Alfabetização para além do método: uma sintaxe freiriana

  • Carmen Lúcia Vidal Pérez Universidade Federal Fluminense; Faculdade de Educação
Palavras-chave: alfabetização, conscientização, cultura, transformação

Resumo

Paulo Freire é sem dúvida o maior educador brasileiro, por meio da prática alfabetizadora, sua obra pensa formas brasileiras de conhecer o Brasil, não o das elites oligárquicas, da desigualdade social, da concentração de renda, mas o Brasil do ponto de vista de seu povo, o cotidiano da sociedade brasileira. O pensamento freireano é radical, comprometido com a solidariedade entre os homens. Paulo Freire lutou contra a opressão, a exploração e a injustiça social. A educação foi sua arena e as idéias e palavras suas armas de luta. A obra de Freire produziu uma nova sintaxe no campo educacional. Ao defender a alfabetização como ato de reflexão, criação, conscientização e libertação, Freire rejeita a concepção que vê a alfabetização como aquisição mecânica de codificação/decodificação de palavras e signos. Freire ao articular a leitura do mundo à leitura da palavra, insere a prática alfabetizadora na perspectiva de uma política cultural -cultura aqui entendida como a relação do homem com o seu entorno, que busca instrumentalizar o educando a saber pensar o espaço em que vive para nele se organizar na luta contra a opressão e a injustiça. Neste sentido, o conceito de alfabetização se amplia e transcende o seu conteúdo etimológico de lidar com letras e palavras mecanicamente, passando a traduzir as relações do educando com o mundo, mediadas pela prática transformadora desse mundo

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2007-08-01
Como Citar
Pérez, C. (2007). Alfabetização para além do método: uma sintaxe freiriana . Acolhendo a Alfabetização Nos Países De Língua Portuguesa, 1(2), 46-55. https://doi.org/10.11606/issn.1980-7686.v1i2p46-55
Seção
Fundamentos da Educação e Alfabetização