A administração do trabalho escravo nos manuais de fazendeiro do Brasil Império, 1830-1847

  • Rafael de Bivar Marquese Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas; Depto. de História
Palavras-chave: administração, trabalho escravo, controle social, tráfico negreiro, Brasil Império

Resumo

Os dois principais manuais de fazendeiro publicados no Brasil na primeira metade do século XIX, a saber, o manual de Carlos Augusto Taunay (1837) e o de Francisco Peixoto de Lacerda Werneck (1847), inauguraram uma nova abordagem sobre a administração do trabalho escravo na literatura agronômica brasileira. Este artigo analisa as prescrições contidas nesta nova abordagem, e procura fornecer uma explicação para o surgimento dessa atitude inédita sobre a administração do trabalho escravo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1997-12-30
Seção
Artigos