De la"limpieza de sangre" espagnole au nazisme: continuités et ruptures

Autores

  • Eveline Kenig Université de Paris

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.v0i129-131p67-80

Palavras-chave:

marginalidade, assimilação, Inquisição, anti-semitismo, limpeza de sangue

Resumo

Este artigo se propõe a fazer um incurso no domínio da história comparada na tentativa de reaproximar certos aspectos reservados aos judeus da Península Iberica durante a época pre-moderna e a Alemanha na moderna. Analisa como a cristandade ocidental tratou os judeus desde a Idade Média até os tempos modernos, procurando compreender os diferentes níveis de anti-semitismo. Centratizando na questão espanhola, mostra como a doutrina da pureza de sangue colaborou para o desenvolvimento de um novo anti-semitismo que serviu ao fenômeno cristão. Discutindo conceitos, distingue o anti-semitismo religioso do moderno, mostrando como se deu o processo de ruptura e continuidade, procurando identificar o momento decisivo em que se começou a perceber uma concepção racial dos judeus.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

1994-12-30

Edição

Seção

Artigos