Cinema científico

A construção de imagens da medicina na produção de Benedito Junqueira Duarte

Palavras-chave: Cinema científico, Benedito Junqueira Duarte, História da medicina, medicina em São Paulo, Ciências

Resumo

O objetivo deste artigo é compreender o papel desempenhado pelo uso de imagens médicas na produção do cinema documental no Brasil, especificamente na trajetória do documentarista Benedito Junqueira Duarte. O cinema científico foi uma nova experiência visual sobre a qual Duarte construiu parte importante de seu percurso profissional. De 1940 a 1954 os filmes produzidos tiveram como tema principal a cultura nacional, com documentários que se referiam principalmente à educação, em associação com temas de saúde, saúde pública e espaço urbano. De fins dos anos 1950 até fins dos anos 1960, Duarte passou a realizar documentários com médicos de diferentes instituições paulistas e com diferentes laboratórios nacionais e internacionais, com grande repercussão na área da cirurgia cardíaca, momento de consolidação de um novo campo de especialização médica que também se instituía no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Regina Barros da Silva, Universidade de São Paulo - FFLCH - Departamento de História

Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em História Social do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo - FFLCH/USP; bolsista de Produtividade do Conselho Nacional de Desenvolvimento Tecnológico e Científico (CNPq) e coordenadora do Laboratório de História das Ciências, Tecnologia e Sociedade (Labcite).

Referências

BAQUÉ, Dominique. Pour un nouvel art politique: de l’art contemporain au documentaire. Paris: Flammarion, 2006.

BOMENY, Helena (org.). Constelação Capanema: intelectuais e políticas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2001.

CALCAGNO-TRISTANT, Frédérique. Jean Painlevé et le cinéma animalier. Communication, Laval, v. 24, n. 1, p. 117-149, 2005. Disponível em: http://journals.openedition.org/communication/3281. Acesso em: 21 set. 2019. doi: http://dx.doi.org/10.4000/communication.3281.

CATANI, Afrânio Mendes. Cogumelos de uma só manhã. B.J. Duarte e o cinema brasileiro: Anhembi: 1950-1962. Tese de doutoramento em Sociologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1991. 3 v.

CHAZAN, Lilian. O corpo transparente e o panóptico expandido: considerações sobre as tecnologias de imagem nas reconfigurações da pessoa contemporânea. Physis: Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, 2003, p. 193-214. ISSN 1809-4481. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312003000100009>. Acesso em: 21 set. 2019.

CRARY, Jonathan. Técnicas do observador: visão e modernidade no século XIX. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

DA-RIN, Silvio. Espelho partido: tradição e transformação do documentário. Rio de Janeiro: Azougue, 2004.

DASTON, Lorraine & GALISON, Peter. The image of objectivity. Representations, Berkeley, v. 40, p. 81-128, 1990.

DELAGE, Christian. La vérité par l’image: de Nuremberg au procès Milosevic. Paris: Denoël, 2006.

DUARTE, Benedito Junqueira. B.J. Duarte: caçador de imagens. Textos Rubens Fernandes Júnior, Michael Robert Alves de Lima, Paulo Valadares. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

DUARTE, Benedito Junqueira. Crônica da memória, v. 1: a luz fosca do dia nascente. São Paulo: Massao Ohno, 1982a.

DUARTE, Benedito Junqueira. Crônica da memória, v. 2: nas trilhas do cinema brasileiro: caçadores de imagens. São Paulo: Massao Ohno, 1982b.

DUARTE, Benedito Junqueira. Crônica da memória, v. 3: lâmpada cialítica: namoros com a medicina. São Paulo: Massao Ohno, 1982c.

GAYCKEN, Oliver. “A drama unites them in a fight to the death”: some remarks on the flourishing on a cinema of scientific vernacularization in France, 1909-1914. Historical Journal of Film, Radio and Television, Abingdon, v. 22, n. 3, p. 353-374, 2002. ISSN 0143-9685. Disponível em: <https://doi.org/10.1080/01439680220148750>. Acesso em: 21 set. 2019.

GOMES, Angela de Castro (org.). Capanema: o ministro e seu ministério. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2000.

HAMERY, Roxane. Jean Painlevé et la promotion du cinéma scientifique en France dans les années trente. 1895 : Mille huit cent quatre-vingt-quinze, Paris, n. 47, p. 79-95, 2005. Disponível em: <http://journals.openedition.org/1895/328>. Acesso em: 21 set. 2019. doi: https://doi.org/10.4000/1895.328.

KNORR-CETINA, Karin. Epistemic cultures: how the sciences make knowledge. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1999.

LABAKI, Amir (org.). A verdade de cada um. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

LANDECKER, Hannah. Microcinematography and the history is science and film. Isis, Chicago, v. 97, n. 1, p. 121-132, 2006. Disponível em: <https://doi.org/10.1086/501105>. Acesso em: 21 set. 2019.

LATOUR, Bruno. Drawing things together. In: LYNCH, Michael & WOOLGAR, Steve (org.). Representation in scientific practice. Cambridge, MA: MIT Press, 1990, p. 19-68.

LATOUR, Bruno & WOOLGAR, Steve. A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997.

LYNCH, Michael & WOOLGAR, Steve (ed.). Representation in scientific practice. Cambridge, MA: MIT Press, 1990.

MACDOUGALL, Marina. Introduction: hybrids roots. In: BELLOWS, Andy Masaki & MACDOUGALL, Marina (ed.). Science is fiction: the films of Jean Painlevé. Cambridge, MA: MIT Press, 2000, p. xiv-xviii.

MACHADO JÚNIOR, Rubens. São Paulo e o seu cinema: para uma história das manifestações cinematográficas paulistanas (1889-1954). In: PORTA, Paula (org.) História da cidade de São Paulo, v. 2: a cidade no Império. São Paulo: Paz e Terra, 2004, p. 456-505.

MOL, Annemarie. The body multiple: ontology in medical practice. Durham: Duke University Press, 2007.

MONTEIRO, Marko. Representações digitais e interação incorporada: um estudo etnográfico de práticas científicas de modelagem computacional. Maná: Estudos de Antropologia Social, Rio de Janeiro, v. 15, n. 2, p. 529-556, 2009. ISSN 0104-931. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0104-93132009000200008>. Acesso em: 21 set. 2019.

MONTEIRO, Marko. Teatro anatômico digital: práticas de representação do corpo na ciência. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, p. 641-660, 2011. ISSN 0104-5970. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702011000300003>. Acesso em: 21. set. 2019.

MORETTIN, Eduardo V. Cinema educativo: uma abordagem histórica. Comunicação & Educação, São Paulo, v. 2, n. 4, p. 13-19, 1995. ISSN 1806-9347. <https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v0i4p13-19>. Acesso em: 21 set. 2019.

MORETTIN, Eduardo V. Dimensões históricas do documentário brasileiro no período silencioso. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 25, n. 49, p. 125-152, 2005.

MORETTIN, Eduardo V. Humberto Mauro, cinema, história. São Paulo: Alameda, 2013.

OLIVEIRA, Carmen Irene C. de. Representações imagéticas do fazer científico no contexto do Instituto Nacional do Cinema Educativo. Caderno Cedes, Campinas, v. 34, n. 92, p. 35-50, 2014. ISSN 0101-3262. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32622014000100003>. Acesso em: 21 set. 2019

PANDOLFI, Dulce (org.). Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: Editora FGV, 1999.

RAFFAINI, Patrícia Tavares. Esculpindo a Cultura na forma Brasil: o Departamento de Cultura de São Paulo (1935-1938). São Paulo: Humanitas, 2001.

RAMOS, Fernão & MIRANDA, Luiz Felipe. Enciclopédia do cinema brasileiro. São Paulo: Editora Senac, 1997.

RIBEIRO, José da Silva. Antropologia visual, práticas antigas e novas perspectivas de investigação. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 48, n. 2, 2005. ISSN 1678-9857. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0034-77012005000200007>. Acesso em: 21 set. 2019.

RIBEIRO, Maria Alice Rosa. História, ciência e tecnologia: 70 anos do Instituto Biológico de São Paulo na defesa da agricultura, 1927-1997. São Paulo: Instituto Biológico, 1997.

RIEZNIK, Marina & LOIS, Carla. Micrografías interrogadas: una aproximación a la cuestión de las imágenes técnicas en la historia de las ciencias en la Argentina (siglos XIX y XX). Caiana #, Buenos Aires, v. 12, p. 1-17, 2018.

SANTOS, Márcia Juliana. Entre a cavação e o ato de documentar: os limites da produção de filmes em São Paulo nos anos 20 e 30. Revista Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual, São Paulo, v. 3, n. 2, p. 147-174, 2014. ISSN 1980-4369. Disponível em: <https://doi.org/10.22475/rebeca.v3n2.152>. Acesso em: 21 set. 2019.

SILVA, Carolina da Costa e. O álbum “Parques Infantis” como objeto cultural (São Paulo, 1937). Dissertação de mestrado em Educação, Universidade de São Paulo, 2008.

SILVA, Márcia Regina Barros da. Estratégias das Ciências: a história da Escola Paulista de Medicina (1933-1956). Bragança Paulista: Edusf, 2003.

SILVA, Márcia Regina Barros da. O ensino médico em debate: São Paulo, 1890-1930. História, Ciência, Saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 9, p. 139-59, 2002. Suplemento. ISSN 0104-5970. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702002000400007>. Acesso em: 21 set. 2019.

SILVA, Márcia Regina Barros da. O filme de temática científica: possibilidades de uma documentação histórica. Cadernos de História da Ciência, São Paulo, v. 3, n. 2, p. 13-36, 2007.

SILVA, Márcia Regina Barros da. Uma Escola de Médicos: Benedito Junqueira Duarte e o cinema científico. Revista Brasileira de História da Ciência, Rio de Janeiro, v. 12, n. 1, p. 6-18, 2019.

TAKAMI, Marina Castilho. Fotografia em marcha: revista S.Paulo – 1936. Dissertação de mestrado em Estética e História da Arte, Universidade de São Paulo, 2008.

TAKAMI, Marina Castilho. Fotomontagem: ordem da subversão. Análise da revista S.Paulo (1936). Visualidades: Revista do Programa de Mestrado em Cultura Visual, Goiânia, v. 5, n. 1, p. 57-86, 2007.

VIGNAUX, Valérie. Femmes et enfants ou le corps de la nation: l’éducation à l’hygiène dans le fonds de la Cinémathèque de la ville de Paris. 1895: Mille huit cent quatre-vingt-quinze, Paris, n. 37, p. 23-43, 2002. ISSN 1960-6176. Disponível em: <http://journals.openedition.org/1895/224> Acesso em: 21 set. 2019. doi: http://dx.doi.org/10.4000/1895.224.

XAVIER, Priscila de Almeida. Representação cinematográfica e história institucional: uma análise de filmes sobre o Instituto Butantan (1928-1953). Dissertação de Mestrado em Meios e Processos Audiovisuais, Universidade de São Paulo, 2010.

Publicado
2020-02-12
Seção
Artigos

Dados de financiamento