Discriminação Racial e Cidadania no Brasil do século XIX (1829-1833)

Palavras-chave: Brasil Império, discriminação racial, cidadania, Constituição de 1824, imprensa no século XIX

Resumo

O artigo analisa a questão da discriminação racial, abordando o tema no contexto da divulgação e implementação dos direitos constitucionais, no período de 1829 a 1833. Investiga-se, em especial, de que forma o direito de cidadania contribuiu para o surgimento da discriminação racial como agenda pública e ensejou novas maneiras de fazer política. Usaram-se como fontes jornais que adotavam enfoques políticos e raciais, os quais foram tomados não somente como fornecedores de informações, mas também como agentes, por sua capacidade de influir nos acontecimentos. Concomitantemente, foram aplicados à análise insights provenientes de estudos da área de direito e história que enfatizam a importância de mudanças da ordem jurídica para a compreensão da história política. Concluiu-se, principalmente, que a extensão do direito de cidadania aos homens livres de cor contribuiu para ampliar a influência política desse grupo, em um contexto de crescente partidarização da política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Cláudia Pandolfi, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutora em história pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp-Assis). Pós-doutorado em história pela Universidade Federal do Espírito Santo. Departamento de História da Universidade Federal do Espírito Santo. Atualmente é pós-doutoranda e atua como professora pelo programa de Fixação de Doutores (CAPES-FAPES) na Universidade Federal do Espírito Santo

Referências

Fontes
ASTRO DE MINAS, São João del-Rei, 1829.
AURORA FLUMINENSE, Rio de Janeiro, 1829-1833.
BRASILEIRO PARDO, Rio de Janeiro, 1833.
CONSTITUIÇÃO POLÍTICA DO IMPÉRIO DO BRASIL DE 1824. Disponível em: . Acesso em: 30 jan. 2020.
DIÁRIO FLUMINENSE, Rio de Janeiro, 1826.
O HOMEM DE COR, Rio de Janeiro, 1833.
O NOVO ARGOS, Ouro Preto, 1831.
O REPUBLICO, Rio de Janeiro, 1830.
O UNIVERSAL, Rio de Janeiro, 1830-1831.
O VERDADEIRO CARAMURU, Rio de Janeiro, 1833.
PREGOEIRO CONSTITUCIONAL, Pouso Alegre, 1830.
Referências bibliográficas
ADELMAN, Jeremy. Liberalism and constitutionalism in Latin America in the 19th Century. History Compass, Hoboken, v. 12, n. 6, p. 508-516, 2014. Disponível em: . Acesso em: 9 ago. 2018. doi: https://doi.org/10.1111/hic3.12157.
ANDRADE, Marcos Ferreira de. A pena de morte e a revolta dos escravos de Carrancas: a origem da “lei nefanda” (10 de junho de 1833). Revista Tempo, Niterói, v. 23, n. 2, p. 264-289, 2017. Disponível em: . Acesso em: 5 maio 2018. doi: http://doi.org/10.1590/TEM-1980-542X2017v230204.
ANDRADE, Marcos Ferreira de & SILVA, Janaína de Carvalho. Moderados, exaltados e caramurus no prelo carioca: os embates e as representações de Evaristo Ferreira da Veiga (1831-1835). Almanack, Guarulhos, n. 4, p. 130-148, 2012. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/2236-463320120409.
AZEVEDO, Celia Maria Marinho. A recusa da “raça”: anti-racismo e cidadania no Brasil dos anos 1830. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 11, n. 24, p. 297-320, 2005. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-71832005000200013.
BASILE, Marcello Otávio Neri de Campos. Ezequiel Corrêa dos Santos: um jacobino na corte imperial. Rio de Janeiro: FGV, 2001.
BASILE, Marcello Otávio Neri de Campos. O Império em construção: projetos de Brasil e a ação política na Corte Regencial. Tese de doutorado em História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.
BASILE, Marcello Otávio Neri de Campos. O laboratório da nação: a era regencial (1831-1840). In: GRINBERG, Keila & SALLES, Ricardo (org.). O Brasil Imperial, volume II: 1831-1870. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, p. 55-119.
BASILE, Marcello Otávio Neri de Campos. Regência e imprensa: percursos historiográficos. Almanack, Guarulhos, n. 20, p. 1-9, 2018. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2019. doi: http://dx.doi.org/10.1590/2236-463320182001.
BERBEL, Márcia Regina & MARQUESE, Rafael de Bivar. The absence of race: slavery, citizenship, and pro-slavery ideology in the Corte of Lisbon and the Rio de Janeiro Constituent Assembly (1821-4). Social History, v. 32, n. 4, p. 415-433, 2007. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2019. doi: http://dx.doi.org/10.1080/03071020701616746.
CAMPOS, Adriana Pereira. Magistratura eleita: administração política e judicial no Brasil (1826-1841). Almanack, Guarulhos, n. 18, p. 97-138, 2018. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/2236-463320181804.
CAMPOS, Adriana Pereira & MOTTA, Kátia Sausen da. Imperfecta libertate: petição ao Congresso Brasileiro do Liberto Delfino – 1826. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, v. 467, p. 289-304, 2015.
CAMPOS, Adriana Pereira & VELLASCO, Ivan de Andrade. Juízes de paz, mobilização e interiorização da política. In: CARVALHO, José Murilo & CAMPOS, Adriana (org.). Perspectivas da cidadania no Brasil Império. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011, p. 377-408.
CARVALHO, José Murilo. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.
CHALHOUB, Sidney. A força da escravidão: ilegalidade e costume no Brasil oitocentista. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.
CLAVERO, Bartolomé. Happy constitution: cultura y lengua constitucionales. Madrid: Trotta, 1977.
COSER, Ivo. O conceito de federalismo e a ideia de interesse no Brasil do século XIX. Dados, Rio de Janeiro, v. 51, n. 4, p. 941-981, 2008. Disponível em: Acesso em: 25 maio 2019. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0011-52582008000400005.
COSER, Ivo. O Conceito de partido no debate político brasileiro 1820-1920. Ler História, Lisboa, n. 67, p. 1-15, 2014. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2019. doi: http://dx.doi.org/10.4000/lerhistoria.874.
DOLHNIKOFF, Miriam. Império e governo representativo: uma leitura. Caderno CRH, Salvador, v. 21, n. 52, p. 13-23, 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-49792008000100002.
EISENSTEIN, Elizabeth L. The printing press as an agent of change: communications and cultural transformations in Early Modern Europe, v. 2. New York: Cambridge University Press, 1979.
ELLEY, Geoff. Nations, publics and political cultures: placing Habermas in nineteenth century. In: CALHOUN, Craig (ed.). Habermas and the public sphere. London: MIT Press, 1992, p. 289-339.
FLORENTINO, Manolo & GÓES, José Roberto Pinto de. Padrões de mobilidade e miscigenação racial no Brasil escravista. América Latina en la Historia Económica, México, v. 20, n. 3, p. 5-27, 2013.
FLORY, Thomas. Race and social control in Independent Brazil. Journal of Latin American Studies, Cambridge, v. 9, n. 2, p. 199-224, 1977. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2018. doi: https://doi.org/10.1017/S0022216X00020587.
FONSECA, Marcus Vinícius. O predomínio dos negros nas escolas de Minas Gerais do século XIX. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 585-599, 2009. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022009000300012.
GARRIGA, Carlos & SLEMIAN, Andréa. “Em trajes brasileiros”: justiça e constituição na América Ibérica (1750-1850). Revista de História, São Paulo, n. 169, p. 181-221, 2013. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9141.v0i169p181-221.
GODOI, Rodrigo Camargo de. Cor e política no segundo reinado: o editor Paula Brito e o debate entre liberais e conservadores na imprensa do Rio de Janeiro (1840-1850). In: PINTO, Ana & CHALHOUB, Sidney (org.). Pensadores negros – pensadoras negras: Brasil, séculos XIX e XX. Belo Horizonte: Fino Traço, 2016, p. 17-40.
GONÇALVES, Andréa Lisly. Estratificação social e mobilizações políticas no processo de formação do Estado Nacional Brasileiro: Minas Gerais, 1832-1835. São Paulo: Hucitec, 2008.
GRAHAM, Richard. Clientelismo e política no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro, Editora UFRJ, 1977.
GRINBERG, Keila. A Sabinada e a politização da cor na década de 1830. In: GRINBERG, Keila & SALLES, Ricardo (org.), O Brasil Imperial, volume II: 1831-1870. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, p. 269-337.
GUERIN, Bernard & MIYAZAKI, Yoshihiko. Analyzing rumors, gossip, and urban legends through their conversational properties. The Psychological Record, New York, n. 56, v. 1, p. 23-33, 2006. Disponível em: . Acesso em: 22 de mar. 2017. doi: https://doi.org/10.1007/BF03395535.
GUERRA, François-Xavier. Modernidad e independencia: ensayos sobre las revoluciones hispánicas. México: Fondo de Cultura Económica, 1993.
HABERMAS, Jürgen. Mudança estrutural na esfera pública. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.
HESPANHA, António Manuel. O constitucionalismo monárquico português: breve síntese. Historia Constitucional, Gijón, n. 13, p. 477-526, 2012.
HÖRNER, Erik. Partir, fazer e seguir: apontamentos sobre a formação dos partidos e a participação política no Brasil da primeira metade do século XIX. In: MARSON, Izabel & OLIVEIRA, Cecília (org.). Monarquia, liberalismo e negócios no Brasil: 1780-1860. São Paulo: Edusp, 2013, p. 213-240.
JINZENJI, Mônica Yumi. Cultura impressa e educação da mulher: lições de política e moral no periódico mineiro O Mentor das Brasileiras (1829-1832). Tese de doutorado em Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.
KRAAY, Hendrik. Race, State and armed forces in Independence-Era Brazil: Bahia, 1790s-1840s. Stanford: Stanford University Press, 2001.
LEMPÉRIÈRE, Annick. Constitution, juridiction, codification: le libéralisme hispano-américain au miroir du droit. Almanack, Guarulhos, n. 15, p. 1-43, 2017. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/2236-463320171501.
LIMA, Ivana Stolze. As rusgas da identidade: Rio de Janeiro, 1831-1833. Acervo, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 23-37, 2002.
MARQUES JÚNIOR, Nelson Ferreira. Áulicos e a elite intelectual na corte fluminense (1823-1831). Veredas da História, Rio de Janeiro, v. 8, n. 2, p. 24-40, 2015.
MARQUESE, Rafael de Bivar & PARRON, Tâmis. Constitucionalismo atlântico e ideologia da escravidão: a experiência de Cádis em perspectiva comparada. Bulletin for Spanish and Portuguese Historical Studies, New York, v. 37, n. 2, p. 1-19, 2012.
MARQUESE, Rafael de Bivar & PARRON, Tâmis. Internacional escravista: a política da Segunda Escravidão. Topoi, Rio de Janeiro, v. 12, n. 23, p. 97-117, 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 de maio 2019. doi: http://dx.doi.org/10.1590/2237-101X012023006.
MATTOS, Hebe Maria. Racialização e cidadania no Império do Brasil. In: CARVALHO, José Murilo de & NEVES, Lúcia Bastos Pereira das (org.). Repensando o Brasil do oitocentos: cidadania, política e liberdade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009, p. 351-391.
MENDES, Fábio Faria. Encargos, privilégios e direitos: o recrutamento militar no Brasil nos séculos XVIII e XIX. In: CASTRO, Celso et al. (org.). Nova história militar brasileira. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004, p. 111-138.
MENDES, Jaime. Memória dos jornais mineiros do século XIX: revisão crítica das fontes historiográficas. In: ENCONTRO NACIONAL DA REDE ALFREDO DE CARVALHO, 3, 2005, Novo Hamburgo. Anais. Porto Alegre: UFRGS, 2005, p. 1-26.
MIGUEL, Luis Felipe. Os meios de comunicação e a prática política. Lua Nova, São Paulo, n. 55-56, p. 155-184, 2002. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-64452002000100007.
MOREL, Marco. As transformações dos espaços públicos: imprensa, atores políticos e sociabilidades na cidade imperial (1820-1840). São Paulo: Hucitec, 2005.
MOREL, Marco. O período das regências (1831-1840). Rio de Janeiro: Zahar, 2003.
MOREL, Marco. Os primeiros passos da palavra impressa. In: MARTINS, Ana Luiza & LUCA, Tânia Regina de (org.). História da imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. Kindle Edition.
MOTTA, Kátia Sausen da. Eleições no Brasil do oitocentos: entre a inclusão e a exclusão da patuleia na cidadela política (1822-1881). Tese de doutorado em História, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2018.
NEVES, Lucia Bastos Pereira das. Constituição: usos antigos e novos de um conceito no Império do Brasil (1821-1860). In: CARVALHO, José Murilo de & NEVES, Lúcia Bastos Pereira das (org.). Repensando o Brasil do oitocentos: cidadania, política e liberdade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009a, p. 181-205.
NEVES, Lúcia Bastos Pereira das & NEVES, Guilherme Pereira das. Constitución. In: FERNÁNDEZ SEBASTIÁN, Javier (dir.). Diccionario político y social del mundo iberoamericano: la era de las revoluciones, 1750-1850. Madrid: Fundación Carolina, 2009, p. 337-341.
NEVES, Lúcia Bastos Pereira das. Opinión Pública. In: FERNÁNDEZ SEBASTIÁN, Javier (dir.). Diccionario político y social del mundo iberoamericano: la era de las revoluciones, 1750-1850. Madrid: Fundación Carolina, 2009b, p. 1011-1023.
PANDOLFI, Fernanda Cláudia. A abdicação de D. Pedro I: espaço público da política e opinião pública no final do Primeiro Reinado. Tese de doutorado em História, Universidade Estadual Paulista, Assis, 2007.
PANDOLFI, Fernanda Cláudia. A viagem de D. Pedro I a Minas Gerais em 1831: embates políticos na formação da monarquia constitucional no Brasil. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 36, n. 71, p. 1-21, 2016. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2017. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1806-93472016v36n71_002.
PANDOLFI, Fernanda Cláudia. O papel da imprensa na política no final do Primeiro Reinado: uma análise do jornal Tribuno do Povo. História e Cultura, Franca, v. 3, n. 3, p. 325-343, 2014a. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2017. doi: http://dx.doi.org/10.18223/hiscult.v3i3.1155.
PANDOLFI, Fernanda Cláudia. Rumores e política no Rio de Janeiro e em Minas Gerais no final do Primeiro Reinado. História (São Paulo), Franca, v. 33, n. 2, p. 307-322. 2014b. Disponível em: . Acesso em 10 jun. 2017. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1980-436920140002000015.
PASLEY, Jeffrey. The tyranny of printers: newspaper politics in the Early American Republic. Charlottesville: University of Virginia Press, 2001. Kindle Edition.
PINHEIRO, Fernanda Domingos. Impedidos de ‘tratar da vida’: os desafios enfrentados pelos libertos na sociedade colonial. Revista de História, São Paulo, n. 172, p. 221-242, 2015. Disponível em: . Acesso em: 8 jan. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2015.89559.
PINTO, Ana Flávia Magalhães. Imprensa negra no Brasil do século XIX. São Paulo: Selo Negro, 2010.
POSADA-CARBÓ, Eduardo. Electoral Juggling: a comparative history of the corruption of suffrage in Latin America, 1830-1930. Journal of Latin American Studies, Cambridge, v. 32, n. 3, p. 611-644, 2000. Disponível em: . Acesso em: 6 jan. 2018. doi: https://doi.org/10.1017/S0022216X00005782.
REIS, Arthur Ferreira. A influência francesa no Primeiro Reinado. COLÓQUIO INTERNACIONAL DE MOBILIDADE HUMANA E CIRCULARIDADE DE IDEIAS, 1, 2015, Vitória. Anais. Vitória: Ufes, 2016a.
REIS, Arthur Ferreira. “Anarquistas” e “servis”: uma análise dos projetos políticos do ano de 1826 no Rio de Janeiro. Dissertação de mestrado em História, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2016b.
RODARTE, Mario et al. A reinvenção das minas pelas gerais: transformações econômicas e demográficas nas regiões das Minas Gerais oitocentistas. ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR, 14, 2011, Rio de Janeiro. Anais. p. 1-21. Belo Horizonte: Anpur, 2011.
ROSNOW, Ralph. Inside rumor: a personal journey. American Psychologist, Washington, DC, v. 46, n. 5, p. 484-496, 1991. Disponível em: . Acesso em: 9 nov. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1037/0003-066X.46.5.484.
RUSSELL-WOOD, Antony John R. Escravos e libertos no Brasil colonial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.
SABA, Roberto N. P. F. As “eleições do cacete” e o problema da manipulação eleitoral no Brasil monárquico. Almanack, Guarulhos, n. 2, p. 126-145, 2011. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.1590/2236-463320110209.
SABATO, Hilda. Introducción. In: SÁBATO, Hilda (coord.). Ciudadanía política y formación de las naciones: perspectivas históricas de América Latina. México: Fondo de Cultura Económica, 1999, p. 11-29.
SANTOS, Beatriz Catão Cruz & FERREIRA, Bernardo. Ciudadano. In: FERNÁNDEZ SEBASTIÁN, Javier (dir.). Diccionario político y social del mundo iberoamericano: la era de las revoluciones, 1750-1850. Madrid: Fundación Carolina, 2009, p. 211-222.
SHIBUTANI, Tamotsu. Improvised news: a sociological study of rumor. Indianapolis: Bobbs-Merrill, 1966.
SILVA JÚNIOR, Waldomiro Lourenço da. Entre a escrita e a prática: direito e escravidão no Brasil e em Cuba, c.1760-1871. Tese de doutorado em História, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.
SILVA, Wlamir. Liberais e povo: a construção da hegemonia liberal-moderada na província de Minas Gerais (1830-1834). São Paulo: Hucitec, 2008.
SILVA, Wlamir. A forma primeira de Proteu: as façanhas de Bernardo Pereira de Vasconcelos no reino da Liberdade. SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 26, 2011, São Paulo. Anais. p. 1-15. São Paulo: Anpuh, 2011.
SODRÉ, Nelson Werneck. História da imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.
TACKETT, Timothy. Rumor and revolution: the case of the September massacres. French History & Civilization, [S. l.], v. 4, p. 54-64, 2011.
TERNAVASIO, Marcela. Hacia um régimem de unanimidade: política y elecciones em Buenos Aires, 1828-1850. In: SABATO, Hilda (coord.). Ciudadanía política y formación de las naciones: perspectivas históricas de América Latina. México: Fondo de Cultura Económica, 2002, p. 119-141.
THOMPSON, John. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. Petrópolis: Vozes, 1998.
WOOD, Gordon Stewart. Revolutionary characters: what made the founders different. London: Penguin Books, 2007.
WOODARD, James P. A place in politics: São Paulo, Brazil, from seigneurial republicanism to Regionalist Revolt. London: Duke University Press, 2009.
Publicado
2020-06-02
Seção
Artigos