“Anjos anônimos, feitos de ternura”

Mulheres policiais em São Paulo durante a ditadura militar (1964-1985)

Palavras-chave: Polícia Feminina, Ditadura Militar, Estado de São Paulo, trabalho, Polícia Militar

Resumo

O presente artigo tem como objetivo desenvolver uma análise histórica das alterações observadas no papel feminino na Polícia Militar de São Paulo durante os governos militares pós-golpe de 1964. Centrado, principalmente, na análise documental de registros jornalísticos, artigos, imagens e relatórios de serviço da atuação do efetivo feminino, o texto busca compreender os preceitos que marcaram o trabalho policial no período frente a importantes alterações no campo político e dos costumes. Pioneiro no emprego feminino nas ações de policiamento no país, o estado de São Paulo revela como na Polícia Militar as mulheres serviram como um importante instrumento para atuar no campo da assistência social, regulando o atendimento a imigrantes e no enfrentamento do problema do “menor”, assim como em outros campos destinados ao “combate” sutil ao avanço dos grupos políticos opositores. Assim, o trabalho das policiais femininas mostrou-se fundamental na construção do discurso de modernização da segurança pública no período.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Santana de Souza, Universidade Federal de Sergipe

Doutor em Ciências Sociais pela Unicamp. Professor Adjunto do Departamento de Ciências Sociais, Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Referências

Fontes
A CULPA que São Paulo não tem. Promoção Social: São Paulo, São Paulo, ano 3, n. 12, p. 29-33, out.1977.
BERNARDES JÚNIOR, Artur. São Paulo sabe onde está o menor. Promoção Social: São Paulo, São Paulo, ano 3, n. 12, p. 2-9, out. 1977.
BRASIL. Comissão Nacional da Verdade. Relatório da Comissão Nacional da Verdade. Brasília, DF: CNV, 2014.
CABRAL, José Bittencourt. Policiais Femininas. 1º BPFEM – Histórico, Polícia Militar do Estado de São Paulo, Batalhão Feminino, Assuntos Civis, p. 11, s/d.
CENTRO de Recreação e Triagem do Juizado de Menores. SSP – Revista Mensal da Polícia de S.Paulo, São Paulo, ano 1, n.7, p.8, mai. 1968.
CRIANÇAS no Batalhão de Guardas – Policiais mirins de ambos os sexos apresentam-se ao público. Militia, São Paulo, ano 13, n. 87, p. 4, ago. 1960.
CRISCUOLO, Orlando. Trombadinhas estão desgraçando a cidade. Diário da Noite, São Paulo, s/p, 10 nov. 1975.
DI PIERO, Gilberto Luiz. GIBA UM. Homem ‘com todas as letras’. Última Hora, São Paulo, s/p, 25 mar. 1975.
GIBA Um. Portal dos Jornalistas, São Paulo, nov. 2012. Disponível em: . Acesso em: 9 fev. 2014.
FAVARO, 2º Ten Fem PM OF P/5 Vera Maria. Parte S/Nº endereçada à Comandante do Batalhão. 24 jun. 1974.
FEMINISMO e feminilidade: palestra. Cidade de Santos, Santos, 6 abr. 1975.
GENERAL elogia as polícias femininas. Diário Popular, São Paulo, s/p, 21 set. 1981.
MULHERES na Polícia. Notícias Populares, Caráter Geral, São Paulo, s/p, 5 maio 1976.
POLÍCIA Feminina SP: redenção humana. Promoção Social: São Paulo, São Paulo, ano 2, n. 4, p. 47, mar.1976
O AMOR é sua arma; o carinho, sua munição! Evolução Policial. Órgão de Divulgação da União Brasileira de Policiais Civis, São Paulo, Ano 9, n. 116, p. 01-08, dez. 1980.
OS FILHOS adotivos da Polícia Militar. (Especial). Militia: Nova Fase, São Paulo, ano 22, n. 8, p. 19-23, nov. 1970.
PM MUDA símbolo. O Estado de S. Paulo, São Paulo, p. 25, 1 out. 1970.
POLÍCIA Feminina: o testemunho de sua comandante. Folha de S. Paulo, São Paulo, p. 21, 20 nov. 1984.
POLÍCIA Militar assiste menores favelados. Folha da Tarde, São Paulo, s/p, 14 nov. 1975.
RELATÓRIO de serviço. Aeroporto-Extra. Plantão das 15 às 23h. p. 1-4, 5 mar. 1970.
SÃO PAULO. Histórias que nós vivemos: contos de fatos reais. São Paulo: Polícia Militar, 1977.
SORRISO, a grande arma da policial. City News. s/p, 27 ago. 1972.
Referências Bibliográficas
CARRARA, Sérgio, VIANNA, Adriana R. Barreto e ENNE, Ana Lúcia. Crimes de bagatela: a violência contra a mulher na justiça do Rio de Janeiro. Gênero e cidadania. Campinas: Pagu/Núcleo de Estudos de Gênero, Unicamp, 71-106, 2002.
BARCELLOS, Caco. Rota 66: a história da polícia que mata. 8ª edição. Rio de Janeiro: Record, 2006.
BATTIBUGLI, Thaís. Polícia e política em São Paulo (1946-1964). História Social, Campinas, n. 16, p. 121-143, 2009. ISSN 2178-1141. Disponível em: Acesso em: 2 jun. 2019.
BERGER Peter L. e LUCKMANN, Thomas. Modernidade, pluralismo e crise de sentido: a orientação do homem moderno. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.
FRONTANA, Isabel C. R. da Cunha. Crianças e adolescentes nas ruas de São Paulo. São Paulo: Loyola, 1999.
GREEN, James N. A luta pela igualdade: desejos, homossexualidade e a esquerda na América Latina. Cadernos AEL, Campinas, v. 10, n. 18/19, p. 13-43, 2003. ISSN 1413-6597. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2019.
GREGORI, Maria Filomena. Cenas e queixas: um estudo sobre mulheres, relações violentas e a prática feminista. São Paulo: Paz e Terra, 1993.
GROSSI, Miriam Pillar. Rimando amor e dor: reflexões sobre violência no vínculo afetivo-conjugal. In: GROSSI, Miriam Pilar; PEDRO, J. Masculino e feminino, plural. Florianópolis: Mulheres, 1998.
GROSSI, Miriam Pillar. Vítimas ou cúmplices? Dos diferentes caminhos da produção acadêmica sobre violência contra mulher no Brasil. XV Encontro Anual da ANPOCS, Caxambu, Minas Gerais, 1991 (mimeo).
HARVEY, David. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1993.
HAUTZINGER, Sarah J. Violence in the city of women: police and batterers in Bahia, Brazil. University of California Press, 2007.
IZUMINO, Wânia Pasinato. Gênero, Violência e Direitos Humanos: as Delegacias de Polícia de Defesa da Mulher. Otawa: Human Rights Research and Education Centre (HRREC). University of Ottawa, 1998.
JACKSON, Louise A. Women police: gender, welfare and surveillance in the twentieth century. Manchester: University of Manchester Press, 2006.
LOMBARDI, Maria Rosa. As mulheres nas Forças Armadas Brasileiras: a Marinha do Brasil. São Paulo: FCC, 2009.
MOREIRA, Rosemeri & WOLFF, Cristina S. A ditadura militar e a face maternal da repressão. Espaço Plural, Cascavel, ano 10, n. 21, p. 56-65, 2009. ISSN 1981-478X. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2013.
MOREIRA, Rosemeri. Sobre mulheres e polícias: polícia feminina no Brasil: a invenção paulista (1955-1964). Guarapuava: Editora Unicentro, 2017.
OCANHA, Rafael Freitas. “Amor, feijão, abaixo o camburão”: imprensa, violência e trottoir em são Paulo (1979-1983). Dissertação de Mestrado em História, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2014.
PASINATO, Wânia. Atendimento a mulheres em situação de violência em Belo Horizonte. In: LEOCÁDIO, Elcylene e LIBARDONI, Marlene (Org.). O desafio de construir redes de atenção às mulheres em situação de violência. Brasília: AGENDE, p. 131-167.
PASSAMANI, Guilherme Rodrigues. Homossexualidades e ditaduras militares: os casos de Brasil e Argentina. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDO GÊNERO: DIÁSPORAS, DIVERSIDADES, DESLOCAMENTOS, 9, 2010, Florianópolis. Anais. Florianópolis: UFSC, 2010, p. 1-9. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2019.
PINHEIRO, Paulo Sérgio. Violência, crime e sistemas policiais em países de novas democracias. Tempo Social, São Paulo, v. 9, n. 1, p. 43-52, maio 1997. ISSN 1809-4554. Disponível em: . Acesso em: 25 mar. 2013. doi: https://doi.org/10.1590/ts.v9i1.86438.
PISCITELLI, Adriana. Delegacias Especiais de Polícia em contexto: reflexões a partir do caso de Salvador-BA. In: DEBERT, Guita Grin, GREGORI, Maria Filomena e PISCITELLI, Adriana (org.). Gênero e distribuição da justiça: As Delegacias de Defesa da Mulher e a construção das diferenças. Campinas: PAGU/Núcleo de Estudos de Gênero- Unicamp. 2002, p. 89-144.
PORTO, Maria Stela Grossi. Sociologia da violência: do conceito às representações sociais. Brasília, DF: Francis, 2010.
PRUVOST, Geneviève. De la « sergote » à la femme flic: une autre histoire de l’institution policière (1935-2005). Paris: La Découverte, 2008.
SANTOS, Cecília MacDowell. En-gendering the police: women’s police stations and feminism in São Paulo. Latin American Research Review, Austin, v. 39, n. 3, p. 29-55, 2004.
SANTOS, Luiz Antonio. Policial Feminina no Trânsito. Monografia em Aperfeiçoamento de Oficiais, Polícia Militar do Estado de São Paulo, São Paulo, 1986.
SCHACTAE, A. M. Representações: a Polícia Militar Feminina no Paraná (1979-1984). Revista de História Regional, Ponta Grossa, v. 9, n. 2, p. 111-126, 2004. ISSN 1414-0055. Disponível em: . Acesso em: 14 jan. 2014.
SILVA, Francisco Carlos Teixeira da. A modernização autoritária: do golpe militar à redemocratização (1964/1984). In: LINHARES, Maria Yedda Leite (org.). História geral do Brasil. 9ª edição. Rio de Janeiro: Elsevier, 1990, p. 351-384.
SILVA, Francisco Carlos Teixeira da. Crise da ditadura militar e o processo de abertura política no Brasil, 1974-1985. In: FERREIRA, Jorge & DELGADO, Lucília A. N. (org.). O Brasil republicano 4: o tempo da ditadura: regime militar e movimentos sociais em fins do século XX. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, p. 56-275.
SOARES, Barbara Musumeci & MUSUMECI, Leonarda. Mulheres policiais: presença feminina na Polícia Militar do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.
SOARES, Luís Eduardo; SOARES, Bárbara Musumeci e CARNEIRO, Leandro Piquet. Violência contra a mulher: as DEAMS e os pactos domésticos. In: SOARES, Luís Eduardo et al. Violência e Política no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Iser/Relume Dumará, 1996.
SOUSA, Camila Similhama Oliveira de & SANTIAGO, Carla Ferretti. O processo de inclusão da mulher como profissional de segurança pública na Polícia Militar de Minas Gerais. Caderno Espaço Feminino, Uberlândia, v. 18, n. 2, ago./dez. 2007. ISSN 1981-3082. Disponível em: . Acesso em: 14 jan. 2014.
SOUZA, Marcos Santana de. “Sou policial, mas sou mulher”: gênero e representações sociais na Polícia Militar de São Paulo. Tese de doutorado em Ciências Sociais, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2014.
ZAVERUCHA, Jorge. FHC, forças armadas e polícia: entre o autoritarismo e a democracia (1999-2002). Rio de Janeiro: Record, 2005.
Publicado
2020-06-10
Seção
Artigos