Autobiografias em Moçambique

a escrita como monumento (2001-2013)

Palavras-chave: Moçambique, memória, história, escrita, contemporaneidade

Resumo

O artigo tem como foco textos de caráter autobiográfico publicados em Moçambique a partir de 2001, nos quais as relações entre memória e poder projetam-se como uma aliança determinante na condução da história recente do país. Compreendendo a escrita como uma arena, os autores recolhem/selecionam/produzem as lembranças do período da luta armada de libertação e propõem uma leitura em que a história é delineada por vozes que, mesmo procurando incorporar uma carga de subjetividade aos discursos que registram, confluem no esforço de consolidação da macronarrativa oficial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita Chaves, Universidade de São Paulo

Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas - FFLCH

 

Referências

BORGES COELHO, João Paulo. Abrir a fábula. Questões de política do passado em Moçambique. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 106, Coimbra: CES, 2015.

CABAÇO, José Luís. A longa estrada da democracia moçambicana. In: MAZULA, Brazão. Moçambique. Eleições democracia e desenvolvimento. Maputo: Ed. do Autor, 1995.

CHISSANO, Joaquim. Vidas, lugares e tempos. Maputo: Texto Editores, 2010.

CRUZ E SILVA, Teresa. Zedequias Manganhela: uma biografia contextualizada (1912-1972). Maputo: Marimbique, 2014.

DICK, Jorge. Mandionerepi: donde é que me viram?, vol. 1. Maputo: CPHLLN, 2011.

DOUBROVSKY, Serge. O último eu. In: NORONHA, Jovita (org.). Ensaios sobre a autoficção. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014, p. 123.

FERRÃO, Valeriano. Embaixador nos USA. Maputo: Ndjira, 2007.

FUCHS, Elisa. Moçambique marcou-nos para a vida. Maputo: JV Editores, 2016.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar, escrever, esquecer. São Paulo: Editora 34, 2006.

GASPARINI, P. Autoficção é o nome de que? In: NORONHA, Jovita (org.). Ensaios sobre a autoficção. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014, p. 187-8.

HONWANA, Luís Bernardo. A velha casa de madeira e zinco. Maputo: Alcance, 2017.

LANGA, Aurélio Valente. Memórias de um combatente da luta de libertação. O passado que levou o verso da minha vida. Maputo; JV Editores, 2011.

LEJEUNE, P. L’autobiographie en France. Paris: Armand Colin, 1971

MACEDO, Tania. O romance de retornados. Texto inédito, cedido pela autora.

MAGALHÃES, Isabel Allegro de. Capelas imperfeitas: configurações literárias da identidade portuguesa. In: RAMALHO, Maria Irene & RIBEIRO, António Sousa (org.). Entre ser e estar. Raízes percursos e discursos da identidade. Porto: Afrontamento, 2002.

MARTINS, Helder. Por que Sakrani?: memórias de um médico de uma guerrilha esquecida. Maputo: Editora Terceiro Milênio, 2001.

MBOA, Matias. Memórias da luta clandestina. Maputo: Marimbique, 2009.

MOIANE, José Phahlane. Memórias de um guerrilheiro. [s. l.]: King Ngungunhane Institute, 2009.

MONTEIRO, Óscar. De todos se faz um país. Maputo: Associação dos Escritores Moçambicanos, 2012.

MUSSANHANE, Ana. Protagonistas da luta de libertação. Maputo: Marimbique, 2012.

NALYAMBIPANO, Salésio. A minha contribuição para a independência e edificação do Estado moçambicano – Memórias de um general da linha da frente. Maputo: CPHLLN, 2013.

NDELANA, Lopes Tembe. Da Udenamo à Frelimo e à diplomacia moçambicana. Maputo: Marimbique, 2013.

NORONHA, Jovita (org.). Ensaios sobre a autoficção. Tradução de Maria Inês Coimbra Guedes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

PACHINUAPA, Raimundo. I CONGRESSO DA FRENTE DE LIBERTAÇÃO DE MOÇAMBIQUE (FRELIMO) – Memórias. Maputo: Edição do Autor, 2009.

PACHINUAPA, Raimundo & PACHINUAPA, Marina. A vida do casal Pachinuapa. Maputo: 2009.

PELEMBE, João Facitela. Lutei pela pátria. Memórias de um combatente da luta de libertação nacional. Maputo: Edição do Autor, 2012.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Editora Unicamp, 2007.

ROUSSO, Henry. Le syndrome de Vichy. De 1944 à nos jours. Paris: Seuil, 1990.

SOUTO, Amélia Neves. História, memória e identidade na história da Frelimo/Moçambique. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL – OS INTELECTUAIS AFRICANOS FACE AOS DESAFIOS DO SÉCULO XXI. Em memória de Ruth First (1925-1982). Anais. Maputo, 28-29 de novembro de 2012.

SOUTO, Amélia Neves. Memory and identity in the history of Frelimo: some research themes. Kronos, n. 39, 2013, p. 280-296.

SARLO, Beatriz. Tempo presente. Cultura da memória e guinada subjetiva. São Paulo: Companhia das Letras/ Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2007.

VELOSO, Jacinto. Memórias em voo rasante. Maputo: António José Correia Paulo, 2006.

VELOSO, Maria Teresa. Nota da editora. In: LANGA, Aurélio Valente. Memórias de um combatente da luta de libertação. O passado que levou o verso da minha vida. Maputo: JV Editores, 2011.

VIEIRA, Sérgio. Participei, por isso testemunho. Maputo: Ndjira, 2010.

WELCH, Gita Honwana. Prefácio. In: FUCHS, Elisa. Moçambique marcou-nos para a vida. Maputo: JV Editores, 2016.

Publicado
2019-10-08
Seção
Dossiê: Moçambique em perspectiva: histórias conectadas, interdisciplinaridade..