Regulação profissional ou interprofissional do trabalho em saúde?

Desafios para os sistemas de saúde na Índia, Estados Unidos, França e Brasil

  • Félix Héctor Rígoli Universidade de São Paulo. São Paulo/SP
Palavras-chave: Regulação das Profissões de Saúde, Regulação das Profissões de Saúde no Brasil, Regulação das Profissões de Saúde nos Estados Unidos, Regulação das Profissões de Saúde na França, Regulação das Profissões de Saúde na Índia

Resumo

Não muito tempo atrás, a decisão pela formação em saúde, a prática profissional e outros aspectos relacionados ao seu exercício eram considerados dados da realidade relativamente estáveis e que dependiam principalmente de decisões e possibilidades individuais. Isso não significava que o Estado, não tivesse algum papel, especialmente na profissão médica; na maioria dos casos, ele atuava como avalista dos corpos profissionais. No entanto, o crescente papel das políticas de saúde como políticas públicas – somado a alguns escândalos de má prática que chegaram à opinião pública – forçou a inclusão dos mecanismos regulatórios como parte das funções do Estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Félix Héctor Rígoli, Universidade de São Paulo. São Paulo/SP

Doutor em Ciências pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP); mestre em Gestão de Saúde (Administration de Santé) pela Université de Montreal; graduado em Medicina pela Universidad de la Republica Uruguay. Especialista em Sistema de Saúde do Instituto Sul-Americano de Governo em Saúde da União das Nações Sul-Americanas (ISAGS-UNASUL). São Paulo/SP.

Publicado
2018-12-11
Como Citar
Rígoli, F. H. (2018). Regulação profissional ou interprofissional do trabalho em saúde?. Revista De Direito Sanitário, 19(2), 78-86. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9044.v19i2p78-86
Seção
Tema em Debate