Moda e modas no vestuário

Da teoria clássica ao pluralismo do tempo presente

Palavras-chave: moda, sociedade, história, hierarquia simbólica, pluralismo

Resumo

Este trabalho propõe uma análise comparativa acerca de dois momentos da moda no vestuário. O primeiro refere-se às teorias que inicialmente compreenderam o fenômeno da moda como uma hierarquia simbólica entre classes que ditam e classes que copiam moda. Esta perspectiva analítica explicou a moda desde o seu surgimento no Ocidente até meados do século XX. O segundo momento trata das modas plurais do tempo presente que, acredita-se, não podem mais ser explicadas por este primeiro cenário teórico. A investigação buscou evidenciar regularidades e singularidades entre os diferentes contextos de moda, examinando até que ponto a proposta analítica da hierarquia simbólica ainda explica as modas contemporâneas e em quais aspectos as modas plurais de hoje se diferenciam no seu movimento de renovação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Crivellari Dulci, Universidade Federal de Ouro Preto - Minas Gerais - Brasil
Professora Adjunta IV da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP/MG). Doutorado em Sociologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2009), Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2004). Atua principalmente nas áreas de Sociologia da Cultura; Sociologia da Moda; Metodologia de Pesquisa e Produção do Conhecimento Científico; Educação, Cultura e Sociedade. Membro da Diretoria de Extensão da Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas em Moda (ABEPEM) e da Comissão Científica do Colóquio de Moda (Evento internacional, principal congresso brasileiro na área de Modal).

Referências

BENDIX, Reinhard. Reavaliação dos conceitos de tradição e modernidade. In: Idem. Construção nacional e cidadania. São Paulo: Edusp, 1996.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

BRAUDEL, Fernand. O supérfluo e o costumeiro: o habitat, o vestuário e a moda. In: Idem. Civilização material, economia e capitalismo, séculos XV-XVIII, vol. 1. As estruturas do cotidiano: o possível e o impossível. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

BOURDIEU, Pierre & DELSALT, Yvette. Le couturier et sa griffe: contribuition à une théorie de la magie. Actes de la Recherche en Sciences Sociales, n. 1, Paris, 1975, p. 7-36.

BOURDIEU, Pierre. Questões de Sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

CALANCA, Daniela. História social da moda. Tradução de Renata Ambrósico. São Paulo: Ed. Senac, 2008.

CAMPBELL, Colin. A ética romântica e o espírito do consumismo moderno. Rio de Janeiro: Roxo, 2001.

CANCLINI, Nestor Garcia. Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1999. Editora Senac, 2008.

CIETTA, Enrico. A revolução do fast-fashion: estratégias e modelos organizativos para competir nas indústrias híbridas. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2010.

DURAN, José Carlos. Moda, luxo e economia. São Paulo: Ed. Babel Cultural, 1988.

ELIAS, Norbert. A sociedade de corte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

FEATHERSTONE, Mike. Cultura de consumo e pós-modernismo. São Paulo: Nobel, 1995.

FLETCHER, Kate & GROSE, Lynda. Moda e sustentabilidade: design para a mudança. São Paulo: Editora Senac, 2011.

GOBLOT, Edmond. A barreira e o nível: retrato da burguesia francesa na passagem do século. Tradução de Estela dos Santos Abreu e Maria da Silva Cravo. Campinas: Papirus, 1989.

HEINZ, Peter. La moda como fenómeno social. Curso de Sociologia. Buenos Aires: Editorial Universitaria de Buenos Aires, 1965.

LIPOVETSKY, Gille. O império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

MENICUCCI, Telma. Sociologia histórica comparativa: questões metodológicas. Locus – Revista de História, vol. 4, n. 1, Juiz de Fora, 1998.

MORIN, Edgar. Cultura de massas no século XX, vol. 2. 9ª edição. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.

REIS, Fábio Wanderley. Análise histórico-comparada: uma alternativa para o estudo do desenvolvimento? Porto Alegre: Instituto Goethe, 1985.

SARTORI, Giovanni. Comparación y método comparativo. In: SARTORI, G. & MORLINO, L. (org.). La comparación en las ciencias sociales. Madri: Alianza, 1994.

SIMMEL, Georg. La mode. In: Idem. Philosophie de la modernité. Paris: Payot, 1989.

SIMMEL, Georg. Philosophie de la modernité. Paris: Payot, 1989.

SIMMEL, Georg. Da psicologia da moda: um estudo sociológico. In: SOUZA, J. & ÖELZE, B. (org.). Simmel e a modernidade. Brasília: Ed. UnB, 1998.

SOMBART, Werner. Lujo y capitalismo. Tradução do alemão por Luis Isabal. Madri: Revista de Occidente, 1965.

SOUZA, J. & ÖELZE, B. (org.). Simmel e a modernidade. Brasília: Ed. UnB, 1998

TARDE, Gabriel de. As leis da imitação. Porto: Rés Editora, 1969.

VEBLEN, Thorstein. A teoria da classe ociosa. Tradução de Olívia Krhenbühl. São Paulo: Abril Cultural, 1980 (Os Pensadores).

Publicado
2019-05-23
Seção
Dossiê: Moda e História