Imagens cromáticas e sonoridades conflitantes em Maputo, Meridiano Novo (1976) de Santiago Álvarez

Palavras-chave: Cuba, Moçambique, cinema, socialismo, representação política

Resumo

O presente artigo analisa como as históricas tensões sociais em Moçambique foram narradas no curta-metragem cubano Maputo, meridiano novo, dirigido por Santiago Álvarez em 1976. A obra utiliza imagens de arquivo e registros do cinegrafista Julio Simoneau, de Cuba, feitos no pós-independência. Estes últimos denunciam a continuidade da exclusão social em Maputo, herdada do período colonial. Pelo lado musical, o curta se vale de um variado repertório, como a versão jazzística do tema de 2001: Uma odisseia no espaço (Stanley Kubrick, 1968) e um samba carnavalesco, utilizados como dispositivos irônicos pelo relato. O resultado na mise-en-scène é de um documentário propositalmente curto que, por um lado, endossa o “roteiro da libertação” (João Paulo Borges Coelho) difundido pela Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo) e, por outro, expõe as fissuras do tecido social moçambicano, gerando diversas tensões na fatura estética da obra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexsandro de Sousa e Silva, Universidade de São Paulo

Doutorando em História Social na Universidade de São Paulo e bolsista pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq.

Referências

Afrique “blanche” au banc des accusés. Solidarité avec le Zimbabwe (12 septembre) et le Mozambique (25 septembre). Tricontinental, n. 8, Paris: Ospaaal [Éditions François Maspero], set.-out. 1968, p. 139-141.

BESKOW, Cristina Álvares. Miradas anticoloniais de Santiago Álvarez em Moçambique. In: MONTEIRO, Lúcia Ramos (org.). África(s), cinema e revolução. São Paulo: Buena Onda Produções Artísticas e Culturais, 2016, p. 111-114.

CABAÇO, José Luís. Moçambique: identidades, colonialismo e libertação. 475 f. Tese de doutorado, Antropologia, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

Cinema cubano em Moçambique. Tempo, n. 292, Maputo, 9 mai. 1976, p. 09.

Cinema cubano em Moçambique. Tempo, n. 293, Maputo, 16 mai. 1976, p. 11.

CHAVES, Marina Oliveira Feliz de Mello. O cinema e os países africanos de língua oficial portuguesa. Dissertação de mestrado, Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa, Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas, Universidade de São Paulo, 2017.

CHRISTIE, Iain. Samora: uma biografia. Tradução de Machado da Graça. Maputo: Ndjira, 1996.

COELHO, João Paulo Borges. Da violência colonial ordenada à ordem pós-colonial violenta. Lusotopie, Paris: Éditions Karthala, 2003, p. 175-193.

COELHO, João Paulo Borges. Politics and contemporary history in Mozambique: A set of epistemological notes. Kronos, vol. 39, n. 01, Cape Town, jan. 2013, p. 20-31. ISSN online 2309-9585. Disponível em: <http://www.scielo.org.za/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0259-01902013000100002>. Acesso em: 29 jun. 2019.

CORRÊA, Sônia & HOMEM, Eduardo. Moçambique: primeiras machambas. Rio de Janeiro: Margem Editoria, 1977.

Declaración general de la Conferencia de Roma. Tricontinental, n. 19-20, La Habana: Ospaaal, jun.-out. 1970, p. 173-174.

ENTRALGO, Armando. Un “año de África” que no es 1960. Tricontinental, n. 46-47, La Habana: Ospaaal, nov.-dez. 1975, p. 04-25.

FERREIRA, Carolin Overhoff. O drama da descolonização em imagens em movimento: a propos do “nascimento” dos cinemas luso-africanos. Estudos Linguísticos e Literários, n. 53, Salvador, jan.-jul. 2016, p. 177-221. ISSN online 2176-4794. Disponível em: <https://portalseer.ufba.br/index.php/estudos/article/view/16120>. Acesso em: 29 jun. 2019. DOI: <http://www.scielo.org.za/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0259-01902013000100002>.

FERRO, Marc. Cinema e história. Tradução de Flávia Nascimento. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

GARCÍA BORRERO, Juan Antonio. Santiago Álvarez. In: PARANAGUÁ, Paulo Antonio (ed.). Cine documental en América Latina. Madri: Ediciones Cátedra, 2003, p. 156-163.

GLEIJESES, Piero. Misiones en conflicto. La Habana, Washington y África, 1959-1976. Tradução de María Teresa Ortega. La Habana: Editorial Ciencias Sociales, 2007.

GOTT, Richard. Cuba: uma nova história. Tradução de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2006.

GRAY, Ros. Já ouviu falar em internacionalismo? As amizades socialistas no cinema moçambicano. In: MONTEIRO, Lúcia Ramos (org.). África(s), cinema e revolução. São Paulo: Buena Onda Produções Artísticas e Culturais, 2016, p. 35-66.

Jornada de solidaridad con Mozambique. Boletín Tricontinental, año I, n. 7-8, La Habana: Ospaaal, out.-nov. 1966, p. 07-09.

La situación social en Mozambique. Boletín Tricontinental, año III, n. 25, La Habana: Ospaaal, abr. 1968, p. 14-18.

Mozambique: un país en vías de liberación. Boletín Tricontinental, año III, n. 30, La Habana: Ospaaal, set. 1968, p. 26-28.

LABAKI, Amir. El ojo de la revolución. El cine urgente de Santiago Álvarez. Tradução de Lázara Herrera. São Paulo: Iluminuras, 1994.

LÓPEZ BLANCH, Hedelberto. Historias secretas de médicos cubanos. Prólogo: Piero Gleijeses. La Habana: Ediciones La Memoria, Centro Cultural Pablo de la Torriente Brau, 2005.

KELLNER, Peter. Objetivo inmediato: Cabora Bassa. Tricontinental, n. 23, La Habana: Ospaaal, mar.-abr. 1970, p. 07, 09, 29-36.

MACHEL, Samora. Por qué luchamos. Tricontinental, n. 18, La Habana: Ospaaal, mai.-jun. 1970, p. 04-11.

MACHEL, Samora. Informe del CC del Frelimo al III Congreso. Tricontinental, n. 52, La Habana: Ospaaal, mar.-abr. 1977, p. 28-70.

MONDLANE, Eduardo. Frelimo: el reto verdadero. Tricontinental, n. 12, La Habana: Ospaaal, mai.-jun. 1969, p. 97-120.

Mozambique. Declaración de Independencia. Boletín Tricontinental, año X, n. 98, La Habana: Ospaaal, p. 33-40.

Mozambique: el pueblo no puede ser engañado. Boletín Tricontinental, año VII, n. 77, La Habana: Ospaaal, ago. 1972, p. 42-48.

Mozambique: por su legítima liberación nacional. Boletín Tricontinental, año IV, n. 44, La Habana: Ospaaal, nov. 1969, p. 47-48.

Mozambique 73. Tricontinental, n. 34-35, La Habana: Ospaaal, mar.-abr. 1974, p. 88-112.

Mozambique Año III. Boletín Tricontinental, año II, n. 18, La Habana: Ospaaal, set. 1967, p. 34-36.

NAPOLITANO, Marcos. Fontes audiovisuais: a história depois do papel. In: PINSKY, Carla (org.). Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2005, p. 235-290.

PARANAGUÁ, Paulo Antonio (dir.). Le cinéma cubain. Tradução de Nicole Canto, François Maspero, Monique Roumette. Paris: Centre Georges Pompidou, 1990 (Cinéma/Pluriel, dir. Jean-Loup Passek).

Primera Conferencia de Mujeres Mozambiqueñas. Boletín Tricontinental, año IX, n. 88-89, La Habana: Ospaaal, 1974, p. 02-12.

RIUS, Hugo. Mozambique: la lucha continúa. Tricontinental, n. 45, La Habana: Ospaaal, set.-out. 1975, p. 18-30.

SANTOS, Marcelino dos. Una guerra internacional. Tricontinental, n. 23. La Habana: Ospaaal, mar.-abr. 1970, p. 08.

SORLIN, Pierre. Sociología del cine: la apertura para la historia de mañana. Tradução de Juan José Utrilla. México D.F.: Fondo de Cultura Económica, 1985.

TOURÉ, Ahmed Sékou; NETO, Agostinho; CABRAL, Luis; CASTRO, Fidel. Por el futuro de África. Tricontinental, n. 48, La Habana: Ospaaal, mar.-abr. 1976, p. 04-16.

VILLAÇA, Mariana. Cinema cubano: revolução e política cultural. São Paulo: Alameda, 2010.

VISENTINI, Paulo Fagundes. As revoluções africanas: Angola, Moçambique e Etiópia. São Paulo: Editora Unesp, 2012 (Coleção Revoluções do século 20, direção de Emilia Viotti da Costa).

Ficha técnica do Filme

MAPUTO, meridiano novo. Direção: Santiago Álvarez. Roteiro: Santiago Álvarez e Rebeca Chávez. La Habana: Instituto Cubano de Arte e Industria Cinematográficos, 1976. 35 mm para vídeo digital (15 min.), son., P&B, color.

Publicado
2019-09-02
Seção
Dossiê: Moçambique em perspectiva: histórias conectadas, interdisciplinaridade..