Amazônia brasileira, celeiro do mundo

Ciência, agricultura e ecologia no Instituto Agronômico do Norte nos anos 1940 e 1950

Palavras-chave: Amazônia, ecologia, Instituto Agronômico do Norte, Harald Sioli, agronomia

Resumo

O artigo analisa as pesquisas científicas realizadas no Instituto Agronômico do Norte (IAN), instituição criada pela política desenvolvimentista do governo brasileiro para a utilização agrícola da Amazônia nas décadas de 1940 e 1950. Discutimos especialmente as pesquisas relacionadas à chamada “teoria do ecossistema florestal”, desenvolvida pelo limnologista alemão Harald Sioli na instituição. A teoria orientou a agenda de pesquisa do IAN naquelas décadas: policultura, construção de canais de colmatagem no rio Amazonas, aproveitamento de áreas de várzea para a produção de alimentos, e o desenvolvimento da bubalinocultura nas terras firmes da região. O IAN projetava a Amazônia como celeiro do mundo e solução para a fome planetária. O principal instrumento dessa transformação seria o conhecimento de sua ecologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Felipe Cândido da Silva, Fundação Oswaldo Cruz FIOCRUZ-RJ

Graduação em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) (2008) e em Ciências Biológicas - Microbiologia e Imunologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) (2003). Mestrado e doutorado em História das Ciências e da Saúde pela Casa de Oswaldo Cruz/ FIOCRUZ. Fez estágio de pós-doutorado no Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. Pesquisador da Casa de Oswaldo Cruz - FIOCRUZ e editor científico de História, Ciências, Saúde - Manguinhos.Tem experiência na área de História, com ênfase em história das ciências e história da medicina e da saúde pública, atuando principalmente nos seguintes temas: trajetórias de personagens e instituições científicas, história da medicina, das doenças e da saúde pública, relações científicas transnacionais, relações Brasil-Alemanha, história da medicina tropical e da pesquisa agrícola.

Dominichi Miranda de Sá, Fundação Oswaldo Cruz FIOCRUZ-RJ

Graduação em História pela UERJ (1995), com mestrado (1999) e doutorado (2003) em História Social pela UFRJ, período de bolsa-sanduíche na École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris (2001-2002) e pós-doutorado (2008) pela Casa de Oswaldo Cruz (COC)/Fiocruz. Professora do Programa de Pós-graduação em História das Ciências e da Saúde (PPGHCS), e pesquisadora do Departamento de Pesquisa em História das Ciências e da Saúde (DEPES) da Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz. Integra a equipe da Coordenação das Ações de Prospecção da Presidência da Fiocruz e é membro da diretoria da Sociedade Brasileira de História da Ciência (SBHC) nos biênios 2012-2014 (secretária geral), 2014-2016 (vice-presidente), 2016-2018 (Conselho Deliberativo); da Câmara Técnica de Pesquisa da Casa de Oswaldo Cruz e da Câmara Técnica de Saúde e Ambiente da Fiocruz. Tem como áreas de ensino a teoria da história, história intelectual, história ambiental e história das ciências. Seus objetos de pesquisa são: viagens científicas e conhecimento do território no Brasil no século XX; história da conservação e da preservação da natureza no século XX; história da ecologia; impactos sanitários e ambientais de projetos de desenvolvimento.

Referências

ACOT, Pascal. História da ecologia. Tradução: Carlota Gomes. Rio de Janeiro: Campus, 1990.

ALBUQUERQUE, Milton & LIBONATI, Virgílio F. 25 anos de pesquisas na Amazônia: histórico, organização, pesquisas. Belém: Ipean, 1964.

AMAZÔNIA capacitada a produzir arroz para consumo mundial. Diário Carioca, Rio de Janeiro, 3/1/1955, p. 12 [Acervo da Biblioteca Nacional].

ANDRADE, Rômulo de Paula. A Amazônia na era do desenvolvimento: saúde, alimentação e meio ambiente (1946-1966). Tese de doutorado em História das Ciências e da Saúde. Casa de Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2012.

APERFEIÇOAMENTO dos rebanhos bovinos da região amazônica. Diário Carioca, Rio de Janeiro, 24/01/1950, p. 3 [Acervo da Biblioteca Nacional].

Bielschowsky, Ricardo. Pensamento econômico brasileiro: o ciclo ideológico do desenvolvimentismo. Rio de Janeiro: Ipea, 1988.

BRASIL. Ministério da Agricultura. Trabalhos realizados em 1938. Rio de Janeiro: Serviço de Publicidade Agrícola, 1938a. Disponível em: <http://brazil.crl.edu/bsd/bsd/u2028/contents.html>. Acesso em: 5 out. 2016.

BRASIL. Decreto-Lei nº 982, de 23 de dezembro de 1938. Cria novos órgãos no Ministério da Agricultura, reagrupa e reconstitui alguns dos já existentes e dá outras providências. Diário Oficial da União: Seção 1, Rio de Janeiro, p. 26685, 29 dez. 1938b. Disponível em: <https://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1930-1939/decreto-lei-982-23-dezembro-1938-350702-publicacaooriginal-1-pe.html>. Acesso em: 9 set. 2019.

BRASIL. Decreto-Lei nº 1.245, de 4 de maio de 1939. Cria o Instituto Agronômico do Norte, subordinado ao Centro Nacional de Ensino e Pesquisas Agronômicas, do Ministério da Agricultura. Diário Oficial da União: Seção 1, Rio de Janeiro, p. 10387, 6 maio 1939. Disponível em: <https://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1930-1939/decreto-lei-1245-4-maio-1939-349137-publicacaooriginal-1-pe.html>. Acesso em: 9 set. 2019.

BRASIL. Decreto-Lei nº 5.246, de 12 de fevereiro de 1943. Instruções para execução do acordo firmado em 3 de setembro de 1942 entre os governos brasileiro e norte-americano para produção de gêneros alimentícios. Diário Oficial da União: Seção 1, Rio de Janeiro, p. 2139, 15 fev. 1943a. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-5246-12-fevereiro-1943-415396-publicacaooriginal-1-pe.html>. Acesso em: 13 jan. 2017.

BRASIL, Ministério da Agricultura. Boletim do Ministério da Agricultura, Rio de Janeiro, ano 32, n. 4, abril de 1943b [Acervo da Biblioteca Nacional].

BRASIL, Ministério da Agricultura. Boletim do Ministério da Agricultura, Rio de Janeiro, ano 32, n. 5, maio de 1943c [Acervo da Biblioteca Nacional].

BRASIL. Valorização econômica da Amazônia: subsídios para seu planejamento. Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1954.

BRAUN, Rudolf. Limnologische untersuchungen an einigen seen im amazonasgebiet. Schweizerische Zeitschrift für Hidrobiologie, Basel, v. 14, p. 1-128, 1952.

BRAUN, Rudolf et al. Wassermilben aus dem amazonasgebiet (Hydrachnellae, Acari) (systematische und ökologische untersuchungen). Schweizerische Zeitschrift für Hidrobiologie, Basel, v. 16, n. 1, p. 78-51, 1954a. doi: http://dx.doi.org/10.1007/BF02483636.

BRAUN, Rudolf et al. Wassermilben aus dem amazonasgebiet (Hydrachnellae, Acari) (systematische und ökologische untersuchungen). Schweizerische Zeitschrift für Hidrobiologie, Basel, v. 16, n. 2, p. 161-247, 1954b. doi: http://dx.doi.org/10.1007/BF02483636.

CAMARGO, Felisberto. Sugestões para o soerguimento do Vale Amazônico. Belém: Instituto Agronômico do Norte, 1948.

CAMARGO, Felisberto. Agricultura itinerante nas florestas tropicais. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, t. 10, p. 123-147, 1949.

CAMARGO, Felisberto & CARVALHO, Daniel de. Aproveitamento das várzeas da Amazônia para a produção intensiva de alimentos. Belém: Instituto Agronômico do Norte: Embrapa Amazônia Oriental, 1951 [Acervo do CPATU].

CAMARGO, Felisberto. Programme de Recherches Relatives à la Zone Tropicale Humide: rapport sur la région amazonienne. Unesco: Paris, 1956.

CAMARGO, Felisberto. Colonização para a fixação do homem em zona de Castanhal. Histórico de programas oficiais sobre a criação de núcleos coloniais visando a formação de plantações de castanheiras. [S.l.: s.n.], 1967. 5 p., Datilografado. [Acervo do CPATU].

CAMPOS, André Luiz Vieira de. Políticas internacionais de saúde na Era Vargas: o Serviço Especial de Saúde Pública, 1942-1960. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2006.

CARTER, Eric D. Development narratives and the uses of ecology: malaria control in Northwest Argentina, 1890-1940. Journal of Historical Geography, Amsterdam, v. 33, n. 3, p. 619-650, 2007. Disponível em: <https://www.academia.edu/27940808/Development_narratives_and_the_uses_of_ecology_malaria_control_in_Northwest_Argentina_1890_1940>. Acesso em: 10 set. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.jhg.2006.06.002.

CARTER, Eric D. Malaria control in the Tennessee Valley Authority: health, ecology, and metanarratives of development. Journal of Historical Geography, Amsterdam, v. 43, n. 1, p. 111-127, 2014. Disponível em: <https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S030574881300100X?via%3Dihub>. Acesso em 12 out. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.jhg.2013.09.002.

COOPER, Frederick & PACKARD, Randall. The history and politics of development knowledge. In: EDELMAN, Marc & HAUGUERUD, Angelique. The anthropology of development and globalization: from classical political economy to contemporary neoliberalism. Oxford: Blackweel, 2005, p. 126-139.

D’ARAÚJO, Maria Celina. Amazônia e desenvolvimento à luz das políticas governamentais: a experiência dos anos 50. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, n. 19, p. 40-55, 1992.

DEAN, Warren. A luta pela borracha no Brasil: um estudo de história ecológica. Tradução: Eduardo Brandão. São Paulo: Nobel, 1989.

EDELMAN, Marc & HAUGUERUD, Angelique (org.). The anthropology of development and globalization: from classical political economy to contemporary neoliberalism. Oxford: Blackweel, 2005.

FERREIRA, Jorge & DELGADO, Lucília de Almeida Neves (org.). O Brasil Republicano, v. 2: o tempo do nacional-estatismo: do início da década de 1930 ao apogeu do Estado Novo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

FERREIRA, Paulo Roberto & QUADROS, Marly. O homem que tentou domar o Amazonas. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 2011.

GARFIELD, Seth. A Amazônia no imaginário norte americano em tempo de guerra. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 29, n. 57, p. 19-65, 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbh/v29n57/a02v2957.pdf>. Acesso em: 5 out. 2016. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-01882009000100002.

GARFIELD, Seth. In search of the Amazon: Brazil, the United States, and the nature of a region. Durham: Duke University Press, 2014.

GRANDIN, Greg. Fordlândia: ascensão e queda da cidade esquecida de Henry Ford na selva. Rio de Janeiro: Rocco, 2010.

GUILLEN, Isabel Cristina. Celeiro do mundo: extrativismo e agricultura em discussão na Amazônia. Humanitas, Belém, v. 19, p. 97-116, 2003.

HABIB, Paula Arantes Botelho Briglia. Agricultura e biologia na Escola Superior de Agricultura ‘Luiz de Queiroz’(ESALQ): os estudos de genética nas trajetórias de Carlos Teixeira Mendes, Octavio Domingues e Salvador de Toledo Piza Jr. (1917-1937). Tese de doutorado em História das Ciências e da Saúde, Casa de Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2010.

INSTITUTO AGRONÔMICO DO NORTE. Relatório anual do Instituto Agronômico do Norte apresentado ao Dr. Felisberto Camargo por Luiz. O. T. Mendes, chefe da Seção de Coordenação de Trabalho Experimental. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 1942. Datilografado. [Acervo do CPATU].

INSTITUTO AGRONÔMICO DO NORTE. Relatório anual do Instituto Agronômico do Norte. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 1946. Datilografado. [Acervo do CPATU].

INSTITUTO AGRONÔMICO DO NORTE. Relatório anual do Instituto Agronômico do Norte. Belém: Embrapa Amazônia Oriental,1947. Datilografado. [Acervo do CPATU].

INSTITUTO AGRONÔMICO DO NORTE. Relatório do exercício de 1948. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 1948. Datilografado. [Acervo do CPATU].

INSTITUTO AGRONÔMICO DO NORTE. Relatório anual do Instituto Agronômico do Norte. Belém: Embrapa Amazônia Oriental,1949. Datilografado. [Acervo do CPATU].

INSTITUTO AGRONÔMICO DO NORTE. Relatório anual do Instituto Agronômico do Norte. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 1950. Datilografado. [Acervo do CPATU].

LLEYS, C. The rise and fall of development theory. In: EDELMAN, Marc & HAUGUERUD, Angelique. The anthropology of development and globalization: from classical political economy to contemporary neoliberalism. Oxford: Blackweel Publishing, 2005, p. 109-125.

MAGALHÃES, Rodrigo Cesar da Silva. Desenvolvimento, ciência e política: o caso do Instituto Internacional da Hiléia Amazônica (1946-1951). Dissertação de mestrado em História das Ciências e da Saúde, Casa de Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2006.

MAGALHÃES, Rodrigo Cesar da Silva & MAIO, Marcos Chor. Desenvolvimento, ciência e política: o debate sobre a criação do Instituto Internacional da Hiléia Amazônica. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 14, p. 169-189, 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/hcsm/v14s0/08.pdf>. Acesso em: 8 out. 2016. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702007000500008.

MAIO, Marcos Chor. A tradução local de um projeto internacional: a Unesco, o CNPq e a criação do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia. In: FAULHABER, Priscila & TOLEDO, Peter Mann de (Org.). Conhecimento e fronteira: história da ciência na Amazônia. Brasília: Paralelo; Belém: Museu Goeldi, 2001, p. 51-81.

MAIO, Marcos Chor. Demandas globais, respostas locais: a experiência da Unesco na periferia no pós-guerra (1946-1952). In: MAIO, Marcos Chor (org.). Ciência, política e relações internacionais: ensaios sobre Paulo Carneiro. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2004, p. 145-168.

MAIO, Marcos Chor; MAGALHÃES, Rodrigo Cesar da S. O debate sobre a criação do Instituto Internacional da Hiléia Amazônica no Congresso Nacional (1948-1951). In: ALVES, Jerônimo (org.). Múltiplas faces da história das ciências na Amazônia. Belém: Editora UFPA, 2005, p. 287-307.

MAIO, Marcos Chor & SÁ, Magali Romero. Ciência na periferia: a Unesco, a proposta de criação do Instituto Internacional da Hiléia Amazônica e as origens do INPA. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 6, p. 975-1017, 2000. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/hcsm/v6s0/v6s0a10.pdf>. Acesso em: 8 out. 2016. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702000000500011.

MAIO, Marcos Chor et al. Entre o global e o local: a pesquisa científica na Amazônia do século XX. Ciência & Ambiente, Santa Maria, n. 31, p. 147-166, 2005.

MENDONÇA, Sonia Regina de. Agronomia e poder no Brasil. Rio de Janeiro: Vício de Leitura, 1998.

MENDONÇA, Sonia Regina de. Ensino agrícola e influência norte-americana no Brasil (1945-1961). Tempo, Rio de Janeiro, v. 15, n. 29, p. 139-165, 2010.

MOREIRA, Neiva. Um homem cabeçudo, com boi na linha: Zebus sagrados para as crianças da Amazônia. O Cruzeiro, n. 8, p. 126-136, 1952.

PALLADINO, Paolo. Entomology, ecology and agriculture: the making of scientific careers in North America, 1885-1985. Amsterdam: Harwood Academic Publishers, 1996.

PAPAVERO, Nelson & OVERAL, William A. Taperinha: histórico das pesquisas de história natural realizadas em uma fazenda da região de Santarém, no Pará, nos séculos XIX e XX. Belém: Museu Paraense Emilio Goeldi, 2011.

PERECIN, Maria Therezinha L. Os passos do saber: a Escola Agrícola Prática Luiz de Queiroz. São Paulo: Edusp, 2004

SIOLI, Harald. Das wasser im amazonasgebiet. Forschung und Fortschritt, Berlim, v. 26, n. 21/22, p. 274-80, 1950.

SIOLI, Harald. Alguns resultados e problemas da limnologia amazônica. Belém: IAN, 1951. [Boletim Técnico do Instituto Agronômico do Norte, n. 24] [Acervo do CPATU].

SIOLI, Harald. Schistosomiasis and limnology in the Amazon region. American Journal of Tropical Medicine and Hygiene, Arlington, v. 2, n. 4, p. 700-707, 1953a.

SIOLI, Harald. Limnologische Untersuchungen und Betrachtungen zur erstmaligen Entdeckung endemischer Schistosomiasis (Sch. mansoni) im Amazonasgebiet. Archiv für Hidrobiologie, Stuttgart, v. 48, n. 1, p. 1-23, 1953b.

SIOLI, Harald. History of the discovery of the Amazon and of research of Amazonian waters and landscapes. In: SIOLI, Harald (org.). Amazon: limnology and landscape ecology of a mighty tropical river and its basin. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 1984, p. 1-14.

SIOLI, Harald. Amazônia: fundamentos de ecologia da maior região de florestas tropicais. Petrópolis: Vozes, 1985a.

SIOLI, Harald. The effects of deforestation in Amazonia. In: HEMMING, John (org.). Change in the Amazon basin, v. 1: man’s impact on forests and rivers. Manchester: Manchester University Press, 1985b, p. 58-65.

SIOLI, Harald. 50 anos de pesquisa em limnologia na Amazônia. Acta Amazonica, Manaus, v. 36, n. 2, p. 287-298, 2006.

SIOLI, Harald. Gelebtes, geliebtes Amazonien: forschungsreisen im brasilianischen Regenwald zwischen 1940 und 1962. Munique: Friedrich Pfeil Verlag, 2007.

SILVA, André Felipe C. A trajetória de Henrique da Rocha Lima e as relações Brasil-Alemanha. Tese de Doutorado, História das Ciências e da Saúde. Casa de Oswaldo Cruz – FIOCRUZ, Rio de Janeiro, 2011.

STAPLES, Amy L. S. The birth of development: how the World Bank, Food and Agriculture Organization, and World Health Organization changed the world, 1945–1965. Ohio: The Kent State University Press, 2006.

VALORIZAÇÃO da Amazônia. Digesto Econômico, São Paulo, ano 8, número 89, abril de 1952, pp. 126-131 [Acervo da Biblioteca Nacional].

VARGAS, Getúlio. Os problemas da planície amazônica e o futuro do Pará: discurso pronunciado no Palácio do Comércio, em Belém, agradecendo o banquete oferecido pelas classes conservadoras e produtoras do estado, a 6 de outubro de 1940. In: VARGAS, Getúlio. A nova política do Brasil, v. 8: ferro, carvão e petróleo, 7 de agosto de 1940 a 9 de julho de 1941. Rio de Janeiro: José Olympio, 1941, p. 55-58.

WEINSTEIN, Barbara. A borracha na Amazônia: expansão e decadência, 1850-1920. Tradução: Lólio Lourenço de Oliveira. São Paulo: Hucitec: Edusp, 1993.

Publicado
2019-10-18
Seção
Dossiê: Amazônia Global: Espaços de Circulação e Representação da Fronteira