Os múltiplos significados da alforria em uma área mineradora periférica da América portuguesa: Rio de Contas, Bahia - século XVIII

Autores

  • Kátia Lorena Novais Almeida Universidade do Estado da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2014.89009

Palavras-chave:

Alforria, tipos de alforria, experiências de liberdade

Resumo

Analiso neste artigo as leituras que libertos e senhores fizeram da alforria e o que representavam os diferentes tipos de manumissão na experiência de liberdade em uma área mineradora periférica da América portuguesa: a vila de Rio de Contas, capitania da Bahia. Após discutir o tipo de fonte que tem sido privilegiado na maioria dos estudos sobre o tema, analiso qual tipo de alforria foi mais relevante em Rio de Contas para entender os sentidos que escravos e senhores lhe atribuíram.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kátia Lorena Novais Almeida, Universidade do Estado da Bahia

Doutora em História Social pela Universidade Federal da Bahia. Professora adjunta de História, Departamento de Educação da Universidade do Estado da Bahia - Campus II

Downloads

Publicado

2014-12-18

Edição

Seção

Artigos