Um Estudo sobre a Utilização de Andragogia no Ensino de Pós-Graduação em Administração

  • Ana Carolina Messias Shinoda MBA Internacional da FIA
  • Cleonir Tumelero Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.
  • Martín Hernani Merino Universidad del Pacífico (Lima-Peru)
  • Angelo Monteiro Danese
  • Adriano Augusto Costa Carnaúba
  • Bernadete de Lourdes Marinho
Palavras-chave: andragogia, ensino para adultos, pós-graduação em administração

Resumo

A andr ago gia uma abor dag em de ensino com foco no público adulto, vem ganhando significativa importância nos últimos 40 anos, a partir do crescimento do número de adultos que estão retornando às salas de aula. A necessidade de tal abordagem de ensino advém da premissa de que adultos e crianças aprendem de formas diferentes. O presente estudo situa-se no campo do ensino em Administração e tem como linha teórica a andragogia como forma de ensino. O principal objetivo é identificar a percepção de alunos dos cursos de pós-graduação stricto sensu em Administração mais bem avaliados no estado de São Paulo quanto à utilização da andragogia. O estudo possui enfoque quantitativo e é do tipo exploratório. O tratamento dos dados foi realizado por meio de estatística descritiva e por meio da técnica multivariada de Análise Fatorial, a partir de 139 respostas válidas. A pesquisa foi aplicada no curso de pós-graduação em Administração stricto sensu da Faculdade de Economia Administração e Contabilidade da Escola de São Paulo (FEA-USP) e da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (EAESP -FGV). Dentre os principais resultados, foi possível identificar quatro dos seis elementos do processo de andragogia propostos pela literatura. Os alunos percebem a emergência de um processo de preparação, de estabelecimento de clima colaborativo, de estabelecimento de objetivos e de avaliação contínua da aprendizagem. Por outro lado, não percebem o uso de técnicas experienciais de aprendizagem nas escolas. Também ressalta, na percepção do uso da andragogia, a influência do nível acadêmico; todavia, idade e experiência prévia como professor não resultaram em diferenças significativas nessa percepção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Messias Shinoda, MBA Internacional da FIA
Mestre em Administração pela FEA-USP graduada em Administração de Empresas pela EAESP-FGV. É certificada PMP - Project Management Professional, pelo PMI (Project Management Institute). Possui formação em coaching pelo Instituto EcoSocial. Consultora do grupo DMRH/Cia de Talentos na área de Desenvolvimento e Carr eira. Professora do MBA Internacional da FIA na disciplina Brazilian Market and Culture, professora convidada na graduação da FEA-USP na disciplina de Gestão de Projetos e na pós-graduação da POLI-USP e da FIA no curso de Gerenciamento de Projetos.
Cleonir Tumelero, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.
Doutorando em Administração pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP). Mestre em Administração pela FEA-USP, em 2012. Especialista em Gestão Empresarial pela Es cola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (EBAPE-FGV), em 2007. Graduação em Administração com habilitação em Comércio Exterior pela Universidade de Cuiabá (UNIC), em 2005.
Martín Hernani Merino, Universidad del Pacífico (Lima-Peru)
Doutor em Administração na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (FEA-USP), mestre em Administração na Escola de Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (EA-UFRGS). Graduação em Administração pela Universidad de Piura (Peru). Atualmente, atua como professor-pesquisador do Departamento Académico de Administração na Universidad del Pacífico (Lima-Peru) e como integrante do Conselho Diretivo do Instituto Peruano de Competitividad (INSPERCOM)
Angelo Monteiro Danese
Possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2009). Tem experiência na área de Administração, com ênfase em em operações e inovação
Adriano Augusto Costa Carnaúba
Mestre em Administração pela FEA-USP com dissertação defendida na área de Administração. É graduado em Administração de Empresas pela FEA-USP. Atualmente é administrador no BNDES. Tem por temas de pesquisa governança e gestão em redes
Bernadete de Lourdes Marinho
Possui graduação em Administração pela Universidade de São Paulo (1977) , especialização em Estágio Para Estudos Científicos pela Conservatoire National des Arts et Metiers (1984) , mestrado em Administração pela Universidade de São Paulo (1985) , doutorado em Administração pela Universidade de São Paulo (1994) , ensino - fundamental-primeiro-grau pelo Grupo Escolar Maurício Murgel (1966) , ensino- mediosegundo- grau pelo Colégio Estadual Gonçalves Dias (1973) e ensino -medio- segundo-grau pelo Colégio Nossa Senhora Monte Calvário (1970) . Atualmente é Professora Doutora da Universidade de São Paulo, Professora Titular do Centro Universitário FIEO e Coordenadora de Projetos do Fundação Instituto de Administração. Tem experiência na área de Administração
Publicado
2014-12-03
Como Citar
Shinoda, A. C., Tumelero, C., Merino, M., Danese, A., Carnaúba, A., & Marinho, B. (2014). Um Estudo sobre a Utilização de Andragogia no Ensino de Pós-Graduação em Administração. REGE Revista De Gestão, 21(4), 507-523. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/rege/article/view/99953
Seção
Ensino em Administração