No rumo dos sertões inexplorados: a aventura da Bandeira Anhanguera de São Paulo à Serra do Roncador (1937)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2020.159762

Palavras-chave:

relatos de viagem, memorialismo, jornalismo, expedições exploratórias, Brasil Central

Resumo

Esse artigo busca descrever e analisar a trajetória da Bandeira Anhanguera, expedição realizada em 1937 sob a liderança de Hermano Ribeiro da Silva. O grupo, que partiu de São Paulo, ambicionava explorar a região localizada à margem esquerda do rio das Mortes, no Brasil central, tida como uma das extensões mais desconhecidas do território nacional. Visando produzir conhecimento científico e realizar contato com os indígenas xavantes, até então refratários ao contato com os brancos, o empreendimento buscou mobilizar a sociedade paulista, e para tal fez intenso uso dos meios de comunicação de massa, sobretudo o rádio e a imprensa escrita. A trajetória do grupo é, assim, reconstituída sumariamente, a partir da cobertura jornalística e dos relatos memorialísticos de três de seus participantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Murari, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutora pelo Programa de Pós-graduação em História Social do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Professora adjunta da Escola de Humanidades e do Programa de Pós-graduação em História da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Bolsista de produtividade em pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Referências

A “BANDEIRA ANHANGUÉRA” embrenhou-se nos sertões. O Estado de S. Paulo, 11 ago. 1937, p. 12.

A BANDEIRA Anhanguéra nos sertões de Goyas e Matto Grosso. Correio Paulistano, 4 set. 1938, p. 10.

ADAMI, Antonio. O rádio com sotaque paulista: Pauliceia Radiofônica. São Paulo: Mérito, 2014.

AGAMBEN, Giorgio. A aventura. Cláudio Oliveira. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

Á MEMORIA do bravo sertanista Hermano Ribeiro da Silva. Careta, Rio de Janeiro, fev. 1938, p. 34.

BANDEIRA Anhanguéra. O Estado de S. Paulo, 4 nov. 1937, p. 8.

BANDEIRA Anhanguéra. O Estado de S. Paulo, 16 nov. 1937, p. 6.

BANDEIRA Anhanguéra. O Estado de S. Paulo, 26 nov. 1937, p. 5.

BARROS, Edir Pina de. Os filhos do Sol: história e cosmologia na organização social de um povo karib: os Kurâ-Bakairi. São Paulo: Edusp, 2003.

BRASILEIRO, Francisco. Na Serra do Roncador. (A vanguarda da Bandeira Anhanguera). Companhia Editora Nacional, 1938.

CONNERTON, Paul. Como as sociedades recordam. Tradução Maria Manuela Rocha. Oeiras, Portugal: 1993.

DIVERSOS expedicionarios da “Bandeira Anhanguera” chegaram hontem a esta capital. Folha da Manhã, São Paulo, 5 dez. 1937, p. 1.

ECOS. O Globo, Rio de Janeiro, 27 nov. 1937, p. 2.

FERREIRA, Antonio Celso. A epopeia bandeirante: letrados, instituições, invenção histórica (1870-1940). São Paulo: UNESP, 2002.

GRANDIN, Greg. Fordlândia. Ascensão e queda da cidade esquecida de Henry Ford na selva. Tradução Nivaldo Montingelli Júnior. Rio de Janeiro: Rocco, 2010.

GRANN, David. Z, a cidade perdida. A obsessão mortal do coronel Fawcett em busca do Eldorado Brasileiro. Tradução Claudio Carina. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

LIMA, Nísia Trindade. Um sertão chamado Brasil. Rio de Janeiro: Revan; IUPERJ; UCAM, 1999.

MELLO, Darcy Bandeira de. Entre índios e revoluções. (Pelos sertões de São Paulo, Mato Grosso e Goiás de 1911 a 1941). São Paulo: Soma, 1980.

MONTECCHI, Acir Fonseca. Teatro de Imagens: a Bandeira Anhangüera através das lentes de Antonio Senatore –1937. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2001 (mimeo).

MONTERO, Paula. Selvagens, civilizados, autênticos. A produção das diferenças nas etnografias salesianas (1920-1970). São Paulo: Edusp, 2012.

MORTO em plena selva o chefe da expedição Anhanguera. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, 29 nov. 1937, p. 1.

NA SERRA do Roncador. A marcha da Bandeira Anhanguéra entre os chavantes. (Publicação feita á vista do archivo da Bandeira). O Estado de S. Paulo, 17 jul. 1938, p. 9.

NA SERRA do Roncador. A marcha da Bandeira Anhanguéra entre os chavantes. (Publicação feita á vista do archivo da Bandeira). Conclusão. O Estado de S. Paulo, 22 jul. 1938, p. 9.

NÉBIAS, Arnaldo Otávio. Bandeira Anhanguera – 1937. Revista Brasileira de Geografia, ano II, n.º 2, abr. 1940, p. 155-72.

NO RUMO dos sertões inexplorados. O Estado de S. Paulo, 5 maio 1937, p. 9.

NO RUMO dos sertões inexplorados do Brasil. O Estado de S. Paulo, 9 maio 1937, p. 11.

NO RUMO dos sertões inexplorados. O Estado de S. Paulo, 12 maio 1937, p. 11.

NO RUMO dos sertões inexplorados. O Estado de S. Paulo, 13 maio 1937, p. 11.

NO RUMO dos sertões inexplorados. O Estado de S. Paulo, 14 maio 1937, p. 10.

NO RUMO dos sertões inexplorados. O Estado de S. Paulo, 16 jun. 1937, p. 11.

O DIARIO do bandeirante. O Estado de S. Paulo, Supplemento em rotogravura, n.º 124, s. p.

PARTIDA da “Bandeira Anhanguéra”. O Estado de S. Paulo, 27 jul. 1937, p. 12.

PICCHIA, Menoti del. Cummunká. Rio de Janeiro: José Olympio, 1938.

PINTO, Olivério Mário de Oliveira. A Bandeira Anhanguera e sua contribuição à ornitologia do rio Araguaia. Boletim Biologico, São Paulo, nova série, n.º 3 (3/4), 1938, p. 97-106.

SILVA, Hermano Ribeiro da. Os sertões do Brasil. O Estado de S. Paulo, 26 mar. 1937, p. 3.

SIMMEL, Georg. A aventura. In: SOUZA, Jessé; ÖELZE, Berthold (orgs). Simmel e a modernidade. Tradução Sebastião Rios. Brasília: UnB, 1998, p. 171-87.

REVIVENDO a gloriosa tradição das bandeiras. O Estado de S. Paulo, 4 jul. 1937, p. 10.

REVIVENDO as epopéas dos paulistas de outrora. O Estado de S. Paulo, 3 jul. 1937, p. 10.

RICARDO, Cassiano. As bandeiras do século XX. Cultura Política: Revista mensal de estudos brasileiros. Rio de Janeiro, ano II, n.º 11, jan. 1942, p. 13-26.

RUMO ao Araguaya. Goyaz sob o influxo do turismo. O Globo, 9 ago. 1937, p. 8.

SÃO PAULO. Projecto de lei 104, de 1937. Diario Official do Estado de São Paulo, 15 jun. 1937, p. 20-22

SEGUNDA-FEIRA, no Cine São Bento. O Estado de S. Paulo, 19 nov. 1938, p. 3.

SENATORE, Antonio. Viagem à serra do Roncador. 1937. São Paulo: Lemos, 2001.

SILVA, Hermano Ribeiro da. Nos sertões do Araguaia. Narrativa da expedição ás glebas barbaras do Brasil central. São Paulo: Cultura brasileira, 1935.

UMA BELLA iniciativa sertanista dos paulistas. Correio Paulistano, 10 jun. 1937, p. 1.

VILLAS BÔAS, Orlando; VILLAS BÔAS, Cláudio. A Marcha para o Oeste: a epopéia da Expedição Roncador-Xingu. 2ª. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2012

Downloads

Publicado

2020-09-16

Edição

Seção

Artigos