Os artifícios da perfeição: João de Barros por Manuel Severim de Faria

Autores

  • Rubens Leonardo Panegassi Universidade Federal de Viçosa

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2014.89011

Palavras-chave:

Portugal, Severim de Faria, corte

Resumo

O objetivo deste artigo é problematizar as convenções intelectuais que nortearam a escrita do retrato heróico do humanista João de Barros por Manuel Severim de Faria, em sua “Vida de João de Barros, em que se discorre sobre os preceitos da história e perfeição com que escreveu as suas Décadas”, livro que compõe os Discursos vários políticos, publicado pela primeira vez em 1624. Para isso, consideramos que a confecção da memória dos lugares ocupados por João de Barros responde à demanda de uma sociedade estamental, na qual a dignidade do ofício exercido denota a dignidade de quem o exerce.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rubens Leonardo Panegassi, Universidade Federal de Viçosa

O autor é doutor em História pelo Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, professor de História Moderna e Contemporânea no Departamento de História do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes.

Downloads

Publicado

2014-12-18

Edição

Seção

Artigos