Relação entre a dignidade da pessoa com deficiência e o valor de embriões humanos

  • Mário Antônio Sanches Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Curitiba/PR
  • Daiane Priscila Simão Silva Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Curitiba/PR
  • Houda Izabela de Oliveira Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Curitiba/PR
Palavras-chave: Bioética, Eugenia, Testes Genéticos, Violência Simbólica

Resumo

Nas últimas décadas, foi notória a ampliação da oferta de testes genéticos de diagnóstico pré-natal, inclusive para fins de interrupção de gravidez ou descarte de embriões na reprodução assistida. Paralelamente, surgiram muitos movimentos e organizações no sentido de afirmar a dignidade das pessoas com deficiência e seu direito a uma vida plenamente incluída na sociedade. Este artigo pretende analisar esses dois movimentos e destacar suas contradições. Questionamos se é possível dissociar as práticas de eliminação de embriões e fetos anômalos dos pressupostos eugênicos do início do século XX, bem como a coerência dessas práticas. A reflexão é conduzida considerando que, claramente, estamos assistindo a movimentos que apontam para posições opostas e que a discussão precisa ser ampliada de forma coerente. Os movimentos em prol das pessoas com deficiência já alcançaram muitos avanços legislativos e políticos nas últimas décadas, contudo ainda têm muito a enfrentar em relação ao modelo médico ou determinista de deficiência, construído e reforçado socialmente apontando a deficiência como um problema a ser eliminado. O ápice desse discurso se dá na legitimidade conferida aos testes genéticos como forma de superação do problema das deficiências através da eliminação do próprio “deficiente”. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mário Antônio Sanches, Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Curitiba/PR

Pós-Doutorado em Bioética pela Universidad Pontificia Comillas (Madri, Espanha); doutorado em Teologia pela Universidad Pontificia Comillas (Madri, Espanha). Professor titular da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Curitiba/PR.

Daiane Priscila Simão Silva, Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Curitiba/PR

Pós-Doutorado em Bioética pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR); doutorado em Genética pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professora no Programa de Pós-Graduação em Bioética da PUC-PR. Curitiba/PR.

Houda Izabela de Oliveira, Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Curitiba/PR

Mestrado em Bioética pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Enfermeira do Hospital Pequeno Príncipe, Curitiba/PR.

Referências

BARTALOTTI, Celina Camargo. Inclusão social das pessoas com deficiência: utopia ou possibilidade? São Paulo: Paulus, 2006.
BATTISTELLA, Linamara Rizzo. Celebrando os 30 anos do AIPD: uma história de lutas e conquistas de direitos. In: 30 ANOS do AIPD: Ano Internacional das Pessoas Deficientes 1981-2011. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011. Disponível em: http://uniapae.apaebrasil.org.br/wp-content/uploads/2019/10/30-ANOS-DO-AIPD-ANO-INTERNACIONAL-DAS-PESSOAS-DEFICIENTES-1981-2011.pdf.
BEIGUELMAN, Bernard. Genética e ética. In: PESSINI, Leo, BARCHIFONTAINE, Christian de Paul (Orgs.). Fundamentos da bioética. São Paulo: Paulus; 1996. p. 108-123.
BERNAL, Ricardo Miguel Luque; BEJARANO, Roberto José Buitrago. Is genetic counseling a form of eugenics? Rev. Cienc. Salud, Bogotá-CO, v.16, n. 1, p. 10-26, ene./abr. 2018.
BERNARDES, Liliane Cristina Gonçalves; ARAUJO, Tereza Cristina Cavalcanti Ferreira de. Deficiência, políticas públicas e bioética: percepção de gestores públicos e conselheiros de direitos. Cienc Saude Colet, v. 17, n. 9, p. 2435-2445, 2012. http://www.scielo.br/pdf/csc/v17n9/a24v17n9.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012000900024.
BERNARDES, Liliane Cristina Gonçalves; MAIOR, Izabel Maria Madeira de Loureiro; SPEZIA, Carlos Humberto; ARAUJO, Tereza Cristina Cavalcanti Ferreira de. Pessoas com deficiência e políticas públicas no Brasil: reflexões bioéticas. Cienc Saude Colet, vol.14, n.1, p. 31-38, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v14n1/a08v14n1.pdf. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000100008.
BORGHESI, Alessandro et al. Intersociety policy statement on the use of whole-exome sequencing in the critically ill newborn infant. Italian Journal of Pediatrics, v. 43, n. 100, 2017. Disponível em: https://ijponline.biomedcentral.com/articles/10.1186/s13052-017-0418-0.
BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Tradução Maria Helena. Kühner. 3. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.
BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Trad. Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.
BUCHANAN, Allen, BROCK, Dan W., DANIELS, Norman. From chance to choice: genetics and justice. New York: University Press Cambridge, 2000.
CAVALCANTE, Fátima Gonçalves; MINAYO, Maria Cecília de Souza. Representações sociais sobre direitos e violência na área da deficiência. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, p. 57-66, fev. 2009. Disponível em . http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000100011.
CONDIT, Celeste Michele. The meanings of the gene: public debates about human heredity. Madison: University of Wisconsin Press; 1999.
DYCK, Arthur J. Eugenics in historical and ethical perspective. In: KILNER, John F.; PENTZ, Rebecca D.; YOUNG, Frank (Eds.). Genetic ethics: do the ends justify the genes? Grand Rapids: Eerdmans Publishing Company, 1997. p. 25-39.
FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA – UNICEF. Situação mundial da infância: 2013. Crianças com deficiência. Brasília-DF: UNICEF; 2013. Disponível em: http://www.unicef.org/brazil/pt/PT_SOWC2013.pdf. Acesso em: 11 nov. 2015.
GRAVES, C.E.; HARRISON, M.R.; PADILLA B.E. Minimally invasive fetal surgery. Clin Perinatol, v. 44, n. 4, p. 729-751, 2017. http://dx.doi.org/10.1016/j.clp.2017.08.001.
HANDYSIDE, A.H et al. Pregnancies from biopsied human preimplantation embryos sexed by Y-specific DNA amplification. Nature, v. 19, n. 344, p. 768-770, Apr. 1990. http://dx.doi.org/10.1038/344768a0.
KELVES, Daniel J. In the name of eugenics: genetics and the uses of human heredity. New York: Alfred A. Knopf, 1985.
KITCHER, Philip. Utopian eugenics and social inequality. In: SLOAN, Phillip R. (Ed.). Controlling our destinies: historical, ethical, and theological perspectives on the Human Genome Project. Notre Dame: University of Notre Dame Press, 2000. p. 229-262.
KRUG, Etienne G. et al. World report on violence and health. Geneva: World Health Organization; 2002.
KULIEV, A; VERLINSKY, Y. Preimplantation diagnosis: a realistic option for assisted reproduction and genetic practice. Current Opinion in Obstetrics and Gynecology, v. 17, n. 2, p. 179-183, May 2005. http://dx.doi.org/10.1097/01.gco.0000162189.76349.c5.
LANNA JÚNIOR, Mário Cléber Martins (Org.). História do movimento político das pessoas com deficiência no Brasil. Brasília-DF: Secretaria de Direitos Humanos, Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, 2010. Disponível em: http://www.mpsp.mp.br/portal/page/portal/documentacao_e_divulgacao/doc_biblioteca/bibli_servicos_produtos/BibliotecaDigital/BibDigitalLivros/TodosOsLivros/historia_movimento_pcd_brasil.pdf.
LEITE, Tatiana Henriques; HENRIQUES, Rodrigo Arruda de Holanda. Bioética em reprodução humana assistida: influência dos fatores sócio-econômico culturais sobre a formulação das legislações e guias de referência no Brasil e em outras nações. Physis, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 31-47, mar. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312014000100031&lng=en&nrm=iso. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312014000100003.
LEWONTIN, Richard. Biology as ideology: the doctrine of DNA. New York: HarperPerenial, 1992.
LO, Y. M. et al. Presence of fetal DNA in maternal plasma and serum. Lancet, v. 16, n. 350, p. 485-487, Aug. 1997. http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(97)02174-0.
LUNA, Florencia; RIVERA LÓPEZ, Eduardo. Ética y genética: los problemas morales de la genética humana. Buenos Aires: Catálogos, 2004.
MARAMBIO, José Tomás Alvarado; ALCÁNTARA, Manuel J. Santos. Ethical problems with the preimplantation genetic diagnosis of human embryos. Acta Bioethica, v. 24, n. 1, p. 75-83, 2018. Disponível em: https://scielo.conicyt.cl/pdf/abioeth/v24n1/1726-569X-abioeth-24-01-00075.pdf.
MARKS, Jonathan. Human biodiversity: genes, race and history. New York: Aldine de Gruyter, 1995.
OMIM Gene Map Statistics. Disponível em: http://www.omim.org/statistics/geneMap. Acesso em: 07 nov. 2018.
POLÍTICA Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília-DF: MEC/SEESP, 2008. Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado pela Portaria nº 555/2007, prorrogada pela Portaria nº 948/2007, entregue ao Ministro da Educação em 07 de janeiro de 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf.
ROTTERDAM ESHRE/ASRM-Sponsored PCOS Consensus Workshop Group. Revised 2003 consensus on diagnostic criteria and long-term health risks related to polycystic ovary syndrome. Fertil Steril, v. 81, n. 1, p.19-25, Jan. 2004. http://dx.doi.org/10.1016/j.fertnstert.2003.10.004.
SANCHES, Mário Antônio. Brincando de Deus: bioética e as marcas sociais da genética. São Paulo: Ave Maria, 2007.
SCHMIDT, L. C. et al. Noninvasive fetal RHD genotyping from maternal plasma in an admixed Brazilian population. Genet Mol Res, 0v. 13, n. 1, p. 799-805, Feb. 2014.
SLOAN, Philip R. Controlling our destinies: historical, ethical, and theological perspectives on the Human Genome Project. Notre Dame: University of Notre Dame Press, 2000.
TABOR, A; ALFIREVIC, Z. Update on procedure-related risks for prenatal diagnosis techniques. Fetal Diagn Ther, v. 27, n. 1, p. 1-7, Dec. 2009. http://dx.doi.org/10.1159/000271995.
TAUER, Carol A. The human significance of the genome project (1992). In: Shannon, T. A. (Ed.). Genetic engineering: a documentary history. Westport: Greenwood Press, 1999. p. 103-110.
VIERNES, H. Enabling reproductive genomics and inherited disease research with the Ion S5 next-generation sequencing system. Thermo Fisher Scientific [Technical Report], 2015 Disponível em: https://tools.thermofisher.com/content/sfs/brochures/Ion-S5-S5XL-App-Note-Inherited-Disease.pdf.
WATSON, J. D; BERRY, A. DNA: o segredo da vida. Trad. Carlos Afonso Malferrari. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.
WOLFF, P; MARTINHAGO, C.D; UENO, J. Diagnóstico genético pré‐implantacional: uma ferramenta importante para a rotina de fertilização in vitro? Femina, v. 37, n. 6, p. 297-303, jun. 2009.
Publicado
2020-05-12
Como Citar
Sanches, M. A., Silva, D. P., & Oliveira, H. I. de. (2020). Relação entre a dignidade da pessoa com deficiência e o valor de embriões humanos. Revista De Direito Sanitário, 20(2), 134-154. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9044.v20i2p134-154
Seção
Artigos Originais