Testando empiricamente o CAPM condicional dos retornos esperados de carteiras dos mercados brasileiro, argentino e norte-americano

  • Elmo Tambosi Filho Universidade Metodista de São Paulo
  • Fabio Gallo Garcia Pontíficia Universidade Católica de São Paulo
  • Luiz Alberto Bertucci Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: CAPM Condicional, CAPM Estático, Mercados Financeiros, Carteiras

Resumo

Nas últimas décadas, o modelo CAPM tem despertado grande interesse na comunidade científica. Apesar das críticas, o aprimoramento do CAPM estático, que dá origem a novos modelos dinâmicos, traz maior segurança para o investidor ao longo do ciclo de negócios. O CAPM e suas versões estáticas foram e são de grande importância em finanças. Nos dias de hoje, encontramos adaptações mais complexas do modelo CAPM, as quais nos permitem obter respostas sobre questões em finanças que por muito tempo permaneceram não solucionadas. Diante desse panorama e considerando toda essa grande discussão acerca da validade do CAPM, este trabalho procura apresentar as vantagens dos modelos condicionais em relação ao modelo estático. Para constatar tais fatos, estudar-se-ão os testes dos modelos condicionais (beta variando ao longo do tempo) com e sem capital humano, que não são comumente estudados na literatura. Esses testes são convenientes para incorporar variâncias e co-variâncias que se alteram ao longo do tempo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2007-12-01
Como Citar
Tambosi Filho, E., Garcia, F., & Bertucci, L. (2007). Testando empiricamente o CAPM condicional dos retornos esperados de carteiras dos mercados brasileiro, argentino e norte-americano . REGE Revista De Gestão, 14(4), 63-75. https://doi.org/10.5700/issn.2177-8736.rege.2007.36614
Seção
Finanças