Resenha do livro: Scientists in Nineteenth Century Australia

  • Simon Schwartzman
Palavras-chave: Século XIX, Ciência, História natural

Resumo

(primeiro parágrafo do texto)

Como se desenvolve a ciência em países periféricos? Em artigo bastante conhecido, publicado em Science no ano de 1967, George Basalla propõe uma teoria de três estágios. O primeiro, ao longo do século XIX, é o das expedições científicas aos novos continentes. É a época em que o Brasil é visitado por Humbolt, Saint Hilaire, von Martius, Spix, Darwin, Agassiz e tantos outros. Em  um segundo momento, começa a se desenvolver a ciência colonial. E a continuação dos trabalhos de história natural, mas já agora por cientistas radicados na periferia, que trabalham em estreita dependência com os grandes centros. Finalmente, em um terceiro estágio, há o estabelecimento de instituições de pesquisa e ensino próprias, que permitem o desenvolvimento de tradições autônomas de trabalho científico.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1976-12-30
Seção
Resenha Bibliográfica