M.C.; VIDAL-TORRADO, P. Micromorfologia do solo: bases e aplicações. In: CURI, N.; MARQUES, J.J.; GUILHERME, L.R.G.; LIMA, J.M. de; LOPES, A.S.; ALVAREZ VENEGAS, V.H. (Ed.). Tópicos em ciência do solo. Viçosa: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 2003. v.3, p.107-164.
CHAGAS, A.C. Propriedades físicas, mecânicas, químicas e micromorfológicas de um LATOSSOLO VERMELHO sob cerrado e submetido dois sistemas de manejo, em Dom Aquino, MT. Tese Magister Scientiae (Programa de Pós-graduação em Solos e Nutrição de Plantas). Viçosa: UFV, 2004. 68 f
CLEMENTE, E.P.; SCHAEFER, C.E.G.R.; NOVAES, R.F.; VIANA, J.H.; BARROS, N.F. Soil compaction around Eucalyptus grandis roots: a micromorphological study. Australian Journal of Soil Research. v. 43, n. 2, 139-146, Mar. 2005.
COUTINHO, A.S. Fabrico e Propriedades do Betão. Lisboa: LNEC, v.1, p. 405-418. 1973.
DALLA RIVA, R.D. Densidade, Porosidade, Resistência à Penetração e Retenção de Água em Resposta ao Arranjo e Morfometria de Partículas da Fração Areia. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Solos e Nutrição de Plantas, Departamento de Solos, Universidade Federal de Viçosa, 2005. 65 p.
DONAGEMMA, G.K.; et al. Caracterização, potencial agrícola e perspectivas de manejo de solos leves no Brasil. Pesq. agropec. bras., Brasília, v.51, n.9, p.1003-1020, set. 2016
FILIZOLA, H.F.; GOMES, M.A. Coleta e impregnação de solos para análise micromorfológica. Comunicado Técnico EMBRAPA, v. 20, 2004. 4 p.
FONTANA. A.; TEIXEIRA, W.G.; BALIEIRO, F.C.; MOURA, T.P.A.; MENEZES, A.R.; SANTANA, C.I. Características e atributos de Latossolos sob diferentes usos na região Oeste do Estado da Bahia. Rev. Pesq. agropec. bras., Brasília, v.51, n.9, p.1457-1465, set. 2016.
KASSAMBARA, A.; MUNDT, F. Factoextra: Extract and Visualize the Results of Multivariate Data Analyses. R package version 1.0.5 (2017). Disponível em: https://CRAN.R-project.org/package=factoextra. Acesso em abril/2018
KATAGIRI, J.; SAOMOTO, H.; UTSUNO, M. Quantitative evaluation of the effect of grain aspect ratio on permeability. Vadose Zone Journal, 2015, 14:vzj2014.10.0138
KWAN, A.K.H.; MORA, C.F.; CHAN, H.C. Particle shape analysis of coarse aggregate using digital image processing. Cement Concrete Res. 9:1403-10. 1999.
LEVANTAMENTO exploratório - reconhecimento de solos da margem esquerda do Rio São Francisco Estado da Bahia. Recife: Embrapa-SNLCS, 1976. 404p. (EMBRAPA-SNLCS. Boletim Técnico, 38; SUDENE-DRN. Série Recursos de Solos, 7).
MAERZ, N.H. Technical and computational aspects of the measurement of aggregate shape by digital image analysis. J Comp Civil Eng ASCE.18:10-8. 2004.
MORAES, L.S. Diagnóstico de uso e ocupação da bacia do Rio de Ondas: Barreiras/BA. 2003. Dissertação (Mestrado). Universidade Católica de Brasília, Brasília, DF.
PAZAK, R.S. HyperCube Pictorial User’s Guide. Disponível em: http://www.erdc.usace.army.mil/Portals/55/docs/CEERD-TV/HyperCube/HyperCube.pdf. Acesso: Março/2015
R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria, 2018. Disponível em: https://www.R-project.org/.
RASBAND, W.S. ImageJ. U.S. National Institutes of Health, Bethesda, Maryland, USA. Disponível em: http://imagej.nih.gov/ij/, 1997-2014.
RIBEIRO, S.; BONETTI, C. Variabilidade morfométrica de sedimentos arenosos: Revisão de métodos e uso do Software Image J na diferenciação de ambientes deposicionais na ilha de Santa Catarina e região continental, SC, Brasil. Gravel, 11:1, 37-47, 2013.
SOUZA, Z.M.; MARQUES JÚNIOR, J.; COOPER, M.; PEREIRA, G.T. Micromorfologia do solo e sua relação com atributos físicos e hídricos. Pesq. agropec. bras., Brasília, 41:487-492. 2006.
SILVA, A.A.; CASTRO, S.S. Indicadores macro e micromorfológicos da qualidade física de um latossolo vermelho cultivado com cana-de-açúcar. Mercator, v. 14, n. 3, p. 169-185, set./dez. 2015.
SOUZA, J.D. de; MELO, R.C. de; KOSIN, M. (Coords.). Mapa geológico do estado da Bahia. Versão 1.1. Salvador: CPRM, 2003. Escala 1:1.000.000. Disponível em: http://rigeo.cprm.gov.br/jspui/handle/doc/8665
SOUZA, Z.M.; MARQUES, J.J.; COOPER, M.; PEREIRA G.T. Micromorfologia do solo e sua relação com atributos físicos e hídricos. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.41, p.487-492, 2006.
STOOPS G. Guidelines for analysis and description of soils and regolith thin sections. Madison: Soil Science Society of America; 2003.
SUGUIO, K. Rochas sedimentares: propriedades, gênese importância econômica. São Paulo, Edgard Blucher. 1980. 500 p. SUGUIO, K. 1980 – Rochas Sedimentares. São Paulo: Edgard Blücher, 500p.
SYVERUD, K.; CHINGA, G.; JOHNSSEN, P.O.; LEIRSET, I.; WIIK, K. Analysis of lint particles from full-scale printing trials. Appita J. 60(4): 286-290. 2007.
VIANA, J.H.M. Análise de imagens micropedológicas com utilização do programa Quantporo e sua aplicação ao estudo de umedecimento e secagem em amostras de Latossolos. Viçosa, MG: UFV, 2001, 70p. Dissertação (Mestrado em Solos e Nutrição de plantas) – Universidade federal de Viçosa, 2001.
VIANA, J.H.M.; FERNANDES FILHO, E.I.; SCHAEFER, C.E.G.R. Efeitos de ciclos de umedecimento e secagem na reorganização da estrutura microgranular de latossolos. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v.28, p.11-19, 2004.
Publicado
2019-12-11
Como Citar
Clemente, E., Viana, J., & Fontana, A. (2019). Estudos Morfométricos de Camadas Adensadas de Latossolos Sob Diferentes Usos na Região Oeste do Estado da Bahia. Revista Do Departamento De Geografia, 38, 95-109. https://doi.org/10.11606/rdg.v38i1.156363
Seção
Artigos