Avaliação da Fragilidade Erosiva Usando Cruzamento de Mapas com Apoio do Sistema de Informação Geográfica do Município de São Francisco de Assis/RS/Brasil

Resumo

O presente trabalho analisa fatores que condicionam a ocorrência de incisões erosivas no município de São Francisco de Assis, localizado na região oeste do Rio Grande do Sul, na bacia do rio Ibicuí. Utilizou-se análise multicritério com apoio de SIG, para o desenvolvimento de operações de álgebra de mapas. Os mapas bases para a definição da fragilidade erosiva foram: declividade, solos, litologia e uso da terra, com pesos atribuídos a cada uma das variáveis presentes nos mapas bases. O mapeamento da fragilidade erosiva foi realizado pela operação de álgebra do mapa realizada no SIG, utilizando a ferramenta Raster Calculator. As áreas com menor fragilidade erosiva ocorrem na porção NW do município e estão relacionadas à ocorrência de vegetação arbórea natural. No município, áreas com fragilidade erosiva média ocorrem no extremo NE-E e NW, formadas por solos sobre rochas vulcânicas ou arenito com contribuição vulcânica onde predominam os usos agrícolas. A ocorrência de fragilidade erosiva muito alta está associada ao substrato de arenitos, solos friáveis e baixa cobertura do solo. O trabalho mostrou a importância da relação multicritério envolvendo atributos físicos da paisagem e o estudo do uso da terra sendo essencial em estudos de fragilidade e potencial ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMORIM, R. S. S.; SILVA D. D; PRUSKI, F. F. & MATOS, A. T. Influência da declividade do solo e da energia cinética de chuvas simuladas no processo de erosão entre sulcos. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental. v.5, n.1, p.124-130. Campina Grande, 2001.
BACELLAR L. A. P. Condicionantes geológicos, geomorfológicos e geotécnicos dos mecanismos de voçorocamento na bacia do rio Maracujá. 226p. Tese de doutorado. (Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia), Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.
BIGARELLA, J. J.; BECKER, R.D.; PASSOS, E. Estrutura e Origem da Paisagens Tropicais e Subtropicais. Ed. UFSC. v. 2, 1996. 875 p.
BRYAN, R. B. The influence of slope angle on soil entrainment by sheetwash and rainsplash. Earth Surface Process. BSG. v.4, n.1, p.43-58, 1979.
CALDERANO FILHO, B.; BERING, S. B.; CALDERANO, S. B.; GUERRA, A. J. T. Suscetibilidade dos Solos à Erosão na Microbacia do córrego Fonseca, Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro. Anais... Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto - GEONORDESTE 2014. Aracaju, Brasil, 18-21 novembro 2014.
CANEPPELE, J. C. G.. Espacialização da arenização a partir da Ecodinâmica e da Cartografia Ambiental. 129p. Dissertação. (Pós-Graduação em Geografia e Geociências), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.
DOMINGUES, E. N.; M. ROSSI, M.; MATTOS I. F. A.; ABE, K. & KITADA, M. Tipologia e Distribuição dos Processos Erosivos na Microbacia do Ribeirão Água da Cachoeira, em Paraguaçu Paulista, SP. Revista Brasileira Ciência do Solo, 22:141-149, 1998.
FUJIMOTO, N.S.V.M.; GONÇALVES, F.S.; ZANCANARO, C. Caracterização das Formas de Relevo em Degraus de Abatimento nos Municípios de Manoel Viana e São Francisco de Assis, Região Sudoeste do Estado do Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Geomorfologia, n. 11, p.69-74, 2010.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Pedologia: Mapa Exploratório de Solos do Estado do Rio Grande do Sul. Rio de Janeiro: IBGE, 2002.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo 2010. Disponível me: < https://censo2010.ibge.gov.br/sinopse/index.php?uf=43&dados=1 >. Acesso em: 22 abr. 2018.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Cidades: São Francisco de Assis. Disponível em: < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rs/saofrancisco-de-assis/panorama >. Acesso em: 17 abr. 2018.
IPT, I. de P. T. do E. de S. P. Mapa geomorfológico do Estado de São Paulo. Escala 1:500.000. . São Paulo: IPT Publicação 1183. , 1981
LATTANZI, A.R.; MEYER, L.D.; BAUMGARDNER, M.F. Influences of mulch rate and slope steepness on interrill erosion. Soil Science Society of America. Journal, Madison, v. 38, p.946-950, 1974.
LAVINA, Ernesto Luiz Correa. The Passa Dois Group. In: 7 International Gondwana Symposium. São Paulo: Instituto de Geociências, p. 24-30. 1988.
MOREIRA C. V. R. Fatores condicionantes das voçorocas na sub-bacia do rio Santo Antônio, Bacia do rio Grande, MG. Belo Horizonte: IG/UFMG. 1992. 163p.
NARDY, A.J.R., OLIVEIRA, M.A.F., BETANCOURT, R.H.S., VERDUGO, D.R.H., MACHADO, F.B. Geologia e Estratigrafia da Formação Serra Geral. Revista Geociências, v.21, n.2, p.15–32, 2002.
ROBAINA, L. E. S.; TRENTIN, R. Estudos e zoneamento geoambiental do município de São Francisco de Assis – Oeste do Rio Grande do Sul. Revista de Geografia e Ordenamento do Território. p.323-344, 2019.
ROBAINA, Luís; TRENTIN, Romario (2019). Estudos e zoneamento geoambiental do município de São Francisco de Assis – Oeste do Rio Grande do Sul. Revista de Geografia e Ordenamento do Território (GOT), n.º 16 (março). p. 323-344, dx.doi.org/10.17127/got/2019.
SALOMÃO, F. X. T. Controle e prevenção dos processos erosivos. In: GUERRA, A.J.T.; SILVA, A.S.; BOTELHO, R.G. (orgs.). Erosão e conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.
SCHNEIDER, R. L.; MÜHLMANN, H.; TOMMASI, E.; MEDEIROS, R. A.; DAEMON, R. F.; NOGUEIRA, A. A.Revisão estratigráfica da Bacia do Paraná. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 28., 1974, Porto Alegre. Anais do... São Paulo: Sociedade Brasileira de Geologia, 1974. v. 1, p. 41-65.
SCHERER, C. M. S.; FACCINI, U. F.; LAVINA, E. Arcabouço Estratigráfico do Mesozóico da Bacia do Paraná. In: HOLZ, M. e DE ROS, L.V. Geologia do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: CIGO/UFRGS, p. 335 – 354, 2002.
SILVA, G. G.; OLIVEIRA, L. N. Análise da suscetibilidade e potencial à erosão laminar no município de São Miguel do Araguaia/GO. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 17. (SBSR), 2015, João Pessoa. Anais... São José dos Campos: INPE, 2015. p. 6511-6518.
VALLADARES, G. S.; GOMES, A. S.; TORRESAN, F. E.; RODRIGUES, C. A. G.; GREGO, C. R. Modelo multicritério aditivo na geração de mapas de suscetibilidade à erosão em área rural. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v. 47, n. 9, p. 1376-1383, 2012.
VIEIRA, C.L. & VERDUM, R. Arenização e Erosão Hídrica no Sudoeste do Rio Grande do Sul: Análise dos Agentes Condicionantes e Considerações Básicas para Intervenções Mecânico-Vegetativas. Revista de Geografia (UFPE) v. 32, n. 1, 2015.
WILDNER, Wilson, HARTMANN, L. A. & LOPES, R. C. Serra Geral Magmatism in the Paraná Basin - a new stratigraphic proposal, chemical stratigraphy and geological structures. In: I WORKSHOP PROBLEMS IN THE WESTERN GONDWANA GEOLOGY. Gramado, v.1, p. 189-197, 2007.
Publicado
2019-12-12
Como Citar
Oliveira, M., Trentin, R., & Robaina, L. E. (2019). Avaliação da Fragilidade Erosiva Usando Cruzamento de Mapas com Apoio do Sistema de Informação Geográfica do Município de São Francisco de Assis/RS/Brasil. Revista Do Departamento De Geografia, 38, 83-94. https://doi.org/10.11606/rdg.v38i1.157356
Seção
Artigos