Gilda de Mello e Souza e a emergência do campo da moda no Brasil (1800-1990)

  • Luís André do Prado Universidade de São Paulo (USP)
Palavras-chave: História da moda, moda, estética, economia, sociologia

Resumo

O objetivo deste artigo é recompor a história de uma obra: a tese-ensaio que, em 1950, conferiu a Gilda de Mello e Souza grau de doutoramento em Ciências Sociais, situando-a no contexto acadêmico e da geração intelectual da época em que foi escrita, assim como no desenvolvimento do campo da moda no Brasil. Lançada em livro 37 anos depois, com o título O espírito das roupas - a moda no século XIX, ganhou reconhecimento e se tornou uma obra-monumento para o campo da moda ou, pelo menos, para a produção histórica da moda no Brasil. Para além de suas qualidades intrínsecas, só é possível alcançar sua significação revisitando as fontes que lhe deram sustentação, sua temporalidade e as circunstâncias que circundaram sua elaboração; sobretudo, localizando-a no âmbito da emergência do campo – conforme conceituou o sociólogo Pierre Bourdieu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luís André do Prado, Universidade de São Paulo (USP)

Doutorando do Departamento de História Econômica da Universidade de São Paulo (USP); graduado em Comunicação Social pela PUC-MG (1974-1979); reporter geral Estado de Minas (1979-1985); reporter e chefe sucursal BH da Folha de S. Paulo (1985-1987); subeditorde cultura IstoÉ (1987-1988); coordenador de comunicação CREA-SP (1994-1997), coordenador de pesquisas do Museu da Pessoa (1994-1997); coordenador comunicação CRP-SP (1999-2001), coordenador geral Pyxis Editorial (2002-2014). Livros: Cacilda Becker, fúria santa. São Paulo: Geração Editorial, 2002. História da moda no Brasil, das influências às autorreferências. São Paulo: Disal, 2011 (com João Braga).

Referências

ARANTES, Otília Beatriz Fiori. Notas sobre o método crítico de Gilda Mello e Souza. São Paulo: Discurso, 2005.

ARANTES, Paulo Eduardo; ARANTES, Otília Beatriz. Sentido da formação: três estudos sobre Antônio Cândido, Gilda de Mello e Souza e Lúcio Costa. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

BARTHES, Roland. Inéditos, vol. 3 – Imagem e moda. Tradução de Ivone C. Benedetti. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

BONADIO, Maria Claudia. Algumas anotações (e questões) sobre Gilda de Mello e Souza e a moda como objeto de estudo. Revista Prâksis, vol. 1, Novo Hamburgo, jan./jun. 2017.

BOURDIER, Pierre. A economia das trocas simbólicas. Introdução, organização e seleção de Sérgio Miceli. 8ª edição. São Paulo: Perspectiva, 2015.

BOURDIER, Pierre; DELSAUT, Yvette. O costureiro e sua grife: contribuição para uma teoria da magia. Tradução de Maria das Graças Jacintho Setton. Educação em Revista, nº 34, Belo Horizonte, 2001.

FREYRE, Gilberto. Modos de homem, modas de mulher. Rio de Janeiro: Record, 1987.

LIPOVETSKY, Gilles. O império do efêmero. São Paulo: Cia. das Letras, 2009.

PONTES, Heloísa. Modas e modos: uma leitura enviesada de O espírito das roupas. Cadernos Pagu, vol. 22, Campinas, SP: Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2004.

PRADO, Luís André & BRAGA, João. História da moda no Brasil, das influências às autorreferências. São Paulo: Disal, 2012.

SOUZA, Gilda de Mello e. O espírito das roupas. São Paulo: Cia. das Letras, 1987.

SOUZA, Gilda de Mello e. O tupi e o alaúde, uma interpretação de Macunaíma. São Paulo: Duas Cidades, 1979.

SVENDSEN, Lars. Moda, uma filosofia. Rio de Janeiro: Zahar Editor, 2010.

Publicado
2019-03-19
Seção
Dossiê: Moda e História